Observatório Alviverde

27/05/2017

O PALMEIRAS NÃO JOGOU (ABSOLUTAMENTE) NADA CONTRA OS BAMBIS

Fim do primeiro sem gols no "choque-rei" mas o Palmeira mostrou que tem mais time do que os bambis.

O Verdão jogou melhor mas o resultado é justo na medida em que os bambis jogam retrancados e o ataque palmeirense não tem a necessária profundidade. 

Os bambis jogaram, visivelmente, à espreita de um contra-ataque mas chegaram com efetividade em pouquíssimas ocasiões.

Entendo que para o segundo tempo o Palmeiras não deve -num primeiro momento- mudar um time que terminou o primeiro tempo com novidades de escalação e só começou a se acertar durante o jogo.

Entendo que o Palmeiras tem bala agulha para vencer esse  clássico haja vista que tem muito mais time.

Deixe a sua opinião sobre o "choque-rei" até que fique pronto o comentário final.

ANÁLISE FINAL 

Quando Cuca entrou com um time misto em Chapecó eu logo imaginei que o time do Palmeiras perderia o entrosamento e a sequência, importantíssimos. Aconteceu! O mau jogo contra o Inter e a derrota contra os bambis são as provas reais do que afirmamos.

Mesmo enfrentando um time tecnicamente muito mais fraco o Palmeiras não apresentou futebol suficiente para derrotar os bambis.

Como estou em Internet alheia eu vou destacar apenas alguns aspectos do jogo:

1) O pior em campo foi Cuca. Péssimas escolhas, escalação inicial horrível, táticas equivocadas substituições errôneas.

2) Entre os jogadores o pior foi Prass, responsável direto pela derrota haja vista que os dois gols que sofreu eram (muito) defensáveis.

3) Mina não passou perto  de suas atuações anteriores e Juninho fraco na cobertura está longe de Edu Dracena. Mike mostrou qualidades mas, nas mesmas proporções, desentrosamento total

4) Tchê e Jean tiveram altos e baixos e entre os defensores e meio campistas e Jean com a agravante da perda do pênalti que poderia ter mudado o curso do jogo.  Só Felipe Melo teve uma certa regularidade. Não deveria ter sido substituído.


5) Dudu, muito abaixo de seu nível normal não foi sombra de suas performances anteriores e Willian apenas lutou.

6) Róger Guedes e Keno entraram muito tardiamente no time tanto e quanto Borja que pareceu-me ter ido para o campo de jogo sem a menor disposição ou vontade de jogar. 

O Palmeiras agora vai a Porto Alegre neste meio de semana enfrentar o Inter na competição que pode ter determinado a acomodação de jogadores.

Em entrevista justamente agora na Fox Sports Jean acaba de dizer que Cuca poupou alguns jogadores visando a esse jogo.

 Em razão disso eu entendo que no meio de semana na capital gaúcha o time terá mais dedicação, empenho e força de vontade.

COMENTE COMENTE COMENTE

26/05/2017

VERDÃO TEM TRÊS DÚVIDAS PARA ENCARAR OS BAMBIS NA CASA DO ADVERSÁRIO!



O Palmeiras vai ao Morumbi esta noite disposto a quebrar qualquer tabu contra o SP, com cacife para tal e muita bala na agulha.

Nunca vi o Verdão com tanta perspectiva de vencer esse adversário tão fatídico sempre ajudado pelas arbitragens e amparado pela mídia até em proporções maiores do que os gambás.

Entendo que se o Palmeiras produzir apenas o que sabe e se a arbitragem, não interferir e der o serviço como de costume, o Verdão tem amplas perspectivas de vencer.

Cuca faz mistério e não dá pistas em relação ao time que inicia o jogo, mas a mídia noticia que as dúvidas do técnico palmeirense seriam Mina, Dracena e Zé Roberto que não participaram  do controvertido "rachão" que marcou o encerramento da preparação do time para o clássico.

De minha parte não acredito que o time sentiria qualquer abalo ou defasagem se não viesse a contar com ZR, mas sou convicto de que perderia "demaaaais" se não pudesse contar com sua dupla de zagueiros que a cada jogo mais e mais se entrosa.

Ainda de acordo com o noticiário midiático o time do Palmeiras para o "choque-rei" do futebol brasileiro seria este com ou sem os jogadores que estão na iminência de não jogar:

Fernando Prass; Jean, Mina(Antônio Carlos), Edu Dracena(Juninho) e Zé Roberto(Michel Bastos); Felipe Melo, Tchê Tchê e Guerra(Raphael Veiga); Róger Guedes, Dudu e Borja(Willian).

E você que entrou no OAV, espera o quê do time do Palmeiras hoje à noite diante dos bambis?

Qual o time ideal para pregar uma grande peça na bambizada?

COMENTE COMENTE COMENTE 

25/05/2017

SIMON COMPROVOU ONTEM O SEU ANTIPALMEIRISMO EXPLÍCITO!



Não sei o que levou a Fox TV a contratar o gaúcho Simon para comentar arbitragem, de quem partiu a infeliz ideia e, principalmente, de quem o levou à TV. 

Talvez tenham sido os mesmos que levaram a Globo a contratar PCO, Gaciba e outros do mesmo calibre.

A Fox, uma empresa razoavelmente seleta no recrutamento de seu seus profissionais, cometeu um erro palmar, no qual jamais deveria ter incorrido, porquanto se desgasta demais perante a opinião pública.

Antes de qualquer coisa quero deixar claro que respeito Simon em sua condição de cidadão, mas jamais poderei fazê-lo na qualidade de árbitro de futebol, considerando, antes de tudo, o seu passado de árbitro medíocre.

O aparente sucesso que obteve na profissão decorreu sempre muito mais por sua condição de relações públicas nato e por suas facilidade e influência no relacionamento com o com o poder, do que pela necessária meritocracia.

Muitos árbitros contemporâneos de Carlos Eugênio, visivelmente mais bem dotados e capacitados não obtiveram o mesmo sucesso do gaúcho pela falta dessas "qualidades" que transitam pela casa da subserviência e submissão ao poder.

Exemplifico perguntando: quem, com uma decisão comprovadamente errônea, errada e equivocada que alterou o rumo, simultaneamente, do título e do rebaixamento do Brasileiro de 2009 pode ser respeitado?

Ao anular o gol legítimo de Obina contra o Flu, que teve o poder de -a um só tempo- tirar o título do Verdão, e, ao mesmo tempo, encaminhar o salvamento do tricolor carioca em relação a um iminente descenso Simon mostrou quem ele era na qualidade de árbitro de futebol.

Ao ver as imagens transparentes de um lance límpido e cristalino em que houvera visivelmente se equivocado, Simon insistiu, teimou e sustentou que estava certo, mostrando então o que ele é! 

Em meu entendimento faltou-lhe auto-crítica, sobrou-lhe má vontade contra o Palmeiras tanto e quanto faltou-lhe humildade.

Decorridos tantos anos, Simon, agora investido na condição de jornalista, não perdeu, definitivamente, o embalo e eis que ontem, na interpretação do gol de Willian contra o Atlético Tucuman ele conseguiu a proeza de ser o único e exclusivo juiz dos juízes (quem sabe também entre todos os brasileiros) que viu irregularidade no lance. 

Maldade, incompetência ou as duas coisas conjuntamente articuladas? Só a consciência dele para responder.

Por que, diante de um lance tão claro quando aquele (inesquecível) do Obina, ele não disse que Willian foi derrubado logo no nascedouro do lance em sua fase de arremate caracterizando um pênalti que deveria -sim- ter sido assinalado? Tirem, vocês que me leem, as suas conclusões!

O trabalho de ontem da Fox Sports, espetacular, maravilhoso, com a narração vibrante do são-paulino Gustavo Vilani, com o comentário correto do corintiano Osvaldo Pascoal muito superior à Globo, infelizmente, foi obnubilado, ofuscado, manchado e maculado pela presença de um analista de segunda categoria, altamente faccioso que atende pelo nome de Carlos Eugênio Simon.

Como suportar um "profissional" fraquíssimo de pequena capacidade de improviso, "grosso",  sem padrão vocal e dicção compatíveis para o exercício da função que exerce?

Como aturar alguém tão faccioso, tão tendencioso, protetor constante dos times de massa e daqueles de sua preferência pessoal nas análises dos lances e dos bastidores, tanto e quanto um crítico corrosivo -altamente deletério- e destrutivo dos clubes pelos quais não tem simpatia, entre os quais avulta a SE Palmeiras.

Tenho vergonha de ter como companheiro de profissão esses ex-árbitros colocados no jornalismo por colegas de profissão puxa-sacos, patronais, despreparados e estúpidos, todos sem o menor sentimento classista ou ética profissional...

Os ungidos, escolhidos a dedo sempre pelo time que torcem, têm em comum, coincidentemente, o fato de sempre em suas carreiras arbitrais terem prejudicado enormemente a SE Palmeiras, sendo, todos eles, razões importantíssimas  no esvaziamento e apequenamento do verdão.

Causam-me náuseas e asco as presenças de Arnaldo(s), Simon(s), Marsiglia(s), Gaciba(s) Paulo César Oliveira(s), Márcio(s)Freitas, Godoy(s) e outras excrescências na mídia, depois de tudo o que aprontaram nos campos de futebol.

Aliás, a maioria esmagadora deles só está na profissão, ocupando o lugar dos verdadeiros jornalistas porque (está provado) o Brasil é o país das aparências, do faz de conta e das irregularidades...

Suas leis dúbias e anacrônicas nunca são cumpridas e o STJD (casa política e sem o menor senso ou pundonor) legalizou o ilícito, permitindo que ex-jogadores, ex-dirigentes e ex-árbitros tomassem conta de um segmento de ofício que não lhes pertence por moral, o jornalismo. Viva, Gilmar, que não é dos Santos Neves!

Por honestidade exclua-se da relação Simon e Godoy, jornalistas formados, mas -ambos- totalmente incapacitados para o exercício de atividades por falta de improviso, de qualidade vocal, dicção e sobretudo por facciosismo explícito.

Que a direção de esportes da Fox ao menos retire o abominável Carlos Eugênio Simon dos jogos do Palmeiras.

Ele detesta o Palmeiras (já provou isto dentro e fora do campo) mas a recíproca é verdadeira da parte do clube e da torcida mais escolarizada do Brasil.

COMENTE COMENTE COMENTE

importante 

Estou fora de casa, sem Internet e atualizando o blog na medida do possível.

Ontem tive imensa dificuldade para fechar o blog. 

Quando fechei, verifiquei que sumira o que escrevi ao final do 1º tempo,

Fazer o que se estava (estou) em casa de parentes e já era 1,30 H da manhã,

Hoje ao ler os comentários fiquei muito chateado.

Palavrões desnecessários, exagero nas críticas e brigas entre os participantes.

Deletei o que não tratava do assunto em pauta (Palmeiras), sobretudo as brigas.

Conforme prometi o faria, fiz e farei!

Vamos nos restringir ao time e, se possível, diminuir os palavrões ou termos muito agressivos para nominar os jogadores, todos com família, filhos, amigos e vida social.

Na medida do possível e do bom senso, vamos incentivar o time ainda que seja através de críticas com embasamento e fundamento.

Ah, antes que eu esqueça, não ultrapassem os limites legais nas críticas contra o ex-árbitros e jornaleiro, digo, jornalista Simon, embora se saiba que, entre os palmeirenses ele seja "persona non grata", nauseante e repulsiva.

Conto com todos os meus amigos!

(AD)   

24/05/2017

PALMEIRAS X ATLÉTICO TUCUMAN

DEIXE SUA OPINIÃO ATÉ QUE FIQUE PRONTA A POSTAGEM FINAL.

FIM DE PRIMEIRO TEMPO VERDÃO 1 X 0.

Vitória tranquila até a página nove.

O Palmeiras sofreu por sua ofensividade e por se expor demais sem tanta necessidade.

Quem precisava do resultado era o Atlético e o Palmeiras partiu pra cima, quando poderia ficar na espera.

Só que para muitos palmeirenses se o time jogar assim vai ser criticado, tanto e quanto se atacar demais e perder arrebentam com ele.

O 1 X 0 até agora é justo mas muito perigoso apesar da diferença de saldo que encaminha o Palmeiras à classificação.

Há destacar neste primeiro tempo a raça do Palmeiras, o bom futebol do Verdão, a falta de cobertura às costas do Jean, a inexplicável situação em que Zé Roberto e Dracena, dois veteranos e já sem tanta velocidade ficam para marcar, tanto e quanto as jogadas ensaiadas que passam a ser o ponto forte do time e Cuca.

Destaque-se, também, a magnifica atuação de Thiago Santos, o melhor palmeirense em campo segundo Osvaldo Pascoal comentarista da Fox e para mim um dos melhores ao lado de Mina e Róger Guedes.

Dracena jogou muito e Zé Roberto não comprometeu, sendo este um jogador que deve ser analisado pelo que faz, não pelo que deixa de fazer. Hoje, esteve bem, dentro no limite tático que lhe é confiado por Cuca.

Do meio de campo para a frente o melhor foi Róger Guedes e os demais tiveram altos e baixos, erros e acertos.

Prevejo uma goleada do Palmeiras porque o time de Tucuman vai partir inteiro para cima do Palmeiras e se expor à forma que o time de Cuca mais gosta de jogar.

E com a vitória do Peñarol sobre o Wilsterman, o Palmeiras, com qualquer resultado, já está classificado!

Parabéns torcida do Verdão!

COMENTE COMENTE COMENTE

23/05/2017

UM INCIDENTE OU UM ACIDENTE DE PERCURSO?



Por problemas pessoais não pude renovar a postagem neste início de semana, pelo que solicito antecipadamente as devidas desculpas a todos vocês.

Eu havia preparado um texto sobre a estupidez de poupar times, salientando que o mestre nessa arte é Luxa, quando tomei conhecimento de um incidente de treino entre Feitosa e Felipe Melo, num primeiro momento com a intervenção de Cuca.

Pelas manchetes, barulho e estardalhaço da mídia explorando um fato corriqueiro e banal, imaginei que se tratasse de algo incontornável e que Feitosa e Melo houvessem saído na chamada "mão grande".

Tudo, porém, não passou do vetusto sensacionalismo da mídia explorando um fato desprovido de qualquer importância mas hipervalorizado por jornalistas inteiramente despreparados para o exercício da profissão.

Se eles não sabem, que aprendam agora com este "OAV dos coroas" porque o que vamos dizer não está nos livros.

Em qualquer time de futebol do planeta, ao final dos exercícios físicos e das orientações táticas, nos dias em que não há coletivos, os jogadores se dividem em dois grupos e promovem um "rachão".

Via de regra, o elenco se divide em dois times fixos ao longo da temporada (com uma ou outra troca acidental), que se enfrentam duas ou três vezes por semana.

Isso cria e alimenta imensa e intensa rivalidade, maior, muitas vezes, do que a própria rivalidade no mundo real do jogo contra os grandes adversários.


Ninguém, então, quer perder o rachão que tem sabor de final de Copa do Mundo.

Via de regra, além dos jogadores, registra-se também a presença de técnicos, auxiliares e preparadores físicos que entram para completar os times, acirrando ainda mais a disputa que ninguém quer perder.

A vitória no "rachão" rende gozações na guerra verbal que se estabelece no dia a dia dos times, descontraindo os ambientes e motivando os jogadores. 

Dito isso tudo, apesar de minha vivência, não sei aquilatar se os "rachões" são benéficos ou maléficos úteis ou inuteis, proveitosos ou nocivos nessa convivência jocosa e alegre em torno de uma brincadeira que eu não sei avaliar se é bom ou ruim em termos de grupo. 

Uns dizem que sim, outros dizem que não, mas eu nunca parei para analisar, ponderar, aquilatar e definir.

Digo isso porque já vi N vezes jogadores saírem na mão ao final dos "rachões" ou se tornarem adversários ou inimigos na convivência grupal, deteriorando bastante o ambiente dos clubes e as relações de amizade que têm de prevalecer entre os atletas de um time vencedor.

Não foi, claro, o caso de ontem no Palmeiras, haja vista que a refrega ocorreu entre o preparador físico e um atleta, sendo devidamente contornada quando ambos, juntos, caminharam em direção ao vestiário.

Então, para terminar, eu quero que Você que lê e acompanha este OAV, responda sincera e objetivamente a esta questão:

Você acredita que o desentendimento entre Felipe Melo e Feitosa pode, de alguma forma, ter um impacto negativo no dia a dia do Verdão?

COMENTE COMENTE COMENTE

À ATENÇÃO DE TODOS OS AMIGOS DO OAV

Novamente por problemas pessoais, não sei se terei condições de renovar a postagem nesta 3ºfeira.

Se não renová-la, solicito-lhes porém que postem a fim de manter o nosso espaço ativo.

O tema é livre e fica por conta de vocês!

Agradeço-os, todos, gigantescos palmeirenses! (AD)

20/05/2017

CHAPECOENSE 1 X 0 PALMERAS



PEQUENA PALAVRA

Pelo que depreendi de muitos comentários há sempre ilações maldosas contra este blogueiro, as chamadas "indiretas" ainda que o crítico seja um crítico de última hora.

Cazzo, este blogueiro disse aqui (os antigos frequentadores deste espaço sabem muito bem) que é e será sempre, radicalmente contra "poupar jogadores", sob quaisquer circunstâncias.

Há quanto tempo que eu denuncio que jogador ganha "demaaaais" para trabalhar, efetivamente, só duas vezes por semana. Absurdo dos absurdos!

E no entanto, certas postagens são interpretadas de forma equivocada como se eu fosse favorável a poupar o time principal visando ao jogo.da Libertadores.

Muita gente não entende, ou, se entende finge não compreender que eu, repito pra que fique bem claro, eternamente contrário a que se poupe o time, coloquei o assunto dentro deste enfoque:

"se fosse, se fosse, se fosse para poupar jogadores (Cuca entendeu que era), o jogo ideal não seria aquele contra o Inter mas este de hoje contra a Chape.

E o disse num momento em que a mídia batia forte na mesma tecla e afirmava que o Palmeiras tinha de poupar o time principal abdicando de um jogo decisivo da Copa do Brasil e visando a Libertadores,

Argumentei então que se fosse existir a tal poupança teria de ser no jogo de hoje diante da Chape, pois o campeonato Brasileiro é longo e nele em caso de resultado negativo, conforme ocorreu, haveria perspectiva de recuperação. Na Copa do Brasil, não!

Ou imaginam que eu não saiba ou desconheça que a perda de um jogo pode determinar a perda de um campeonato? Tenham a santa paciência!

Aliás, vou mais além: um simples ponto ou mesmo a falta de um gol na média do saldo ou do número de gols marcados ou sofridos também, em certas circunstâncias também decidem os campeonatos.

Não voltarei ao assunto, mas solicito encarecidamente a todos para que não fiquem posando de vítimas ou de sábios e nem vestindo carapuças porque, quando escrevo qualquer texto, não estou objetivando atingir quem quer que seja, não estou querendo medir forças com ninguém e nem tampouco impor a minha opinião.

Por favor, preocupem-se menos com a opinião do blogueiro e mais, muito mais com os temas propostos!

Agradeço-lhes de coração (AD)

Ah, antes que eu esqueça, se o mistão vencesse (teve condições para isto) alguém trataria ou voltaria a esse assunto?

PALMEIRAS X CHAPE, PRIMEIRO TEMPO

Tentando ser sintético quero dizer que o jogo neste primeiro tempo foi -rigorosamente- equilibrado com a predominância completa das duas defesas

Pelo fato de o Palmeiras ter entrado com um time misto, a Chape ficou sem saber se ia pra cima ou se (como estava previsto) jogaria em contra-ataque. Só ocorreria se o Verdão optasse por entrar com o seu time principal.

O time alternativo totalmente estranho, desconhecido e imprevisível em termos táticos, deixou Mancini confuso e sem saber o que fazer e os times se estudaram muito além do que se esperava.

O jogo só melhorou a partir dos 25 minutos  quando cada equipe, uma e outra, começou  a perceber o que o adversário queria.

A marcação foi (perdão pela redundância) a marca registrada deste 1º tempo e o placar em branco reverbera fielmente tudo que aconteceu, isto é, a imposição e predominância completa das defesas.

Falando, exclusivamente, sobre o time do Palmeiras, quero realçar a excelência do jogo aéreo dos dois jovens zagueiros palmeiras (Antonio Carlos e Juninho) apesar do nervosismo e da pouca maturidade dos dois.

Saliente-se, também, a excelência da apresentação de Michel Bastos que prova mais uma vez (nem precisava) que não esqueceu de seu passado de lateral esquerdo, mostrando que tem tudo para ser o dono posição e com capacidade suficiente para desentortar um time que só ataca pelo lado direito e despertar o jogo ofensivo completo do Palmeiras pelos dois lados do campo.

Não gosto do posicionamento do Raphael, muito recuado e à frente da zaga na maior parte jogo e na maioria das vezes pelo lado direito, quando (ao menos em meu entendimento), o mapa da mina seria descoberto se ele atuasse pelo lado oposto encostando em Bastos, justamente como o fazia em seus tempos de Coritiba. A lentidão, a inibição e a a falta de ousadia têm sido a marca das atuações desse jovem jogador.

Tchê perdido entre jogadores que parece não conhecer atua burocraticamente sem render o que pode e sabe, tanto e quanto Roger Guedes está apagado, aparentando desmotivação. Thiago Santos foi apenas um esforçado.

Willian -outra vez- é o melhor do ataque ou, hoje, para que sejamos bem francos, o menos ruim. Tomara que ele se sustente no jogo e não se contunda para o jogo de quarta-feira contra o Atlético de Tucuman.

 Keno correu, lutou, ajudou na marcação, mas foi apenas um esforçado pois o esquema de Cuca, ao menos até agora, (estamos no intervalo do jogo) não funcionou.

Em relação ao que prevejo para o 2º tempo, devo dizer apenas que a tendência do jogo é a ausência de ousadia, o defensivismo e o equilíbrio!

(Comentário publicado no intervalo do jogo).

SEGUNDO TEMPO

O jogo recomeçou com mais mobilidade e empenho dos dois times.

São 19 minutos e pode-se dizer que o Palmeiras começou melhor mas a esta altura a Chape já o superou e é muito melhor. 

O Palmeiras perdeu duas chances de gol em um só lance com Róger Guedes e Willian, mas a exemplo do primeiro tempo, não consegue chegar para chutar porque além de jogar só pela direita e pelo meio, a Chape se defende em bloco e muito bem!


A Chape acaba de perder um gol em um lance pela esquerda em que Fabiano desistiu de correr e no qual, no primeiro lançamento, havia impedimento. Na sequência Prass, mais uma vez salvou o Verdão após cabeçada à queima roupa de Rossi.

Yoran acaba de entrar no lugar de Willian para poupar o artilheiro palmeirense.

São 27 m e a  Chape acaba de abrir o marcador explorando o lado direito da defesa do Palmeiras setor sempre a descoberto por conta dos avanços excessivos de Fabiano, jogador de pouca recuperação e que carece sempre de uma boa cobertura.

Teoricamente ele estava bem coberto por Tchê Tchê, mas ele foi facilmente driblado antes do gol e não conseguiu acompanhar Rossi, velocíssimo atacante da Chape e em meu entendimento, o melhor em campo e a expressão superlativa do jogo.

Agora, uma palavra em relação ao árbitro goiano André Luiz de Freitas Castro: do jeitinho dele (e não é a primeira vez) está operando o Palmeiras em campo.

Inverteu a maioria das faltas e, na dúvida, sempre apitou pró Chape. Já virou uma rotina a arbitragem prejudicar o Palmeiras nesse tipo de lance.

André Luiz permitiu o jogo violento da Chape o tempo todo e só amarelou Girotto após "trocentas" faltasdesse atleta aproximadamente aos trinta do segundo tempo.

Apresentou  um cartão amarelo ilógico e inaceitável a Willian prejudicando o Verdão para os jogos sequentes do Brasileiro. 

Ele a maioria dos árbitros acostumados a operar o Palmeiras são cirúrgicos e sempre sabem para quem vão apresentar o cartão, em se tratando do Verdão.

Seus assistentes Bruno Pires e Leone Rocha também de Goiás, também estiveram caseiros. Aliás, a TV precisa identificar os bandeirinhas em ação para que se saiba quem está bem ou mal no jogo sem correr riscos de injustiças.

Lembro-me muito bem de uma falta muito feia de Reinaldo em Róger Guedes não marcada pelo árbitro pelo erro e omissão do bandeirinha que correu à frente do banco da Chapecoense, cujo nome eu não sei porque o narrador do PPV sequer mencionou na transmissão.

Mas hoje dá para que se critique sem medo de injustiças haja vista que o outro bandeirinha cometeu erro ainda pior deixando de registrar impedimento no nascedouro da jogada que precedeu o gol isolado do time catarina.


A Chape ainda perdeu um gol ao final do jogo numa cabeçada fortíssima que passou por cima do gol de Prass 

Em resumo o time alternativo do  Palmeiras que em poucos momentos esteve melhor que a Chape mas na maioria deles esteve abaixo, sabia bem o risco que corria ao optar por jogar com um "mistão".

MORAL DA HISTÓRIA

Fica a lição, mas os técnicos e dirigentes não vão aprender nunca (nem Cuca que também erra como todos nós) porque dão ouvidos e acatam sugestões de gente da mídia que não sabe nem porque a bola rola mas se coloca na condição de doutor em futebol.

Qualquer equipe que atue duas vezes por semana não pode e nem deve, nunca, poupar um time inteiro como fez o Palmeiras neste final de semana contra a Chape, exceto um ou outro jogador em situações especiais.

Menos mal, como eu sempre ressaltei,  que a opção ocorreu em um campeonato no qual o Verdão ainda tem 36 rodadas para se recuperar, incluso uma revanche contra a Chape.

Não vou analisar individualmente nem os jogadores e nem Cuca, pelas próprias circunstâncias do jogo.

Espero apenas que o time possa ter uma excelente performance contra o Atlético de Tucuman que o catapulte para as oitavas de final da Libertadores 2017 e, obtido esse objetivo, entrar com todos, e principalmente com tudo para cima dos bambis no sábado que vem.

COMENTE COMENTE COMENTE.



MISTO QUENTE DO PALMEIRAS ESTA NOITE EM CHAPECÓ!



Hoje, ás 19 H, o esperado clássico verde entre Chapecó e Palmeiras na Arena Condá, em Chapecó, oeste catarinense que, como ocorre com grande parte dos jogos do Palmeiras, só será mostrada exclusivamente pelo "pay-per-view", isto é, só quem paga pode ver.

A Chapecoense vem com tudo, mas o Palmeiras será representado por se misto quente pois preserva a integridade física de quase todo o elenco para o jogo contra o Atlético de Tucuman.

O jogo contra os argentinos decide a continuidade ou não do Verdão na Liberta que, queiramos ou não, aprovemos ou não (é claro que queremos e que aprovamos, exceto alguns perebas da torcida) é a competição mais importante do ano e foi priorizada como o caminho para que o verdão conquiste o seu segundo Mundial de clubes da Fifa. 

Então, em atitude reta e correta -profissionalíssima-, Cuca, que em outro contexto escalou de forma sapiente todos os  titulares contra o Inter coloca campo hoje em Chapecó  a sua segunda força, isto é, o seu segundo time, muito melhor do que  a maioria dos concorrentes da Série A.

Apenas três titulares entrarão em campo: Prass, Tchê e Willian Bigode, mas, ainda assim Cuca coloca manda ao campo um time espetacular, de fazer os adversários babar de inveja e despeito. 

Já que citamos os que jogam, vamos nominar quem não joga: Jean, Mina, Dracena, Zé Roberto, Felipe Melo, Guerra, Dudu e Borja.

Contra o Inter o Palmeiras usou todos os titulares diante da perspectiva de ficar mais perto de ganhar a Copa do Brasil, um torneio importantíssimo, altamente rentável em que o Verdão pode chegar ao título em apenas cinco jogos dos quais dois serão realizados no Allianz Park.

Este blogueiro, antes do Palmeiras x Inter discorreu sobre o tema e disse que o jogo para qualquer necessidade ou eventualidade de poupar jogadores seria o de hoje, Coincidentemente, Cuca pensava do mesmo modo.

É óbvio que de minha parte não farei nenhuma crítica relacionada à filosofia adotada de entrar com um mistão esta noite em Chapecó, até porque já cravei que Cuca e a diretoria estão certos.

Mas as críticas relacionadas ao rendimento do time e das individualidades em campo eu as farei normalmente e com a ênfase e contundência que se fizerem necessárias.

É óbvio que vou considerar as situações atenuantes de estreia, tanto e quanto a condição de desentrosamento da equipe B, adaptada e afeita aos treinos em busca da titularidade e não aos jogos.  

Eis o time que começa o jogo: Prass, Fabiano, Antonio Carlos, Juninho e Michel Bastos, Thiago Santos, Tchê-Tchê e Raphael Veiga. Róger Guedes, Willian e Keno. 

Com este time, dá pra ganhar do campeão catarinense na casa do adversário?

COMENTE COMENTE COMENTE






19/05/2017

QUANTOS JOGADORES VOCÊ CONTRATARIA PARA REFORÇAR O VERDÃO E PARA QUAIS POSIÇÕES?



Apesar do preço de ocasião Cuca disse não à contratação de Sassá, do Botafogo. 

Pelo que pude depreender da recusa de Cuca, o Palmeiras já tem em seu elenco vários jogadores com características de velocidade similares ao botafoguense.

Para que não se vá tão longe, destaco Guedes, Keno e até o goiano Eric que no Palmeiras não é nem sombra do estupendo atacante que foi quando defendeu o Goiás e eleito como uma das revelações do Brasileiro. 

A chegada de Sassá agravaria a situação de Eric que dificilmente é escalado e quando entra no time não rende tudo o que sabe pois está sempre sem ritmo de jogo. 

É mais ou menos assim: não joga porque está sem ritmo e está sem ritmo porque não joga. 

Se ele não é um jogador capacitado a defender uma camisa pesada como a do Palmeiras, aí já é outra discussão!

De minha parte penso que Cuca tem planos para Eric ou, do contrário, já o teria despedido!

Voltando a Sassá (muito bom jogador) sua contratação seria um negócio de ocasião com amplas perspectivas de bom faturamento em futuro próximo, mas entendo, perfeitamente, a recusa de Cuca em ficar com o atleta! 

Quem não percebe que o técnico está priorizando a manutenção do excelente ambiente do elenco que comanda e em razão disso não faz a mínima questão de contratar um atleta que além de estar fora da perspectiva de aproveitamento na Liberta, não entraria de cara no time e, pior, tido por muitos como problemático e difícil no relacionamento e no dia-a-dia.

Ademais, as prioridades do Palmeiras para reforço da equipe não estão no ataque, onde o Verdão dispõe de grandes jogadores, todos eles versáteis, que sabem e podem exercer diversas funções ofensivas.

Ainda assim me agradaria muito se o Palmeiras contratasse um centroavante daqueles a que chamamos de rompedor, preferentemente de físico avantajado e que exercesse, também a função de pivô! 

É difícil, mas não é impossível de encontrar um jogador dessas características no vasto mercado brasileiro, embora a ideia da contratação de um jogador desprovido de nome e marketing em times de menor expressão aborreça e até revolte o segmento megalomaníaco da torcida palmeirense, isto é, cerca de 70% dela.

O Palmeiras, na realidade, necessita premente e urgentemente de um lateral esquerdo, nada mais.

Zé Roberto, o jogador mais longevo do futebol brasileiro na série A, titular de Cuca já deu o que tinha de dar e já fez tudo o que poderia fazer com a camisa do Verdão. 

Por isto, a torcida tem todo o direito de reivindicar a sua justa saída do time, mas não de ofendê-lo como tenho visto e lido por toda a Internet. 

Pelo contrário só temos mesmo de agradecer a esse corretíssimo profissional que tanto ajudou o time, dentro e e fora de campo principalmente fora nos últimos anos, sendo um fator importantíssimo nas conquistas do Palmeiras, de Paulo Nobre aos dias de hoje.

Aliás quando reivindico a saída de Zé do time, não reivindico necessariamente a sua saída do elenco, posto que em certos jogos ele pode, perfeitamente, entrar, participar e ajudar com a sua experiência. 

Digo-lhes mais que critico ZR não pelo que faz em campo (ele marca bem, fecha os espaços, não dá moleza aos adversários e orienta os companheiros, mas, pelo que ele deixa de fazer e teria de fazer mas não o faz, simplesmente, porque já não pode mais fazer.

Refiro-me ao suporte de apoio necessário para que o time ataque o adversário e seja letal também pelo lado esquerdo, a fim de aumentar o seu poder de ataque e a sua profundidade ofensiva e fazer muito mais gols.

Egídio, o reserva imediato, talvez esteja inserido na mesma condição do Eric de não render por não ter ritmo de jogo e de não ter ritmo de jogo por não jogar para poder render. 

Na verdade Egídio, no Palmeiras, não consegue realizar um milionésimo do que realizava no Cruzeiro ou no Vitória, sobretudo em termos de armação. 

Trata-se de um jogador muito habilidoso com a bola no pé, porém fraco na marcação, fraco na recomposição constituindo-se muito mais em um ala do que propriamente em um lateral. 

Quem o lançou no futebol tinha em mãos um habilidoso e futuroso ponta esquerda mas acabou se equivocando fazendo dele um apenas razoável lateral.

Há também a opção de Michel Bastos que começou como lateral e que passou depois a atuar no meio de campo, mas segundo a mídia ele não gosta de atuar no setor.

Bastos precisa colocar na cabeça que, pelas peculiariedades táticas do time do Palmeiras, ele dificilmente será titular no time de Cuca na qualidade de meio campista, a não ser em circunstâncias muito especiais

Dizem, também que Juninho, recém chegado do futebol paranaense pode fazer o lado esquerdo da defesa e que, inclusive, já teria atuado na posição. 

Nesse caso específico, será preciso por o garoto para jogar para que se possa aferir a potencialidade desse jovem jogador, recém chegado e em fase de ambientação.

QUANTOS JOGADORES VOCÊ CONTRATARIA PARA REFORÇAR O VERDÃO?

PARA QUAIS POSIÇÕES?

COMENTE COMENTE COMENTE 

18/05/2017

PALMEIRAS 1 X 0 INTER - NÃO PRECISAVA SER NA BACIA DAS ALMAS!



Primeiro erro do Palmeiras: respeitar demais o Inter mesmo sabendo que tem mais time. Ficou claro quando abdicou da costumeira "blitz" inicial, marca registrada dos times de Cuca que tanto inibe e intimida os adversários.

Reconheça-se, porém e antes de tudo, o acerto da escalação do time principal. 

Se houver necessidade de poupar alguém visando à Libertadores que aconteça  sábado, em Chapecó. 

Cuca sabia que uma derrota para o Inter eliminaria sumariamente o time da Copa do Brasil, competição que ele pode ganhar -a partir de agora- em apenas cinco jogos, sendo dois dentro de casa.

Ademais, ainda que lance mão de um time misto em Chapecó, objetivando priorizar a Libertadores, (agora sim espero que o faça), mesmo que perca para o time "catarina", terá amplas perspectivas de recuperação no decorrer de trinta e seis intermináveis rodadas do Brasileirão.

Segundo erro do Palmeiras: remover o "limpador de para-brisas" Felipe Melo da esquerda onde havia necessidade de cobrir Zé Roberto (até quando será assim?) e passá-lo para o lado oposto, isto é, mais pelo setor direito da defesa. 

Acontece que os dois canhotos do Inter, D'Alessandro e Nico Lopes, por sinal seus principais jogadores, inteligentemente procuravam sempre ocupar os espaços onde Melo não estava (normalmente o lado direito) e, em razão disso, distribuíam o jogo à vontade. 

Trabalharam, em setenta por cento dos lances, cambando pelo pelo lado oposto àquele em que se encontrava Felipe, o jogador palmeirense que mais bem realiza a função de marcação no chamado primeiro combate. 

Essa foi a razão da proliferação de tantos cruzamentos contra a área palmeirense, verdadeiro "raid" aéreo que tanto incomodou mas que teve a utilidade de mostrar a Cuca a vulnerabilidade de sua defesa no jogo pelo alto.

Foi através do jogo aéreo ofensivo que o Inter mais incomodou o Palmeiras, tanto nas cobranças de escanteios quanto de faltas, mesmo as de média e longa distância.

O que o Inter usou de bola comprida no jogo em viradas bruscas que enganavam a defesa foi uma grandeza. 

Sempre havia alguém livre com a bola no pé olhando para a frente, pensando o jogo e  lançando em velocidade, se aproveitando da preocupação constante da defesa palmeirense em cobrir Zé Roberto.

Jean levou N bolas nas costas em lances dessa natureza e não fosse a cobertura de Mina e a precipitação de Marcelo Cirino nos cruzamentos, o Palmeiras teria sofrido gols em lances oriundos daquele setor.

Virtude do Inter, defeito do Palmeiras, ficou muito claro que o Verdão carece de um exímio batedor de faltas e escanteios, porque é visível a sua deficiências nesses dois quesitos que têm o poder de decidir os jogos. 

Terceiro erro do Palmeiras: Cuca, teimosamente, manteve Zé Roberto no time até o final do jogo, ainda que saltasse aos olhos até do menos arguto observador que o Inter explorava o jogo em seu setor.

O time de Zago usava prioritaria e abusivamente o lado direito do campo atacando em bloco com o ala, um atacante e um volante, procurando manter os seus dois canhotos próximos para a articulação, enfiadas e tabelas, mas principalmente para os lançamentos e arremates. 

Menos mal que ZR, ontem, esteve bem na marcação e inteligentemente absteve-se de subir para o ataque. 

Aliás, se ele avançasse irresponsavelmente o Palmeiras poderia até ter levado gols pelo setor, considerando-se também a veteranice de Dracena, embora em menor escala, que tinha a obrigação de dar-lhe o necessário suporte.

Como ZR raramente avançou, o Inter procurou ocupar o espaço e foi pra cima como podia e com tudo o que tinha. Zé Roberto, então,  tem de ser elogiado por sua visão de jogo e principalmente por sua responsabilidade e altíssimo profissionalismo!

Com tudo e apesar de tudo é forçoso admitir que o Palmeiras, desde o ano passado carece urgentemente, D-E-F-I-N-I-T-I-V-A-M-E-N-T-E, e não há mais como esconder ou camuflar uma situação que se agrava a cada jogo, de um lateral esquerdo jovem e eficiente.

Zé Roberto, do ponto de vista defensivo até que tem se saído bem, mas o futebol de hoje exige dos laterais aquele algo mais, isto é, apoio ao ataque, puxadas de contra-ataque, cruzamentos precisos, chegadas constantes e até arremates ao gol. 

Tudo isso, reconheça-se não é mais a praia desse correto jogador, provido de grande técnica, mas, visivelmente limitado pela idade.

Na verdade o Palmeiras com Zé, comparativamente, é  como se fosse um jovem atlético, forte e vigoroso que perdeu uma das pernas e, em razão disso, está impedido de fazer uso de suas melhores potencialidades. 

Palmeiras, em razão disso, é um time amputado pelo lado esquerdo e Zé, apesar de todo o seu esforço, doação, boa vontade e abnegação representa no máximo uma prótese na perna esquerda palmeirense, mas daquelas mais antigas.

Há, mais do que simples carência, a necessidade imperiosa da contratação imediata de um lateral esquerdo de mobilidade, que defenda bem e se apresente para atacar, para que, de fato, Cuca possa formar um time quase perfeito, haja vista que a perfeição é utópica em se tratando de futebol.

E, se mal pergunto me perdoem, por que não fixar Michel Bastos no setor, ele que começou no futebol nessa posição e tem "know-how" suficiente para ser a solução?  

Dizem que ele detesta atuar como ala, mas não acredito que prefira o ostracismo do banco à possibilidade de assumir a titularidade em um time vencedor, numa posição que ele, aliás, conhece muito bem. 

E antes que eu esqueça sua presença no time principal ajudaria a solucionar o problema (grave, recorrente e crônico) da falta do homem da bola parada.

O quarto erro do Palmeiras: Tchê tem sido o grande sacrificado no esquema de Cuca. Por sua conhecida versatilidade tem sido explorado em funções diferentes a cada jogo. Isto, na verdade, impede que ele tenha uma linearidade de produção e rendimento.

Ontem Tchê-Tchê cumpriu novamente outra função tática à parte, naturalmente pré definida e como missão. 

Foi a sombra de D'Alessandro, acompanhando-o por todo o campo tentando exercer uma forte marcação individual sobre aquele que é a cabeça pensante em campo do colorado gaúcho.

Desta vez não conseguir cumprir com eficiência a tarefa em decorrência da mobilidade e do QI futebolístico beirando à genialidade do argentino.

Em razão disso o Palmeiras perdeu um de seus melhores articuladores de chegada ofensiva cuja atuação em relação àquela de domingo contra o Vasco esteve fraca.muito aquém das expectativas.

O erro de Cuca foi aquele de manter indefinidamente Tchê exclusivamente para marcar e não aproveitá-lo naquilo que ele tem de melhor, isto é, a chegada ao ataque.

Da mesma forma não existiu, ainda que fosse eventualmente, a troca de posições dele com Jean, mérito e criatividade de Cuca que, normalmente, confunde os adversários.

Jean, como se sabe, rende muito mais atuando pelo meio e poderia ter sido (aqui se trata apenas de uma expectativa) mais efetivo na vigilância a D'Alessandro, tanto e quanto Tchê pelo lado direito, sendo um jogador mais veloz e mais criativo do que Jean, não apenas defenderia melhor, mas seria muito efetivo em puxadas de contra-ataque.

Enfim, meus amigos, o mais importante é que o Palmeiras venceu, e, principalmente, não levou gols.

O que me chateia é a oscilação do time que não precisava ter sofrido tanto para impor-se ao Inter levando sufuco, bola na trave e submetendo-se a um time de muito menor estofo técnico que tem exclusivamente no empenho, no espírito de luta e na força de vontade as suas principais armas.

Aquela "defezaça, zaça, zaça" do Prass, quase que ao final do jogo, em lance do mais puro reflexo de um goleiro bem treinado, garantiu o resultado favorável que abre ao Palmeiras a perspectiva de fazer o jogo de volta em Porto Alegre jogando por qualquer empate, com a prerrogativa de poder até perder de 1 x 0, resultado que leva o jogo para os pênaltis.

PARA ENCERRAR

"NÃO PENSEM QUE NO JOGO DE VOLTA EM PORTO ALEGRE, O PALMEIRAS TERÁ O MESMO TRATAMENTO LHANO, FIDALGO E GENTIL, QUE O INTER RECEBEU ONTEM EM SÃO PAULO!

NEM FORA E NEM DENTRO DE CAMPO! 

OS GAÚCHOS, COMO DE HÁBITO, SOBRETUDO EM SE TRATANDO DE INTER, TENTARÃO FAZER DO JOGO UMA GUERRA!

 

COMENTE COMENTE COMENTE  








17/05/2017

PALMEIRAS X INTERNACIONAL


Ninguém, neste primeiro tempo, jogou mais bola do que Willian, graças a quem o Palmeiras vence um adversário fatídico por 1 x 0.

O aperto que o Palmeiras sofreu para derrotar o colorado neste primeiro tempo,serve como lição àqueles que se iludem com jogadores famosos, imagens projetadas e cifras investidas porque os jogos se ganha mesmo é dentro de campo.

Não, ao contrário do que disse o Noriega na TV, não foi o Inter que impediu o Palmeiras de impor o costumeiro abafa na abertura do jogo...

Foi o próprio Palmeiras que, surpreendentemente cauteloso, abdicou de fazê-lo, temeroso, talvez de algum contra-ataque mortal que possibilitasse ao Inter, a partir de então, a jogar ainda mais fechado do que jogou.

De qualquer forma, ainda que o time tenha jogado muito pouco em relação ao seu real potencial, o 1 x 0 foi justo, ainda que o Inter tenha desfrutado, por incrível que pareça, das melhores situações ofensivas criadas na etapa inicial.

Há que se dizer que, de acordo com o que este blog alertou, o soprador de apitos (esse cara não é árbitro nem aqui nem na China ou em qualquer lugar do mundo) Sandro Meira Ricci prejudicou tremendamente o time do Palmeiras.

Só marcou as faltas claras para o Verdão porque as demais foram  todas para o Inter e fez de tudo para segurar o time.

Só não entendo como o Palmeiras continua aceitando passivamente a indicação de certos árbitros e não se manifesta antecipando o que pode sofrer em campo quando esses caras são escalados.

Para encerrar, Prass esteve nervoso, Jean bem,  Mina longe das atuações anteriores, Dracena bem e Zé Roberto, surpreendentemente bem defensivamente. O problema é que o time fica aleijado em termos ofensivos por que não tem lateral que ataque com eficiência pelo setor.

No meio de campo o melhor foi Guerra. Tchê sabe mais do que apresentou e Felipe Melo deixou a desejar. Dudu teve lampejos e foi contido à botinadas pela defesa sem que Ricci tomasse conhecimento de nada.

Borja parece-me desnorteado e fora do esquema, haja vista que no Palmeiras, diferentemente do que ocorria no Atlético de Medellin, ele tem de correr e marcar, o que, definitivamente, não é o seu forte.

ACREDITO QUE O PALMEIRAS VENÇA, mero palpite, por 3 x 0.

Comente no OAV antes, durante e após o jogo, até que fique pronta a postagem final!

COMENTE COMENTE COMENTE

TIME MISTO ESTA NOITE É RETROCESSO, MAS É TUDO O QUE A IMPRENSA ANTI MAIS QUER!

 

Palmeiras e Inter fazem esta noite, às 21,45 H no Allianz, o primeiro jogo da melhor de duas para ver quem passa para as quartas de final da Copa do Brasil.

O jogo será transmitido pela RGT para São Paulo, RS e algumas praças específicas.

O Sportv 2 mostra o evento para todo o Brasil.

Árbitro: Sandro de Meira Ricci, de Santa Catarina (cheira a gambá!)
Bandeiras: Kleber Lucio Gil e Neuza Ines Back, ambos também de Santa Catarina. 

Sandro Ricci que sempre fez média com o Curica é uma péssima escolha. 

Trata-se de um árbitro que não me inspira a mais mínima confiança.

=========================

O QUE A MÍDIA MAIS QUER
Tenho lido nos jornais que "a maratona(?) de jogos" enfrentada pelo Palmeiras deixou o elenco muito desgastado (hahahahahahaha)
 
Maratona? Elenco desgastado quando ainda estamos em maio? 

Viram como eles são dramáticos e hiperbólicos nas coisas pelas quais se interessam?

O que mais lhes interessa a esta altura é que o Palmeiras perca e fique fora da disputa pela importantíssima Copa do Brasil, passaporte carimbado e visado para a Libertadores 18, deu pra entender?

Disseram mais que as contusões são o maior risco que o Verdão enfrenta esta noite contra o Inter, pois pode perder jogadores importantes para o Brasileiro e para a Libertadores.

Conversa pra boi dormir, destinada exclusivamente a estimular Cuca a colocar em campo os reservas. 

Mas a terrível "maratona" de dois jogos semanais continua sendo a média do Palmeiras e, de resto, de quase todos os times da Série A.

Em razão disto, por mais que eu tente, não vejo, definitivamente, o tal desgaste que os caras alegam existir, até porque ainda estamos em pleno início de temporada e o campeonato Brasileiro só teve cumprida uma única rodada.

Na verdade os "jornaleiros", torcedores de outros clubes, estão loucos para que o Palmeiras entre em campo hoje com um time misto, perca o jogo, caia logo fora da Copa do Brasil.

Eles temem que seus times de coração tenham de enfrentar o Verdão nas semifinais e nas finais da CdB e, em razão disso, fazem de tudo o lhes está ao alcance com o objetivo de afastar o Verdão da disputa.

Se Cuca tiver sensibilidade e juízo, jamais fará o que eles mais querem. Tem de colocar todos titulares em campo e fim de papo, sem se importar tanto (momentaneamente) com o Brasileirão.

Por sua condição de campeonato de pontos corridos, tanto e quanto por estar ainda no início, o certame vai proporcionar, além do reencontro com a Chape no 2º turno em Sampa, mais 36 rodadas suficientes para a recuperação de eventuais pontos perdidos.

Se necessidade houver de poupar jogadores que o Palmeiras o faça no jogo de sábado em Chapecó!

QUEM TIVER SENSIBILIDADE PARA SENTIR, SINTA...

O Palmeiras, com apenas três jogos em casa e três fora pode ganhar em poucos dias a importantíssima Copa do Brasil.

Se o time é melhor e está melhor que os adversários, tanto e quanto motivadíssimo com a chegada de Cuca, está dando tudo em campo, em razão de que perder a oportunidade de ganhar o primeiro título do ano, tão próximo?

Se o time tem tudo para conquistar um título pela via rápida, por que não apostar e investir na perspectiva dessa conquista que está tão próxima? 

Por que e para que ficar esperando quase um ano inteiro por dois títulos dificílimos, da Libertadores ou do Brasileiro que ninguém pode garantir que virão?

Lembrem-se que mesmo que o Palmeiras perca o próximo jogo para a Chape, sábado, na Arena Condá e até confronto seguinte para os bambis (não acredito que ocorra), as perspectivas de recuperação no Brasileirão são bem amplas em intermináveis 36 rodadas.

Em contrapartida, se o Palmeiras for desclassificado pelo Colorado não terá mais chances de recuperação da CdB e desperdiçará a possibilidade de alcançar um título importantíssimo que poderia conquistar mediante (então) apenas boas performances em dois jogos em casa e dois jogos fora.

Por tudo o que dissemos o Palmeiras tem de vencer bem esta noite para poder ir a Porto Alegre fazer o jogo de volta muito mais tranquilo e, repito, se houver condições para tal, aí, sim, poupar alguns titulares mais desgastados, mas mantendo o cuidado de levá-los ao jogo e deixá-los no banco para possíveis eventualidades. 

========================== 

INTER, UM ADVERSÁRIO A SER RESPEITADO

Quando perdeu para o Novo Hamburgo o título estadual da temporada,  o time do Inter rebaixado à Série B sentiu-se na obrigação de ao menos chegar às finais da Copa do Brasil. Se ganhar, aplacará um pouco o furor de sua torcida.

O Inter não quer saber se vai ter um jogo difícil contra o ABC no próximo sábado ou se terá de ir a Belém enfrentar o Paissandu no sábado da próxima semana e vai colocar todos os titulares contra o Palmeiras, a fim de tentar preparar o terreno para classificar-se para as quartas de final da CdB.

Antonio Carlos Zago, ex zagueiro palmeirense e atual técnico do Inter, colocará em campo esta noite o mesmo time que venceu o Londrina no Paraná por 3 x 0, tendo declarado que está muito satisfeito por poder, pela primeira vez em muito tempo r,epetir a escalação de seu time para um jogo subsequente.

Daniel, William, Léo Ortiz, Victor Cuesta e Uendel. Rodrigo Dourado, Fabinho, Felipe Gutierrez e D'Alessandro. Marcelo Cirino e Nico Lopez.

O Palmeiras que é muito mais time e tem melhores jogadores, tem de ter cuidado especialmente com as chegadas e tentativas de arremates de longe de D'Alessandro, com a capacidade de trabalhar na área e a facilidade de arremate de Nico Lopez, mas, principalmente com a velocidade de Marcelo Cirino. Aliás, você sabia que Cirino é palmeirense e declarou que seu maior sonho no futebol seria jogar no Verdão?

Mais do que respeito ao Inter o Palmeiras, que, repito, tem atualmente um time muito melhor, tem de atentar para o retrospecto histórico de jogos contra esse tradicionalíssimo adversário contra o qual não pode distender ou distrair.

O Inter é um dos poucos clubes brasileiros que têm vantagem sobre o Palmeiras nos confrontos até hoje realizados:

Foram 85 jogos, com 36 vitórias do Inter, 27 do Palmeiras e 22 empates.

O time gaúcho totaliza 9 triunfos a mais que o Palmeiras, mas caso o Verdão vença todos os confrontos deste ano, a diferença pode reduzir-se a alcançáveis 5 jogos.

Moral da História: Foi-se o tempo em que eu já abatia os pontos dos jogos do Palmeiras contra o Inter nas minhas projeções sobre os campeonatos disputados pelas duas equipes.

MEU TIME IDEAL DO PALMEIRAS PARA HOJE:

Prass, Tchê, Mina, Dracena e Zé Roberto (na falta de outro).
Melo, Jean, Guerra e Dudu. Willian e Borja.
 
Fale, você também, sobre o jogo, sobre o time e deixe a sua escalação ideal!

COMENTE COMENTE COMENTE

16/05/2017

PALMEIRAS ESTÁ CONTRATANDO SASSÁ, ARTILHEIRO DO BOTAFOGO!



Seria por estar pensando nisto que Mattos liberou tão facilmente Rafael Marques e Alecsandro?

Em meu entedimento, perfeitamente, isto é, s-i-m!

Garanto-lhes, porém, que eu (como se diz popularmente) trocaria "ambos os dois conjuntamente" por Sassá, não exigiria nenhuma volta e, se necessário fosse, colocaria, até, alguma grana em cima.

Por que?

Porque tanto Alecsandro (ex Alecgol) e o palmeirense Rafael Marques, já são jogadores fora de prumo e medida para qualquer clube que almeje grandes conquistas, mesmo na condição de reservas e composição de elenco. 

Verdade seja dita, já não cabiam mais no Verdão, nem na condição de reservas, pois todas as vezes em que entraram nos jogos, não conseguiram acrescentar absolutamente nada ao time, mas, pelo contrário, diminuiram-lhe a condição técnica e a capacidade funcional.

Ainda que sabedor, ciente e consciente dos grandes problemas que podem acompanhar a transferência do jovem atacante carioca para um estado diferente, para uma cultura diferente e, principalmente, para um clube diferente, digo-lhes, no entanto, que Sassá é uma boa para o Palmeiras.

E o é sob múltiplos aspectos.

Primeiro, pelo preço, muito aquém do que eu imaginava de 1,5 milhão de dólares, ou cerca de 4 milhões e 500 mil reais, por 50% dos direitos do jogador.

Depois, pela juventude de Sassá, um destro e velocista de apenas 23 anos completados em janeiro deste ano, cria do Botinha.

De acordo com sua biografia, ele até passou pelo futebol paulista defendendo o Oeste de Itápolis em 2014 onde não se adaptou. Jogou apenas 3 partidas sem marcar gols. 

No mesmo ano foi emprestado ao Náutico clube cuja camisa vestiu 22 vezes e com a qual marcou 9 gols.

No Botafogo ultrapassou a casa da centena de jogos completando 109.

Seu retrospecto profissional registra 33 gols marcados e 1.001 problemas para a diretoria entre os quais apenas um não foi contornado, justamente aquele da não renovação de contrato.

No Palmeiras Sassá receberá luvas cujo montante não foi revelado e salários mensais de 200 mil.

Espero que ele, agora na qualidade de jogador de um time tradicional e de torcida muito exigente, porém moderno e evoluído do ponto de vista da mentalidade e atitudes, não se deixe mais fotografar, como o fez ao assinar com o Bota, com o dinheiro das luvas nas mãos e nem publique a foto na Internet.

Dele só queremos mesmo é que faça os gols de tanto necessitamos para a conquista dos títulos e que posteriormente, valorizado pelo timbre palmeirense, o seu passe possa ser vendido ao exterior de molde a encher os cofres do Verdão e de seu parceiro carioca, o Botafogo de euros ou de dólares!

VOCÊ GOSTOU DA CONTRATAÇÃO DE SASSÁ?

(Já está confirmada, segundo a Fox)

COMENTE COMENTE COMENTE

BEM, AMIGOS NÃO! MAL, AMIGOS! FOI ASSIM O PROGRAMA ESPORTIVO DO SPORTV ONTEM À NOITE!



Por volta de 23,20H desta 2ªFeira, eu, que acompanhava o programa Bem Amigos do Sportv, bastante contrariado, desliguei o televisor e fui tratar da vida. Explico!

Pela expectativa criada por insistentes chamadas do Canal que afirmava iria ter o técnico Cuca, ao vivo, no programa Bem Amigos, alimentei a ilusão de que assistiria a uma entrevista espetacular com o técnico palmeirense, de, no mínimo meia hora. 

No entanto, se passou de cinco minutos, não chegou, sequer, aos dez!

Isto sem contar que a entrevista só começou após cinco minutos de intermináveis laudatórios ao técnico e que serviram de intróito para apenas três ou quatro perguntas "en pasant" que foram dirigidas a Cuca, quase todas ou  sem nexo ou sem a menor importância. Jornalismo, mesmo, "neca de pitibiriba". Assim são, Arnaldo, convidados, agregados e Galvão!

Galvão Bueno, o palrador-mor da televisão brasileira prometeu voltar em seguida ao assunto para novas indagações ao treinador palmeirense. Não rolou!

Galvão preferiu valorizar e dar muito mais atenção aos dois nadadores olímpicos também convidados que têm também, reconhecemos, os seus méritos e merecem ser promovidos e entrevistados...

Jamais, porém, em detrimento do principal treinador de clubes e atual campeão do esporte mais popular e mais importante do país, o futebol.

Galvão Bueno certamente não se lembrou que as chamadas para o público sintonizar o programa foram embasadas sobretudo no nome e no prestígio de Cuca e que a maior parte da audiência ocorreria em razão disso. 

Mas foi assim que aconteceu, sem que Cuca voltasse a ser acionado ou questionado, para a frustração geral de palmeirenses e não palmeirenses! 

Aliás, todas as torcidas se interessavam por ouvir Cuca e, no entanto, pouco ou nada ouviram. No máximo, viram e, ainda assim, muito pouco! 

Por volta de 23,20 H, quando da chamada de outro "break comercial", Galvão que -literalmente- já houvera bostejado por aproximadamente duas horas diante das câmeras, frustrou-me, completamente, e quero crer, a milhões de telespectadores.

Para o meu desapontamento e completa decepção geral, anunciou que, no bloco seguinte, iria abordar as sanções da FIBA (não sei ainda se é esse o nome da entidade que comanda o basquete em nível mundial) à CBB que estão matando esse esporte no Brasil. 

E, como se tudo não bastasse, Galvão ainda teve o desplante e a cara de pau de pedir a Cuca que não fosse embora, porque ele participaria ainda dos debates com o pessoal do "cestobol", como muitos diziam em tempos mais antigos.

Foi, literalmente, o fim da picada! Para mim, foi!

Até hoje eu não consigo entender como a RGT que se considera o ápice, a cumeeira e a expressão superlativa da televisão brasileira, permite que Galvão transforme o espaço precioso de um programa esportivo longo e de abrangência nacional em mero veículo de sua promoção pessoal e de amigos mais chegados!  
Como pode um canal especializado em esportes e agora, segundo dizem, em futebol, levar para o estúdio o técnico campeão brasileiro e transformá-lo de maior atração, isto é, de protagonista em espectador privilegiado? 

Ou é muita insensibilidade, falta de visão jornalística e de competência de produção, ou, (o mais provável) a velha perseguição ao Palmeiras e aos palmeirenses que eles tanto e sempre desrespeitam, imaginando que, do lado de cá, só existam burros, bobos, tolos, néscios, inocentes ou débeis mentais.

A súcia global tem de se colocar na caveça que a torcida do Palmeiras é diferente de todas as outras, muito mais inteligente.

Eles têm de se convencer de que, se não mudarem o tratamento fingindo que sempre têm usado, simulando promover o clube, quando na realidade nunca estão, terão sempre o desprazer de ouvir verdades doídas e todas as diatribes lançadas contra eles pela torcida mais escolarizada e esclarecida do Brasil.

Ou vocês, palmeirenses, acham que se fossem os técnicos juvenis que dirigem o Fla e o Curica, o principiante Rogério Ceni ou outro técnico qualquer de menor expressão da série A, as suas participações teriam sido restritas ao mínimo espaço (verdadeira esmola) dedicado ao treinador campeão brasileiro, simplesmente porquê (quem não sabe disto?) Cuca é o técnico do Palmeiras?

Pode até ter ocorrido de Cuca ter voltado ao ar e à berlinda após as 23,20 H. pois não assisti ao restante do melodrama, quero dizer, programa.  Considero difícil e gostaria que me confirmassem se ocorreu!

Porém, ainda que assim ocorresse, as minhas críticas seriam mantidas pelo desrespeito perpetrado -mais um- contra o público que ficou completamente frustrado, na expectativa de uma entrevista à altura da importância do atual técnico do Palmeiras!

E se a tchurma global não sabe, terça-feira não é apenas dia de branco...

É também dia de negro, de mulato, de japonês, de nordestino, de estrangeiro, de palmeirense, corintiano e, enfim, de todos os brasileiros que trabalham e que precisam dormir cedo porque terão de levantar bem cedo para trabalhar e ajudar a fazer um Brasil maior e melhor!!!

COMENTE COMENTE COMENTE 

14/05/2017

CUCA ESTREIA COM O PÉ DIREITO E O PALMEIRAS APLICA GOLEADA HISTÓRICA NO VASCO



Até agora 2 x 0 para o Verdão e estamos no intervalo do jogo.

O resultado não deixa dúvidas em relação ao melhor time em campo.

No entanto, como previ, o Vasco viria com tudo e veio mesmo porque todos querem derrotar o Campeão que não por acaso é o Verdão!

Chutou uma bola no travessão (erro de Prass equivocadamente atribuído exclusivamente a Jean) e Prass fez, no mínimo, duas defesas que garantiram o resultado.

O miolo de zaga esteve bem e tem tudo para se entrosar cada vez mais.

Mas como Mina gosta de apoiar e Dracena é coroa e já não tem o mesmo fôlego, o Palmeiras tem de ter muita eficiência antecipativa de marcação, do meio de campo à sua grande área. Não teve!

Gosto do aproveitamento de Tchê como lateral, gosto de Felipe Melo mais pela direita, gosto de Willian se deslocando levando e confundindo a marcação.

Gosto, muitíssimo do Guerra excelente no apoio mas fraco pra defender, tanto e quanto Borja mostrou que um pouco mas de autoconfiança será o camisa nove ideal;

Gosto, demais, de Dudu que andava jogando com o freio de mão puxado, se soltou (assim como todo o time) e foi disparadamente o melhor em campo.

Só não gosto de ZR e pergunto o que ele está fazendo (ainda) no time do Palmeiras?

Pelo que vi neste primeiro tempo só fazendo o jogo do caranguejo, isto é, tocando pra trás.

Esse novo Palmeiras, vibrante e agressivo, merece um lateral esquerdo mais eficiente, ainda que seja,  Michel Bastos, até que chegue um especialista.

Aliás, eu não sei explicar porquê ZR que produz tão pouco é titular e MB continua esquentando o banco.

Se o Vasco explorar o setor esquerdo da defesa do Palmeiras, por conta dos dois veteranos Zé Roberto e Dracena e da falta de cobertura no setor, pode vir a incomodar no segundo tempo prestes a começar. (comentário acima produzido no intervalo do jogo)

2º TEMPO 

O Vasco teve o mapa da mina em mãos mas não soube identificá-lo.

Em vez de jogar pelo lado esquerdo da defesa palmeirense onde havia dois veteranos, optou em atacar sempre pelo lado direito onde residia o forte da marcação palmeirense.

No segundo tempo ficou um pouco mais difícil para eles porque Dudu cercava na frente e inibia mediante sua simples presença o adversário de atacar.

Felipe Melo voltou a ser o mesmo paredão onde ele costuma jogar, isto é à frente do quarto-zagueiro e do lateral esquerdo e com tal eficiência que até liberou Zé Roberto.

Z R, então, passou a ter mais tranquilidade e a jogar com mais liberdade e com desenvoltura fazendo aquilo que normalmente não faz, apoiar o ataque.

Sua atuação no segundo tempo, a partir dessa iniciativa, me satisfez, porque o que falta a Zé é chegar com mais frequência para apoiar o ataque. Sua ausência na frente é um fator que inibe em muito o jogo ofensivo do Verdão.

Parece incrível mas a partir dos 38 minutos do segundo tempo, isto é, quase ao final do jogo, ZR realizou três excelentes jogadas de apoiamento ao ataque e na última delas deu um pique digno de um jovem de 20 anos.

Apesar disso quero dizer que estou enjoado de analisar Zé Roberto discorrendo sempre sobre o fato dele ter ou não comprometido o time em suas atuações e não, como deveria ocorrer na ordem natural das coisas, se ele rendeu mais ou menos em sua função e em que mais poderia colaborar no contexto tático do time.

Falta a esse veteraníssimo jogador uma regularidade física (há dias em que ele está uma verdadeira lesma em campo) que o credencie a ser titular. Se ele está sem condições (pode ocorrer) de entrar em determinado jogo que transmita a informação diretamente ao treinador com toda a lealdade e deixe de lado vaidades e veleidades de jogar sem condições sob pena de enterrar o time.

Palmeiras não pode dar-se ao luxo de ter um atleta titular que, se sabe, individualmente e com a bola no é excelente, mas que, no conjunto da obra, torna o time apático e fraco, ofensivamente, pelo lado esquerdo perdendo a opção de ataque via apoio de trás, do lado esquerdo do campo.

Jean, definitivamente, atuou pelo meio onde se amoldou mais ao modo de jogar de Cuca e onde ele rende mais, muito mais.

Em relação a Borja parece que o grupo verdadeiramente o aceitou e o abraçou a julgarmos pela festa que fizeram os companheiros quando do belíssimo gol de cabeça que assinalou e, principalmente, porque o deixaram bater o pênalti que originou o quarto gol, seguramente para que ele ganhe duas coisas, a artilharia e a confiança.

Cuca agiu com muito profissionalismo ao retirar de um jogo em que a vitória já estava garantida Guerra, Willian e até Dudu, o melhor em campo, fazendo entrar Róger Guedes, Keno e Fabrício.

Ele procurou garantir a integridade física de três jogadores importantíssimos de seu esquema, tanto e quanto dar motivação e ritmo de jogo a três bancários igualmente importantes, tendo em vista as duas enormes pedreiras que o Palmeiras terá de demolir esta semana precisando, evidentemente, de seus melhores jogadores: o Inter gaúcho em casa, quarta-feira e a Chapecoense, sábado, em Chapecó!

O público presente ao Allianz foi de 33.425 no Palmeiras x Vasco, para uma renda de R$ 2.109.685,93. Considerando-se que hoje é o "Dia das Mães", há de se louvar a presença massiva da torcida verde no Allianz

Enquanto isso, ontem, na Arena "Lava a Jato" o grande campeão paulista e time de maior torcida do país, o Curica, (HAHAHAHAHAHA) levou  31.470 torcedores para assistir ao 1 x 1 contra a Chape obtendo uma renda de R$ 1.477.730,80.

A propósito vocês viram ou ouviram algum programa abordar o assunto e fazer a comparação? Eu não!

Mas a mídia não diz abertamente que o Curica, os Bambis e alguns estúpidos não cravam que até o Santos tem mais torcida do que o Palmeiras?

Vou deixar a análise tática do jogo para vocês  e prefiro encerrar falando do "baita" tempo perdido quando da contratação do neófito Eduardo Batista que era como um farmacêutico prático querendo ensinar anatomia a médicos renomados.

Não fosse a bobagem de Mattos que transformou o Palmeiras (honra e glória do futebol brasileiro e um dos maiores clubes do mundo) em cobaia e o pior time da história do Curica, pior até do que o "Faz-me rir" da década de 60 que eu pelos menos tentei ver jogar (hahahahahaha) não teria conquistado o último título Paulista!

Mas agora é seguir em frente que atrás vem gente. Palmeiras, líder do Paulistão!

Se não (ainda) em pontos, mas na qualidade do futebol!

COMENTE COMENTE COMENTE

APÓS CUMPRIMENTAR TODAS AS MAMÃES DO MUNDO, DIGA O QUE VOCÊ ESPERA DO PALMEIRAS NA ESTREIA DO BRASILEIRO CONTRA O VASCO?


HOJE É O DIA DAS MÃES!

Você já cumprimentou sua mamãe?

Já beijou, abraçou , falou, cumprimentou ou telefonou para ela?

 Já, ao menos pensou ou orou por ela, se ela não estiver mais neste mundo de expiação e de provas?

Parabéns, paz e alegria a todas as mães do mundo.

Você que, como eu, graças a Deus ainda tem a sua, abrace-a e beije-a, amorosa e afetivamente.

Você que já não a tem, erga uma prece ao "Grande Arquiteto Universal" e peça para que a proteja e a guie no mundo espiritual, tanto e quanto ela o protegeu e dirigiu no mundo material.

Que no ano que vem o Senhor nos permita que possamos estar todos aqui (nós e nossas mães) com vida, saúde e o Palmeiras campeão, comemorando -efusivamente- uma data tão preciosa.

PARABÉNS, MAMÃES

Parabéns à minha, à sua e a todas as mamães deste mundo e que Deus permita que elas estejam ao nosso lado o máximo de tempo possível, nos protegendo, apoiando, aconselhando, orientando e, sobretudo, nos motivando.

FALANDO EM FUTEBOL


Vamos, todos, neste dia da estreia do Palmeiras no Brasileirão colocar a mídia para escanteio.

Esqueçamos (sei que é difícil, mas não é impossível) suas contínuas sacanagens contra o Verdão e seus contumazes favorecimentos ao Curica (Ontem contra a Chape aconteceu de novo), atendo-nos, exclusivamente, ao importante jogo de hoje contra o Vasco, na estreia do Verdão no Brasileirão.

À primeira vista, partindo-se de um ponto de vista exclusivamente teórico da mídia e da torcida, o Palmeiras é o franco favorito, mas em minha opinião isso é papo furado, pura retórica e fantasia.

Na ordem natural das coisas o Palmeiras tem um time de melhor nível técnico e como joga em casa estimulado pela torcida mais vibrante do Brasil, tem tudo para ser o vencedor e dar um primeiro e  importante passo na tabela se destacando como time vencedor logo na primeira rodada.

Mas há que se respeitar a camisa do Vasco, recém promovido para a Série A de onde saiu exclusivamente por desmandos administrativos, tal e qual o Palmeiras, nas duas vezes em que esteve rebaixado.

O Vasco é um time perigoso e, por tradição, difícil de ser batido.  

Os dois jogos que abriram oficiosamente o Brasileirão neste sábado, são uma amostra grátis da pedreira que espera Cuca e o time do Palmeiras.

Por mais que palmeirenses fanáticos queiram deslustrar e minimizar o empate de ontem entre Fla e Galo Mineiro, quem assistiu ao jogo (assisti a vários trechos) percebeu que serão dos adversários daqueles chamados "carne de terceira".

Depois, quem viu a Chape em ação contra o Curica, barrada pela arbitragem facciosa do goiano Elmo Alves Resende Cunha, cuja interferência no resultado do jogo, notória e irritante, deixo a vocês para analisar.

De minha parte, prefiro lançar um slogan que, tenho certeza de que vai pegar e ficar, em face de as arbitragens apitarem sempre sob pressão os jogos em Itaquera e se constituírem no décimo segundo jogador deles dentro de campo. 

Anotem o slogan e passem adiante, sempre que possível:

"Caiu em Itaquera, a arbitragem opera"!

E hoje, o que você espera do velho novo ou do novo velho Palmeiras de Cuca?

Você também já considera esse jogo com o Vasco antecipadamente ganho, daqueles a que chamamos de "macuco no embornal"?

Considera que o Verdão vai vencer fácil em face da mudança de treinador e, sobretudo, de enfoque, atitude e objetivos? 

Ou considera que em razão da pretensa fraqueza vascaína e do péssimo momento vivido por esse clube os adversários vão se mobilizar e tentar a façanha de derrotar o Verdão em plena Alliaz Arena.

E aproveito para perguntar qual o time ideal para entrar em campo e o Palmeiras, fiel ao seu hino, provar neste início de brasileiro que "de fato, é o Campeão"!

COMENTE COMENTE COMENTE


13/05/2017

DOIS ASSUNTOS PARA VOCÊ COMENTAR!


O Palmeiras contratou o zagueiro Juninho do Coritiba por 10 milhões de reais ou 3 milhões de euros.

O jovem zagueiro, de 22 anos, substituirá outro zagueiro, o canhoto Vitor Hugo que está se transferindo para a Itália. 

A negociação de VH com a Fiorentina, orçada em 8 milhões de euros (mais de 27 milhões de Reais), está em processo de fechamento de negócio.

Segundo apurei, Juninho começou em Londrina e transferiu-se para o Coxa na condição de Sub-17.

Em 2015 teve sua primeira chance como profissional aproveitando-a muito bem, mas tão bem que não saiu mais do time principal do Coritiba.

Jogou 91 vezes pelo time principal do Coxa sempre na qualidade de titular tendo assinalado, apenas, um gol.

De acordo com o que apurei Juninho -velho sonho do Palmeiras- se necessário, atua também como lateral esquerdo.

Será, ele, Juninho, a solução ideal para o lugar de Vitor Hugo?

= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

I-n-t-e-r-e-s-s-a-n-t-í-s-s-i-m-o!

Cuca chamou Borja para um papo daqueles que ele costuma travar, como se fosse de pai para filho.

Na conversa garantiu a Borja que ele jogará o tempo todo contra o Vasco e que não será substituído exceto em caso de contusão.

Cuca está agindo certo?

Ou, com isso, pode provocar descontentamentos no elenco tanto e quanto abrir um formidável e incontornável precedente?

Diga o que você pensa em relação aos dois assuntos:

COMENTE COMENTE COMENTE