Observatório Alviverde

25/06/16

CUCA, ONTEM, ESTEVE INFELIZ NA ESCALAÇÃO E NAS SUBSTITUIÇÕES! MAS VUADEN DEIXOU DE MARCAR UM PÊNALTI ESCANDALOSO CONTRA OS MINEIROS!


O Palmeiras esteve muito aquém de suas reais condições neste primeiro tempo. Jogou um futebol tosco, sem criatividade e de pouca ofensividade.

Jean faz muita falta na lateral direita, Egídio me fez sentir saudades -até- de Zé Roberto e Cleiton Xavier alguém pode me dizer se ele entrou em campo?

Na verdade, para jogar razoavelmente, o Palmeiras tem de melhorar. Muito!

Essa melhora principia pela saída de Cleiton Xavier, figura decorativa, mas se sair Egídio também será de bom tamanho.

O Palmeiras precisa se cuidar porque esse adversário é fatídico!


COMENTE ATÉ QUE FIQUE PRONTA A POSTAGEM FINAL ...                                                                                                  

Creio ser impossível que Cuca ainda não tenha percebido que "Fabiano cintura dura" -pelo que mostrou nos dois jogos dos quais participou- não é jogador para o Palmeiras! 

A escalação e (depois) a manutenção desse jogador, "presente de grego", digo, de Mattos à torcida palmeirense) foi um tiro no pé.

A defesa toda esteve claudicante, menos Dracena, a exceção.

Vitor Hugo jogou mal em consequência de ser o último homem do corredor da morte, em que ele tinha à frente, respectivamente, o claudicante Egídio e o improdutivo Cleiton Xavier.

É inadmissível que por um "dengo" de Mattos e um capricho de Mattos, o Palmeiras tenha dispensado o seu melhor jogador -claro que é Valdívia-, direito deles, desde que providenciassem a imediata reposição.

Sem o apoio de um armador, Dudu, Gabriel Jesus e -antes deles- Roger Guedes não jogaram, praticamente, nada em um jogo no qual, a rigor, apenas Edu Dracena, Moisés, ressalvando-se que Gabriel Jesus foi caçado o jogo todo e jogou mais deitado do que em pé, sem que o árbitro gaúcho aplicasse os cartões aos jogadores cruzeirenses.

A arbitragem gaúcha de Vuaden, interveio diretamente no resultado do jogo e prejudicou terrivelmente o Palmeiras ao deixar de marcar um pênalti muito visível da zaga cruzeirense sobre Edu Dracena, no final do jogo e que poderia ter proporcionado o empate ao Verdão.

Cuca foi infeliz nas alterações processadas ao deixar em campo o vulnerável lateral Fabrício sobre o qual o Cruzeiro forçou todas as jogadas ofensivas no segundo tempo.

A saída de Roger Guedes, jogador ofensivo e com capacidade individual de decidir foi tão errada quando a entrada de Luan, jogador que só entra em campo para ajudar a defender ou a manter os resultados.

De qualquer forma não será um resultado negativo diante de um clube como o Cruzeiro, na casa do adversário, que irá trazer-me desânimo ou desespero.

Creio, firmemente, que o Palmeiras tenha time para continuar brigando pela liderança, embora agora o Verdão tenha que contar também, com o tropeço dos adversários.

Paralelamente o clube tem de reclamar, espernear e criar um verdadeiro escarcéu contra as arbitragens, mas como fazê-lo se o time não tem ninguém capacitado a fazê-lo, menos ainda o seu diretor de futebol a quem caberia essa tarefa.

Em relação ao time e ao elenco, após 75 jogadores contratados chega-se à conclusão que, apesar dos progressos, o time não tem laterais eficientes e em número suficiente, tanto e quanto não dispõe de zagueiros e nem de um armador capacitado, à altura das necessidades da equipe.

COMENTE COMENTE COMENTE