Observatório Alviverde

07/02/2018

IMPRENSA MINEIRA DESTACA O PALMEIRAS COMPARANDO-O COM O CRUZEIRO!


O jornal "O Estado de Minas" publicou uma reportagem na qual divulgou uma estatística acerca do movimento de público e do dinheiro arrecadado pelos principais clubes brasileiros, do início do ano a esta data.

Não vou republicar a mencionada reportagem mas realçar alguns tópicos importantes que envolvem o Palmeiras.

A reportagem, da autoria de um repórter que não conheço, Paulo Galvão, certamente cruzeirense, começa  dizendo que "O Cruzeiro é o time brasileiro com melhor média de público neste início de temporada: 104.153 pessoas pagaram para ver o time nos três jogos em que foi mandante, no Mineirão".

E continua:

O número supera o do Palmeiras, outro clube cuja torcida tem comparecido em bom número em 2018 e o do Corinthians, outro clube que tem conseguido bon públicos, mesmo atuando no Pacaembu - o Itaquerão passa por manutenção do gramado.

Eu destaco: o repórter deveria saber que o Curica leva muito mais publico quando atua no Pacaembu.

E o tal Galvão continua mantendo o seu doentio e indisfarçável cruzeirismo o ter ido buscar esta informação:

"a última 'façanha' da raposa foi registrar 47.499 pagantes no clássico contra o América..."

Façanha?

47 mil pagantes nas décadas de 60, 70 e 80 era um público, apenas, mediano.

Então ele afirma que somados todos os outros jogos do Estadual (Mineiro) o Cruzeiro "ultrapassou a marca de 100 mil torcedores em estádios, mais que, somados, todos os outros jogos do Estadual) ...

Depois disso ele discorre sobre o bom desempenho do time em campo e conta o segredo para a presença de tão bons públicos nos jogos do Cruzeiro.

"Se na primeira fase do Estadual o clube tem feito promoção, com bilhetes custando a partir de R$ 10, a tendência é que os preços sejam majorados para a Copa Libertadores"...

 Aí eu me lembro daquele velho bolero, sucesso dos anos 60s, da saudosa Edith Veiga, "Faz-me Rir"...

Então o repórter mineiro publica (ao menos foi honesto) que a receita bruta do Cruzeiro em três jogos nos quais foi mandante atingiu R$ 1.390,532,00 e o Palmeiras, sem qualquer promoção, obteve uma receita de R$ 6.259.913,50.

Após a leitura desses últimos parágrafos mudei a página do jornal e deixei de ler a inútil meia página que seguia, na sequência da reportagem, com um artístico gráfico explicativo...

Sabem por que?

O Cruzeiro, com ingressos de 10 reais, nestes três primeiros jogos do ano conseguiu 104.153 pagantes em três jogos, o Palmeiras, cobrando o maior preço de ingresso do país teve  um público total de 96.104, ou seja, apenas 8.049 torcedores a mais. Isto é diferença? (AD)

Quem quiser opinar e-mail-me;

alcidesdrummond@yahoo.com.br

1 Comentários:

  • Às 8 de fevereiro de 2018 11:53 , Anonymous Ricardo Borgo disse...

    Ricardo Borgo
    Para:alcidesdrummond@yahoo.com.br
    8 de fev às 08:13

    E por falar em Cruzeiro, comprovo vossa tese pois por diversas vezes que estive em

    Belho Horizonte e principalmente conversando com torcedores da “Raposa”, percebi

    como comem mortadela e arrotam peru. São cheios de primeiro Palestra, e querem ser

    superiores ao nosso Palmeiras. Agora vêm com essa de maior público.kkkkkkkkkkkkkkkk

    Até os Curicas têm maior público com entradas adquiridas a R$ 10,00. Mas por outro lado,

    precisamos mostrar dentro de campo que somos superiores porque em nossas últimas

    jornadas contra os azuis temos sido infinitamente ridículos.

     

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial