Observatório Alviverde

06/06/2021

PALMEIRAS 3X1 CHAPECOENSE

FIM DO 1º TEMPO 

(AD, comentário publicado no intervalo do jogo) 

Palmeiras foi melhor sob todos os aspectos, tanto o tático. como o físico e, sobretudo, o técnico. Foi um verdadeiro banho de bola.

O placar dilatado (3 x 0) foi pouco a julgar-se pela imposição do Palmeiras neste primeiro tempo, mesmo sem Felipe Melo, mas com Patrick de Paula como volante, em revezamento com Raphael Veiga.

No mais, há de se ressaltar a atuação de Maike, hoje jogando pra frente, a perfeita sintonia entre Luan e Renan e o futebol apenas discreto de Vitor Luís na lateral esquerda.

Jogando bem tanto no toque de bola quanto nos contra-ataques a peça ofensiva do Palmeiras rendeu satisfatoriamente assinalando 3 gols e assinalando a boa performance de Wesley que, depois de Scarpa, constituiu-se no segundo jogador melhor em campo.

Num jogo em que todos os escalados se esforçaram e deram tudo de si nesta etapa inicial, todos atuaram bem. Até Luiz Adriano convenceu, tendo marcado um gol e dando muito trabalho à defesa da Chape.

Lamentavelmente Patrick de Paula teve de deixar o jogo, atingido fortemente na costela por um adversário, sem que o árbitro sequer assinalasse a falta.

Em razão disso foi substituído por Zé Rafael que, teoricamente, tem potencial suficiente para manter o mesmo elã, a mesma combatividade, a mesma categoria na distribuição do jogo e a mesma condição técnica do contundido. 

Diga-se de passagem: ainda que  jogando fora de sua posição habitual, Patrick de Paula mostrou um futebol de primeiríssima qualidade até agora e o novo posicionamento o fez render muito além do que vinha rendendo até então.

Com a diferença de placar obtida, há de se dizer que,  pelo time excepcionalmente melhor que é, o Palmeiras tem tudo para não apenas vencer, mas para até ampliar o placar folgado obtido até agora. (AD)

================

2º TEMPO 

O Palmeiras, historicamente,  sempre foi um time evitou fazer muitos gols e golear os adversários. Há mais de 50 anos é assim. Estabelece um placar elástico e não se interessa mais por fazer gols, passando a fazer aquele jogo sórdido que a imprensa chama de "administrar resultado". Contra a Chape, foi assim

Já vi dezenas de vezes o Palmeiras perder por esse motivo e jamais me saiu da cabeça aquela derrota de 4x3 para o Vasco de Romário e Juninho Paulista quando em que em vez de ir pra cima numa noite em que tudo dava certo e fazer quatro, cinco ou mais gols, os jogadores palmeirenses, em cumplicidade com a torcida, preferiram aplicar o famigerado "olé"!

Não era o caso do jogo contra a Chape, mas o episódio vivido numa longínqua noite de  passou pela minha cabeça assim que o time catarinense fez o primeiro gol e diminuiu o placar para 1 x 3. 

A irritante acomodação do time na etapa complementar proporcionou à Chape equilibrar o jogo, embora sem ameaçar nunca a vitória palmeirense que poderia ter sido mais ampla houvesse o time atuado com mais gana pelo gol.

De qualquer forma resta o lenitivo de que o time ao menos não jogou para trás como vinha acontecendo sistematicamente proibido qie foi pelo técnico Abel Ferreira.

Outro aspecto digno de nota foi tático, traduzido pelo apoio contínuo dos laterais palmeirenses nas jogadas ofensivas e a presença constante de quatro ou cinco atacantes palmeirenses para a disputa das bolas cruzadas em direção á área.

Esses aspectos melhoraram significativamente a conduta da equipe, sobretudo por tudo o que se viu na primeira fase, com destaque para o que vou chamar de ressurreição de Wesley que dividiu com Scarpa a condição de o melhor em campo.

Para encerrar gostaria que você que me lê analisasse o jogo de ontem e que falasse, também da saída ou não de Tite da Seleção.

Como o assunto envolve política, permitirei excepcionalmente que quem participe insira também -de maneira equilibrada e apenas nesta postagem- assuntos de ordem política.

COMENTE COMENTE COMENTE

5 Comentários:

  • Às 6 de junho de 2021 19:30 , Anonymous Ayrton / escuderia alviverde disse...

    Respondendo ao comentário do insuperável na postagem anterior em relação ao Deyverson e Mattos.
    Antes de Mattos contratar essa lombriga, cuca avalizou a contratação.
    Ou seja, Cuca Beludo indicou e Mattos contratou.
    Não usarei o termo que o senhor usou. Então escreverei que temos, ou tínhamos duas Antas: Cuca que quis essa lombriga e Mattos que fez a festa..

     
  • Às 6 de junho de 2021 19:33 , Anonymous Ayrton / escuderia alviverde disse...

    Volto a repetir. Com contratação tipo Deyverson, não sabemos depois o por que o Flapress nos batem feito garotas da Molly em Curitiba.
    Aí a gente fica botando culpa no arbitro, na globo, no Galvão, na macumba...

     
  • Às 7 de junho de 2021 16:12 , Anonymous MestredosMagos disse...

    A Copa América não serve para nada nesse momento para nenhuma seleção. Além de trazer 9 países pra dentro do nosso, vem no pacote repórteres, comissões, camera-man, equipe de limpeza e cozinha, INCLUSIVE repórteres de outros países de fora da América, ou seja, uma mundice de gente de países contaminados, para dentro do nosso que já não tem competência nem para cuidar daqui. E numa dessas virão outras cepas mais poderosas como a indiana, que poderão devastar mais o país ainda. Não tem nada de esquerdista, petista, comunista, olavista, terraplanista, isso é coerência. Nossos campeonatos locais, como o nome diz, são locais. Trazer pessoas de 9 países e mais pessoas de outros continentes para cobertura é abrir as portas para novas cepas mais destrutivas.

     
  • Às 7 de junho de 2021 17:08 , Anonymous Anônimo disse...

    Tia Ester que está uma fera, muito braba mesmo, com a estúpida bagunça do Nortao Brabo (que é só reflexo de um heroi cobrado, mas que nunca paga, hehehe) diz, affirma o seguinte:

    a. tem razão o M. dos Magos original: essa Kopa America no Brasil é de uma sandice immensa, immensurável, impressionante. Trazer um povo para ká jogar futebol(soccer ou football) por que a fracota Argentina nao kis, recusou-se, é de uma pequenez mental incrível.
    Só mesmo aki

    b. por outro lado, a acomodação palmeirística, vista pelo querido Alcides após 3 a 0 é classica de nosso time, e por que não, de nosso país. A preguiça macunaimística toma conta e um bom brasileiro quer se encostar no Estado (se for por Concurso, melhor) e praticar a assídia, nada fazendo, descansando e indo tomar pinga ou cerveja numa praia qualquer, igualmente sem nada fazer...
    Se 1, 2 , 40, 350, 10 mil, 200 milhoes pensam igual temos um resultado: a repúblika bananeira, imbatível em bunda, samba e asneiras televisivas. Nisso sim, somos os melhores, incontestes!

    Tia Ester
    anônima nada, sou eu mesma

     
  • Às 7 de junho de 2021 19:17 , Blogger ester abea disse...

    e permitam a Tia Ester ser chata e achar pelo "ni" ovo

    nao sei por que a SEP cisma de jogar de uniformes diversos do belo verde na camisa e calçao branco. Já vi de tudo, mas o pior foi um todo cinza(que pretendiam ser prateado) num jogo contra o Fluzinho, que obrigou o time todo a mudar de roupa...
    Quando foi o amarelo-esverdeado de alguns annos atrás, dava para aguentar por que era bonitinho e era sabidamente jogada de marketing.
    Mas azul, todo verde, e tantas outras combinaçoes esdruxulas só desmerecem o clube de umiforme mais vencedor em todo o futebol brasileiro
    O único uniforme differente aceitável foi akele amarelo e azul, quando metemos 3 a 0 no Uruguay, representando o Brasil, lá por 1965(Mineirao).
    Os outros nao. Verde e branco fez do Palmeiras o maior Campeao!

    Segundo o ótimo Palmeirasonline, Dudu logo será liberado. Refforço refforçador!!!!

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial