Observatório Alviverde

09/05/2009

PALMEIRAS 2 X 1 COXA. FOI UM JOGO DIFÍCIL E DESGASTANTE. O INCOMPETENTE ÁRBITRO BAIANO ARILSON ANUNCIAÇÃO METEU A MÃO E PREJUDICOU DEMAIS O PALMEIRAS!

O Palmeiras mesmo com um mistão era melhor em campo e encurralava o Coritiba. O gol do Verdão já havia pintado várias vezes, mas a bola, caprichosamente, não entrava. Além da precipitação e do nervosismo de nossos atacantes, o goleiro coxa-branca, de nome Vanderley parecia iluminado e se constituía em um autêntico paredão.
Tudo fazia crer que o planejamento de Luxa, no sentido de poupar os melhores jogadores do elenco para o jogo decisivo contra o Sport pela Libertadores, seria cumprido em sua íntegra. Era simples questão de tempo. Mas o péssimo árbitro baiano Arilson Bispo Anunciação incorreu em um um erro primário e fez ruir as projeções palmeirenses. Aos 31 do primeiro tempo, assinalou, de forma absolutamente equivocada, um hipotético penalti de Jéferson que Marcelinho Paraiba converteu com categoria e mestria estabelecendo 1 x 0 para o Coritiba. O penalti, impropriamente marcado, mudou o perfil do jogo comprometendo todo o planejamento palmeirense. A arbitragem que era ruim, tornou-se péssima! Senão, vejamos.
Os mesmos rigor e convicção do Sr. Arilson Anunciação na marcação desse penal contra o Palmeiras não foram parâmetros, aos 6 minutos do segundo tempo, quando do primeiro penalti sofrido por Ortigoza, escandalosamente seguro dentro da área. Tampouco aos 14 minutos, em novo penalti, quando o beque do Coritiba levantou o pé em demasia, quase acertando o rosto do paraguaio, para, logo em seguida, cometer um toque de mão flagrante, na sequencia da mesma jogada. Muito menos aos 36 minutos quando Jeferson em arrancada pela esquerda, invadiu a área e foi empurrado, em lance que o "soprador de apito" da Bahia, resolveu, novamente, ignorar, não sem aplicar, injustamente, cartão amarelo ao palmeirense.
Mas o Palmeiras, substancialmente reforçado no segundo tempo pela elite de seu elenco, deu a volta por cima. Estabeleceu, de virada, dois a um sobre o Coritiba, estreando com o pé direito no Brasileirão 2009. Keirrison, Diego Souza e, principalmente, Cleiton Xavier conduziram o Palmeiras a mais esse retumbante triunfo.
Pode-se e deve-se dizer que, independentemente do resultado positivo, o Palmeiras jogou bem tanto no primeiro, quanto no segundo tempo. O time teve disposição, raça e muita determinação. Mas do que isso, mostrou gana e vontade de vencer. É isso o que todo o palmeirense espera, sempre, de seu time, em qualquer competição.
Perder, vez por outra se perde. Só não se admite a entrega e a passividade. E, se não pudemos cumprir a risca o planejamento estipulado, ao menos conseguimos estrear com o pé direito, elevando o moral da rapaziada para a próxima "batalha dos guararapes".
Foi um dia em que todos atuaram bem, Keirrison, inclusive. Menções honrosas para o veterano Marcão (um portento) , para o garoto Souza (que personalidade) , para Diego (que individualidade) para Cleiton Xavier (mudou drasticamente a tática e o destino do jogo), mas, principalmente para Wendel, a expressão superlativa do espetáculo e a síntese perfeita de todas as virtudes palmeirenses na grande vitória sobre o grande clube paranaense!
------------------------------------------------------------------------------------------------
TRANSMISSÃO NOTA 5,5 DO PREMIERE. UM SHOW DE AMADORISMO, DE PROVINCIANISMO, DE OMISSÕES E DE ABOBRINHAS.
Embora não seja um locutor de ponta, Linhares Jr é um bom locutor em termos de composição de equipe. Transmite com correção, não comete gafes com frequencia, é bem informado e evita entrar na seara do comentarista. Mas, seguindo, quem sabe, a orientação de produtores ou diretores de pouca visão, incorre no mesmo erro de outros narradores pelo excesso de filigranas, de informações desnecessárias e de estatísticas absolutamente irritantes nas transmissões, em detrimento da identificação dos jogadores.
Quem se der ao trabalho de fazer uma avaliação na transmissão de hoje verá que de quase cem minutos de transmissão, cerca de quinze minutos ou mais foram gastos com essas bobagens. O que nós telespectadores queremos saber é quem está com a bola e não o que aconteceu no tempo em que se "amarrava cachorro com linguiça."
Em sua ânsia incontida por falar, saiu com esta: "Pode parecer que Carlinhos e Marcelinho Paraiba são irmãos, mas não são, como se o gentílico adotado fosse um sobrenome. Joana entrou e, na qualidade de apedêuta desse assunto, nada acrescentou. Noriega corrigiu e disse que eles eram "conterrâneos". Dá para aceitar o termo, considerando a Paraiba como estado natal de ambos, mas o termo mais correto seria "co-estaduanos".

Por falarmos em Noriega, ele perde-se um pouco em jogos do Palmeiras. Passa a impressão que quer ser tão justo e tão imparcial nas análises que acaba perdendo a noção de coerência, promovendo injustiças contra o time. Ademais, em jogos do Palmeiras, Noriega só é enfático quando o lance é desfavorável ao Verdão. Quando o lance é favorável, o depoimento de Noriega é tíbio e tímido suscitando dúvidas ao telespectador. Exemplifico o que disse nos tópicos abaixo:
1) A marcação do penalti de Jeferson foi um escândalo. Noriega definiu bem quando disse, embora timidamente, que não houve imprudência ou intenção do palmeirense em cometer a infração. Em seguida, afinou, falando em critérios de arbitragem. Critérios, como? O bom-senso exige que o comentarista desça do muro e diga com clareza o que aconteceu. Ainda que fosse um mero "critério", esse critério é certo ou errado, Sr Noriega ?
2) Quando Jumar recebeu cartão amarelo, sequer houve falta dele em Carlinhos Paraiba. Jumar esticou a perna esquerda e tocou, simplesmente, a bola. Noriega e Linhares não deram qualquer importância analítica ao fato e "segue o jogo".
3) Aos 32 minutos Noriega fez o seguinte comentário: "Essa vitória parcial do Coritiba não é reflexo de uma boa atuação do time do Coritiba!" Acertou. Era o retrato do jogo. Mas, por que não frisou a participação deletéria do árbitro baiano e o erro monumental da marcação do penal ?
4) Aos 14 minutos do segundo tempo Ortigoza recebeu na área adversária, de costas para o zagueiro. Na tentativa de impedi-lo de dominar a bola, o zagueiro ergueu o pé, quase a altura do rosto chegando a resvalar no lado esquerdo do corpo do paraguaio. Ali já se configurou um lance perigoso. Na sequencia do mesmo lance, a bola foi tocada pelo zagueiro com a mão, de forma acintosa e escandalosa, mas o árbitro nada marcou.
Comentando o lance, Noriega disse que, estando ele na cabine e longe do local , não poderia afirmar se o zagueiro do Coritiba teve ou não a "intenção" de cometer o penalti.
Por que não avaliou a jogada perigosa ? Por que não definiu o lance, ainda que dando razão ao árbitro? Definição é o mínimo que se espera dos comentaristas!
5) Noriega, porém, não se absteve de afirmar, enfaticamente, que Keirrison, no lance do gol da vitória, "parecia que estava um pouco à frente" do zagueiro do Coritiba, embora, frisasse que era um lance de difícil interpretação. Viram como quando o lance é contra o Palmeiras Noriega não vacila?
Só que errou duplamente, rotundamente, haja vista que não considerou a posição oblíqua da câmera, a velocidade fulminante da jogada e nem se lembrou da recomendação da Fifa aos bandeiras, segundo a qual, em caso de dúvida, segue o lance.
6) Por volta de 40 minutos o árbitro assinalou um toque de Ortigoza que a reprise do lance não confirmou haver existido. Chamado, Noriega brindou-nos, novamente, com o surradíssimo lugar comum ao dizer que era uma questão de interpretação do árbitro emendando que "no futebol, tudo é uma questão de interpretação e que é por isso que o futebol é LEGAL".
Sem querer cobrar-lhe um termo mais adequado do que a gíria, utilizada impropriamente, ressalte-se, Noriega, que, pelo contrário, é por isso que o futebol é uma lástima. Como disse o Luxa, com muita propriedade na entrevista após o jogo, "hoje apita o Arilson , amanhã apita o Vuaden, depois um paraguaio, um colombiano, um chileno, com critérios de interpretação diametralmente opostos. Como é que ficam os jogadores?
Não quero, com essas críticas, subestimar ou subtrair o imenso valor de Noriega, uma das raríssimas exceções em termos de qualificação profissional e dignidade da nova crônica esportiva brasileira.
Mas, convenhamos, quando ele trabalha em jogos do Palmeiras, como o Palmeiras sofre ...
Sobre trabalho dos repórteres registre-se:
Joana de Assis precisa trazer mais conteúdo às transmissões e parar de "pegar carona" com o narrador nas famigeradas estatísticas. Cereto foi bem no trabalho de hoje, ressalvado o fato de
ter dito que "no Palestra, desde os tempos de Felipão os gandulas jogam com o time e retardam a reposição de bola quando o Palmeiras precisa garantir um resultado". Já que ele é "gambá" declarado, porque não informa qual foi o clube que iniciou esse processo vergonhoso no futebol brasileiro, quando dos jogos no Pacaembu e o faz até hoje ? Será que ele se esquece que no jogo contra o Vasco que antecedeu a queda deles para a segunda divisão, um gandula atirou uma bola para dentro de campo no momento em que o Vasco ia fazer o gol e até hoje não houve punição ao clube por parte do STJD, presidido, coincidentemente, pelo corintiano Rubens Aprobatto Machado ? Será que Cereto desconhece que o único estádio do país onde não há pressa ou retardamento de jogo é o Mineirão ? Da forma como ele colocou, parece que só o Palmeiras faz uso dessa prática que deveria ser vista e revista pelas leis esportivas brasileiras, apenando-se os clubes com perdas de pontos ou com inversão do mando de jogos.
PREMIERE E CANAIS GLOBOSAT ONDE ESTÁ O CADE QUE NÃO ACABA COM ESSA EXCLUSIVIDADE PERVERSA QUE TANTO PREJUDICA O TELESPECTADOR BRASILEIRO?
Meu Deus como essa gente é amadora e não sabe fazer televisão! Agora não estou mais falando dos profissionais do áudio mas dos canais em sí. Uma lástima que não se possa mudar de canal.
No auge do jogo, aos 42 minutos do segundo tempo, o Palmeiras ganhava por dois a um, mas era ameaçado mas pelo Coritiba. Sabe o que fizeram esses incompetentes diretorezinhos do Premiere ? Simplesmente colocaram no ar, SEGUIDAMENTE, tres dos quatro gols do jogo do Atlético Mineiro, em prejuízo da torcida palmeirense. Com o Sportv fazendo ao vivo o jogo do Galo, qual o torcedor atleticano que estaria acompanhando Palmeiras X Coritiba ? Ou os caras são burros, ou estão querendo provocar a torcida palmeirense. Numa hora dessas ninguém quer saber de gol de ninguém, nem que fossem gols assinalados contra Corintians ou São Paulo, nossos dois maiores rivais.
Os Canais Globosat continuam com o amadorismo de não focalizar os patrocinadores dos clubes, colocando as caras dos entrevistados nas coletivas tomando conta de toda a tela. A doença é contagiosa e atinge a emissora matriz. É um show de mau-gosto e antiprofissionalismo, com a consequente desvalorização dos patrocinadores e dos próprios clubes.
O Clube dos 13, se tivesse um grama de moral, deveria chamar essa gente às falas. Mais uma vez esconderam as nossas marcas, logotipos, baners e até o nome dos patrocinadores inserido nos microfones. Uma vergonha!

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

31 Comentários:

  • Às 10 de maio de 2009 03:36 , Anonymous Ken Gor disse...

    Alcides, Parabéns pelo post. Percebi grande parte das coisas que você também percebeu, além de que me fez ter ainda mais raiva do Noriega. Me explique por que você ainda insiste em elogiar seu profissionalismo. Acredito piamente que trata-se de um grande incompetente.

     
  • Às 10 de maio de 2009 03:42 , Anonymous Ken Gor disse...

    Impressionante que, mesmo depois do caso Edilson, nenhum jornalista da nossa gloriosa imprensa ousa questionar a honestidade dos árbitros brasileiros. Será coincidência eles serem tão ruims assim? Será tudo isso fruto de pressão nos bastidores (ou falta de)? Ou seria tudo fruto de um esquema?

     
  • Às 10 de maio de 2009 09:29 , Anonymous Edson disse...

    Ganhamos apesar do juiz.
    O roubo foi a céu aberto, claro e nítido, cirurgia sem anestesia. A diretoria tem que protestar para que no restante do campeonato não sejamos prejudicados.
    A amostra foi terrível.

    Wendel, a meu ver, o melhor homem em campo. Também jogaram muito bem o Souza, o Marcão e o Diego Souza.

    O fato mais engraçado da transmissão foi o Linhares Jr. dizer ao telespectador que Marcelinho Paraíba e Carlinho Paraíba não eram irmãos, esquecendo-se que Paraíba não é sobrenome. Foi uma barriga que ele comeu.

    E que venha o Bambixport!!!

    Saudações esmeraldinas.

     
  • Às 10 de maio de 2009 10:22 , Anonymous Anônimo disse...

    Ken Gor, do alto de sua inquestionável capacidade de análise de tudo, pouco importa se você me acha incompetente ou não. É um direito seu. Agora, é um poço de incoerência o seu post cobrando da imprensa posição contra a arbitragem quando foi a imprensa que denunciou o escândalo da arbitragem. E é a mesma imprensa que cobra dia a dia coerência e critério dos árbitros. Seja você mais coerente em seu protesto da próxima vez.
    Ass: Maurício Noriega

     
  • Às 10 de maio de 2009 11:22 , Anonymous Anônimo disse...

    Tenho profundo respeito pelo Alcides Drummond e por todas as mídias de torcedores, por isso deixo essa mensagem.
    Deve ter sido um trabalho péssimo ou imparcial, porque há palmeirenses e coxas reclamando de alguns comentários meus.
    Por esse respeito que tenho para com todos os torcedores, deixo aqui alguns pontos.
    1 - Eu disse na transmissão, acho que fui bem enfático, ao contrário do que afirma o Alcides, que não marcaria o pênalti do Jeferson. Pra mim aquilo foi trombada, acidente de trabalho, não houve intenção nem imprudência. E também disse que o lance é interpretativo. Ponto. Tem gente que acha pênalti, tem gente que não acha. Ontem mesmo ouvi corintiano afirmar que não foi pênalti e palmeirense dizer que foi. Reparem que o jogador do Coritiba que está próximo à jogada, o Pedro Ken, sequer esboça reclamação e vai seguir na jogada.
    2 - Também disse que é falta de critério do juiz (bem fraco por sinal) não marcar mão do zagueiro do Coritiba dentro da área com o Ortigoza e marcar mão do Ortigoza no outro lance quando foram rigorosamente iguais. Ou marca os dois ou não marca nenhum.
    3 - Também disse e reafirmo que é interpretação o lance do suposto pênalti sofrido pelo Jeferson e afirmou que foi pênalti escandaloso do Felipe no Ortigoza, esse o mais claro de todos. Bem enfático, o que o Alcides esquece de colocar, afinal ele enfatiza apenas o que interessa a ele enfatizar.
    4 - O lance do Keirrison é pra lá de polêmico, o do segundo gol. A imagem também não esclarece nada e, nesses casos, como todos estão cansados de repetir, a orientação é deixar correr. A imagem apenas sinaliza, não esclarece, que o Keirrison pode estar com o pé esquerdo um pouco à frente, o que o bandeira não consegue ver porque há dois jogadores do Coritiba à frente dele. Falo pelo que vejo da imagem.
    5 - Maldade com o Linhares chamar de barriga a brincadeira que ele faz com os Paraíba. Barriga é informação errada, não brincadeira, no jargão jornalístico.
    6 - Se os dois técnicos saíram reclamando do juiz (fraco, repito) é porque há motivos para protestos dos dois lados.
    7 - Sobre parar a transmissão do jogo e mostrar gols de outras partidas, eu também não gosto e já manifestei isso em algumas reuniões. Mas sou café pequeno, bem pequeno.
    8 - Críticas são sempre bem vindas e analisadas com humildade e respeito, mas me permito o direito de responder quando achar que algumas ultrapassam o limite do bom senso, assim como aceito todas que são educadas, argumentadas e não são histéricas.
    9 - Alcides, se alguém afirma que o Keirrison parecia estar adiantado isso não pode ser enfático, concorda? As palavras não andam juntas, parecer e enfatizar. Incoerente seu comentário, além de inconsistente, já que não há jogo perigoso algum ali, não há um jogador que reclame disso. Embora o toque seja passível de interpretação.
    10 - Boa sorte às mídias torcedoras, sucesso porque são muito necessárias e Feliz Dia das Mães a todos, avós, mães, pais, filhos e netos.
    Abs a todos.
    Maurício Noriega

     
  • Às 10 de maio de 2009 13:35 , Anonymous Para Maurício Noriega, disse...

    Que ótimo receber, pela primeira vez, a visita e a postagem do Noriega. Pena que em clima de debates e discussões sobre o trabalho dele. Mas, como disse Gonçalves Dias, "a vida é combate que se aos fracos abate, aos fortes, aos bravos, só pode exaltar". Ao encarar de frente as críticas, Noriega ratifica que é um homem de força e de caráter e eu gosto disso.
    Nori, aceito a sua defesa, as suas observações, as suas razões e as suas críticas às minhas críticas. O contraditório é necessário porque só ele nos aproxima da verdade e do consenso. Mas que não sejamos nós a nos julgar.
    Voce sabe, perfeitamente, que o respeito (muito), haja vista que tornei-me um "habitué" de seu espaço na Web, de altíssimo nível por sinal. Se as minhas críticas neste espaço, que partem de minha alma palestrina e de minha experiência profissional não se constituírem em empecilho, sem dúvida que continuarei partícipe de seu blog. Aliás, aproveito o ensejo para recomendar aos participantes do OAV que também participem. Aproveitando o ensejo, gostaria de propor-lhe, publicamente, a troca de links, como um gesto de aprovação nossa e da grande maioria dos participantes deste Observatório ao profissional Noriega, figura pública de relevância que, em razão disso, será sempre analisada com sentimentos de aprovação ou reprovação, dentro e fora da Web.
    Agradecemos e retribuímos os seus votos de Feliz Dia das Mães, esperando poder recebê-lo com mais frequencia neste espaço palmeirense.

    atenciosamente

    Ass: Drummond

    PS: Quero salientar que continuo sem encontrar o seu livro em Belo Horizonte.

     
  • Às 10 de maio de 2009 13:52 , Anonymous Anônimo disse...

    Drumond, estou aberto ao debate e às críticas. Erro como qualquer ser humano. Só quero salientar que não persigo ninguém e também acho errado que alguém tenha idéias sobre meu trabalho que não condizem com o mesmo. Podem me achar o pior comentarista do planeta, mas nada tenho contra time algum e comento de forma igual para qualquer equipe. Gostar ou não é um direito de quem assiste. E estou de peito e mente abertas para receber as críticas honestas e sem preconceito ou perseguição.
    Abs.
    Maurício

     
  • Às 10 de maio de 2009 14:18 , Anonymous Ken Gor disse...

    Noriega, entendo a sua insatisfação com minhas colocações. No entanto, quem acabou sendo incoerente foi você, porque o absurdo se instala justamente no fato de que, se foi a imprensa que denunciou o esquema (convenhamos, ela apenas noticiou, o que era sua obrigação, mas não foi ela que instalou grampos de telefone), era justamente ela que devia ficar mais esperta com relação a isso mesmo anos depois. Esse caso foi denunciado, mas quem disse que não existem outros acontecendo debaixo do pano? Também aproveito para questionar o seu item 6, que mostra um constante vício seu dentro das transmissões, que é ficar encima do muro. Dentro de todas as constatações sobre arbitragem feitas nesse espaço (todas a favor do Coritiba), se o técnico René Simões saiu reclamando, então ele se mostra completamente equivocado. E se todo mundo diz que o Luxemburgo desvia foco pra arbitragem, o que o René fez é exatamente isso, tirando todas as atenções de seu time altamente limitado tecnicamente.

     
  • Às 10 de maio de 2009 14:30 , Anonymous Ken Gor disse...

    Um outro ponto a se salientar, é que aqui ninguém quer saber se você gosta mais desse ou daquele time, mas apenas que seus comentários sejam justos com o que vemos pelas transmissões, o que quase nunca acontece numa transmissão de jogo do Palmeiras. Gostaria que essa crítica fosse aceita pela sua parte, assim como Mauro Beting fez (apesar desse ainda cometer muitas injustiças). Talvés sim, apartir dai, sua competência começará a ser reavaliada não só por mim, mas por muitos palmeirenses. Peço desculpas pelo exagero do meu primeiro post.

     
  • Às 10 de maio de 2009 14:48 , Anonymous Anônimo disse...

    Ken, aceito todas as críticas, embora não concorde com muitas delas. Vc está errado ao dizer que todas as observações são favoráveis ao Coritiba. E principalmente porque opiniões não são favoráveis, são opiniões. E vc esquece que eu falo que não foi pênalti do Jeferson e que o Ortigoza sofbreu pênalti, por exemplo. Ou seja, fala apenas do que não concorda.
    Nunca tive problema em reconhecer erros e até já voltei atrás em opiniões dentro de um próprio jogo. Só não tenho má vontade com ninguém, que é o que parece que você tem comigo. E não comentamos para agradar ninguém, por isso temos de estar prontos para as críticas e os elogios.
    Mas seguimos e obrigado pelas opiniões.
    Abs
    Maurício Noriega

     
  • Às 10 de maio de 2009 14:52 , Anonymous Edson disse...

    Noriega, bem vindo a esse espaço.

    Concordo com o post quando se refere à sua qualidade profissional. Concordo também quando dizem que alguns jornalistas esportivos, com medo de parecerem parciais, se tornam injustos, notadamente quando as discussões giram em torno de lances do Palmeiras.

    Não usei de maldade em relação ao Linhares. Achei engraçado. A expressão comer barriga, para mim, tem o sentido de engano. Agora, que foi uma confusão que ele fez, naquele momento, foi. Tanto que você saiu defesa do Linhares, e prontamente corrigiu dizendo que aquele paraíba era porque os mesmos eram conterrâneos.

    Saudações.

     
  • Às 10 de maio de 2009 15:12 , Anonymous Alceu Gutierrez disse...

    Meus amigos eu acho que eu sou o menos indicado para falar desse assunto de locutores porque sou um homem velho que sentou muito pouco no banco da escola porque no meu tempo gente pobre era dificil de estudar. O pouco que eu sei eu aprendi na faculdade da vida e eu sei que eu sempre erro muito quando eu escrevo. So que eu não tenho medo de falar o que eu penso e eu gosto muito desse rapaz o Noriega que comenta muito bem e tem uma voz muito boa da gente ouvir. Ele também tem todo o direito de errar porque ninguem é deus e todo o mundo esta sugeito a isso. Só que esse rapaz erra poco e comenta o jogo do geito que eu gosto. Só de ele ter vido aqui se defender mostra que ele tem caracter e eu concordo nisso com o meu amigo Alcides. É bom ter gente importante aqui dando o maior valor a todos nos e ao nosso Palmeiras. Um abraçao ao Noriega e eu sou fan dele.
    Falando do jogo eu tambem acho que o time jogou com muita garra e acho que foi isso que deu a vitoria para nos. o Keirrisson voltou a jogar bem o Cleito Xavier jogou demais e foi o melhor dentro do campo. Agora eu quero que alguem me fale porque o Luxa não gosta do Wendel. Isso é muita implicança com ele que é um atleta feito dentro da nossa casa.
    Veja voces que não tem mais bons jogadores na posição dele e to pra dizer que não tem no Brasil nessa posição ninguém melhor do que ele.
    Um abraço ao Noriega, ao Alcides e um abraço a todos.

     
  • Às 10 de maio de 2009 15:22 , Anonymous O EDITOR disse...

    EDSON
    Repaldado pela sua lembrança, inseri na postagem a observação referente à impropriedade proferida pelo Linhares. Na verdade, foi um erro, não uma brincadeira. Você tem toda a razão. Entretanto, um pingo preto numa roupa branca não significa que a roupa esteja suja. Linhares é um ótimo locutor de linha absolutamente imparcial. Dá para acompanhá-lo sem ressalvas. Mas quando ele errar, como, de fato, errou, registraremos com naturalidade o fato, haja vista que vem ao encontro dos objetivos deste blog a análise crítica da conduta da imprensa, em face da SE Palmeiras.

     
  • Às 10 de maio de 2009 16:09 , Anonymous Ken Gor disse...

    Quando me referi sobre constatações a favor do Coritiba, quis dizer erros de arbitragem que favoreceram a equipe e que colocamos aqui. No final, você deu uma de Renê Simões e desviou o foco. Tudo que eu quis dizer é que é errado você dizer que os dois lados tinham direito de reclamar.

     
  • Às 10 de maio de 2009 18:46 , Anonymous Edson disse...

    Não acho que a referência aos Paraíbas tenha manchado a transmissão do Linhares Jr. Ele transmite a sensação de ser um locutor imparcial, pois não dá ao telespectador aquela sensação de que está torcendo para o adversário.

    Vi o jogo do Fluminense contra os Bambis e tive hoje, a certeza, que se tivesse vindo para o Palmeiras, o Thiago Neves já teria sido crucificado pela torcida. Jogo de muita firula e pouca entrega, embora demonstre boa condição técnica.

    Gol legítimo do Flu, 2x0, mas o impedimento passivo foi marcado. Lance difícil.

    Final de jogo, impedimento fácil de marcar não assinalado pelo bandeirinha, quase o Borges empata o jogo.

    Já começou?
    Quero ver a posição dos comentaristas do Sportv.

    Ontem, após o jogo do Palmeiras, Lofredo, o filho do Didi e mais um que não me lembro o nome, consideraram que no gol do Keirrison houve impedimento duplo, do keirrison e do Marcão, sendo esse clamoroso.
    Foram taxativos e não deram margem a dúvidas.
    Alguém viu o Marcão impedido? Eu não vi. Tampouco o Keirrison.

    Saudações esmeraldinas.

     
  • Às 11 de maio de 2009 00:37 , Anonymous Antonio Mirandola Bastos disse...

    Acabei de assistir o programa No Pique do Roberto Avalone na CNT.
    No meio do programa ele abriu um quadro de imagem com a CNT de Curitiba e bateu um papo com 4 comentaristas daquela cidade junto com o apresentador do programa esportivo de lá.
    Eram cinco cronistas do Parana falando do lance do gol do Keirrison que o Avalone colocou em discussão.
    Nenhum deles, eu vou repetir, nenhum deles, nenhum dos cinco disse que foi impedimento.
    Quando é que essa imparcialidade vai chegar na imprensa de São Paulo. Pelo visto nunca. Aqui parece que quando o cara não é tendencioso é um calça frouxa que tem medo de falar as coisas que favorece o Palmeiras. Se fosse pro time dos bambis todo o mundo ia dizer que era um lance muito rápido que não dava para o auxiliar ter a visão certa do lance e outras bobagens. Eles iam falar tambem que só a teve podia definir o que foi e depois iam ficar bem quietos. Voces viram que já começou a ajuda vergonhosa para eles? O Fluminense fez um gol legítimo que o juiz anulou alegando impedimento. Esses bambis são um caso muito serio porque é gente que sabe jogar fora de campo mesmo com o auxilio vergonhoso da maior parte da mídia paulista.
    Eu gosto muito do Noriega que comenta muito bem. Mas se eu fosse o Noriega ficava com vergonha de falar o que ele falou do lance do nosso gol. Sabem porque? Porque eu já vi ele falar em lances parecidos com o do Keirrison que na dúvida o bandeirinha tem que correr pro meio de campo e validar o gol. Porque que ele muda o comentário quando o Palmeiras faz esse tipo de gol? Não tem aquele negócio que quando o bandeirinha tem dúvida ele tem que dar o gol?

     
  • Às 11 de maio de 2009 09:15 , Anonymous Fábio Mendes disse...

    Olá, pessoal!!!

    Como deixei de fazer parte da imprensinha, acabei deixando meu site, Esporte Mais, de lado há alguns meses. No entanto, resolvi escrever no meu blógui um texto sobre o Juca Fkouri e sua parcialidade em relação ao Paulistão. Se puderem, deem uma passada lá e comentem: http://orapilulas.wordpress.com

    Aproveitem e também vejam os outros textos. O blógui é sobre assuntos gerais e o texto anterior fala sobre o Oasis. Abraços!!!

     
  • Às 11 de maio de 2009 11:19 , Anonymous Mestre dos Magos disse...

    CARAMBA

    Quanta coisa aconteceu por aqui, hehehehe.

    Olha amigos, acho que esse muda não muda o jogo da Libertadores forçou Luxemburgo a ter que poupar os titulares, pelo menos no primeiro tempo.

    Fosse o jogo da Libertadores na quarta, o Palmeiras poderia ter entrado tranquilamente com força total e o modesto Coritiba não aguentaria o Palmeiras, já na primeira etapa.

    Enão haveria nem discussão sobre as cagados do apitador.

    Aparentemente o Coritiba parecia estar abatido pelo fracasso no campeonato paranaense, onde tinha feito uma bela campanha e ficou apenas no quase.

    O Palmeiras, com apenas os 3 reforços que estavam no banco, sobrou em campo e acabou sendo premiado pelos deuses do futebol, que com certeza viam com pena um volume de jogo tão grande, tão superior, não se tranformar em gol.

    Marcão Zagueiro, fez uma belíssima partida. É firme, sério, líder, comprometido e põe ordem no setor.

    Foi uma baita contratação do Palmeiras.

    DO PALMEIRAS.

    E ele ainda vai entrosar e ganhar mais ritmo de jogo nos dando muito retorno no decorrer do brasileiro e libertadores.

    Estamos de cabeça meio quente por causa da Libertadores e isso ferve nossos corações palestrinos até na hora de comentar um jogo, que ainda é apenas o começo de uma jornada de mais 37 partidas.

    Mauricio Noriéga, abraço meu caro e obrigado por engrandecer esse espaço com suas colocações.

    Moro na cidade de Bariri, sua querida Bariri-SP.

    Um dia quem sabe no encontremos.

    Para o fim desse comentário deixei uma BOMBA.

    Companheiros, podemos ter uma grande surpresa na próxima janela de agosto que se for conrcretizada, vai fazer tremer o brasileirão de vez.

    E não é o Alex Cabeção que só volta ao Brasil (se voltar) no começo de 2011 quando já estará com 34 anos.

    Esse mesmo Alex que a Trafic, junto com um grupo de empresários, mais Luxemburgo e Belluzo tentaram trazer para agosto agora, mas ele não quis. Dinheiro não era o problema. É coisa familiar, fazer o que?

    Mas tem um negócio andando sim e é grande.

    Vamos ver o que dá.

    Saudações Alvi Verdes de Coração a Todos.

     
  • Às 11 de maio de 2009 11:28 , Anonymous Marco disse...

    Infelizmente, tomei conhecimento sobre esse ótimo debate, aqui no OAV, apenas nessa segunda-feira.

    Tenho muitas coisas para comentar sobre esse isso, mas terei que escrever depois. (Noriega, Sportv, Arbitragem)

    Em relação ao Linhares e a outros narradores novos, mesmo que comentam enganos, torço por eles. Tenho esperança que esses novos profissionais possam substituir os Jotas Jrs que temos por ai.

    Sobre a Joana de Assis, julgo que ela deva ter um padrinho muito forte dentro do Sportv. Muito fraca, além de não sabermos se ela é funcionária da emissora ou da Assessoria de Imprensa do São Paulo. Em todas as transmissões, não importa o time envolvido, a moça procura dar informações do time do Jardim Leonor.

    No jogo de sábado, ela mostrou sua fragilidade técnica ao perguntar ao Luxemburgo se o Palmeiras ficaria contente com um empate, por escalar um time misto. Recebeu a devida resposta do treinador.

    Lembro de uma citação ridícula da moça, na partida válida pela semifinal do interior, entre Mirassol e Barueri. Ao notar o canto da torcida do Mirassol, homenageando seu goleiro Mauro, ela, na vontade de falar do seu querido São Paulo cita que o canto era semelhante ao da torcida sobre o goleiro Rogério Ceni. A saudação feita pela torcida do Mirassol era o tradicional canto da torcida do Palmeiras, para o goleiro Marcos, que no final diz ser o goleiro o melhor do Brasil.

    Fico contente em saber que a repetição de gols, durante a transmissão dos jogos não é uma aversão particular da torcida do Palmeiras. Uma decisão amadora de quem comanda a edição dos jogos, alguém que não conhece a vontade do torcedor e do assinante. Quem tem interesse nas outras partidas, muda de canal. Os intervalos e o pós-jogo são feitos para isso. Esse tempo poderia ser melhor aproveitado com imagens de outros jogos ao invés de ser ocupado por discursos desnecessários, feitos para passar o tempo.

     
  • Às 11 de maio de 2009 13:04 , Anonymous Zé Claudio disse...

    Meu véio disse que se Mauricio fosse baum naum começava cum Mau. rssssss. Brincadera, Nori. Verdão de novo 2 a 0 nus bambi arataca. Diego mete os dois. Eieieieieiei Porcooo

     
  • Às 11 de maio de 2009 14:27 , Anonymous raul bianchi disse...

    Excelente o noriega ter vindo postar aqui. eu indiquei este blog ao noriega e ao milton leite, e eles ao que parece, deram uma passada aqui. otimo.

    Marco, pq sumiu la do MP? seus comentarios sao importantes por la..apareça..

    abraço ao alcides.

     
  • Às 11 de maio de 2009 15:08 , Anonymous PARA RAUL BIANCHI disse...

    Raul
    Deixe o endereço para que todos possam postar por lá. Eu, inclusive. Não podemos nos dispersar.
    Um abração
    Alcides

     
  • Às 11 de maio de 2009 15:23 , Anonymous raul bianchi disse...

    www.mondopalmeiras.net

    abraços

     
  • Às 11 de maio de 2009 17:57 , Anonymous Anônimo disse...

    QQ torcedor não gosta de ouvir criticas e apontamento de erros do seu time ainda mais em rede, então poderia sugerir a ao PFC que se colocasse comentaristas que tem pelo menos simpatia pelo time, jogos do Gremio quem comenta é um gremista, jogos do inter o batista, do flamengo o jr. do palmeiras poderia ser o leivinha.

     
  • Às 11 de maio de 2009 19:31 , Anonymous Marco disse...

    A análise da equipe de transmissão do Sportv na partida entre Palmeiras x Coritiba é semelhante a de muitos outros jogos do time palmeirense e deve ser vista dentro do contexto da emissora.
    Fica difícil separar, em alguns casos, o que é conduta pessoal do jornalista e o que é política da emissora.
    O Sportv e a Globo são emissoras com credibilidade junto ao público esportivo semelhante a uma nota de três reais. Sua postura em relação aos clubes não inspira confiança, sendo visível sua preferência por três clubes no Brasil: Flamengo, Corinthians e São Paulo. Nessa linha de conduta o canal Sportv chega a manter em seu quadro de jornalistas um "comentarista-setorista". Renato Maurício Prado é o "torcedor oficial do Flamengo", encarregado de defender e divulgar os interesses do seu clube na programação da emissora.
    O Palmeiras, historicamente, tem sido a pedra no sapato dos times escolhidos. Esse fato ocorre desde a fundação do clube e já foi relato em livros, pesquisas e estudos técnicos sobre a cobertura jornalística do futebol e sua ligação com a sociedade brasileira. Hoje, a situação não é diferente. O Palmeiras, nesse ano de 2009, como foi em 2008, representa um risco para as pretensões dos senhores do futebol em consagrar os três times escolhidos para que um deles se torne o grande vencedor da temporada.
    A Globo e o Sportv não se preocupam em disfarçar mais, trabalham abertamente no sentido de justificar as falhas que os beneficia a encobrir outras que prejudicam os concorrentes. Na partida pela Copa do Brasil, entre Corinthias e Atlético paranaense, o comentarista de arbitragem, J.R. Wright, imaginando que todos os telespectadores fossem cegos ou ignorantes, teve a coragem para confirmar como penalidade o salto ornamental do atacante Ronaldo. Esse procedimento dos comentaristas de arbitragem é padrão da emissora, onde a avaliação do lance acontece de acordo com o clube envolvido.
    Muita gente pode julgar, precipitadamente, que a opinião da imprensa não muda as decisões do árbitro. Entretanto, esse conceito é enganoso. Sabemos muito bem que a repercussão das arbitragens influencia nas futuras escalas, nas punições aos árbitros e na conduta desses, dentro de campo, nas partidas seguintes. Atualmente, um árbitro ou auxiliar que cometer o engano de interpretar lances polêmicos contrários aos interesses de alguns clubes estará afastado das escalas. Por outro lado, errar contra as equipes "pedra no sapato" não trará a esses árbitros prejuízo algum. Primeiro porque as diretorias desses clubes não costumam se manifestar e segundo porque a imprensa, na sua grande maioria, irá justificar as interpretações.

    Dentro desse contexto, seria preciso saber o que o comentarista e o narrador podem falar nas transmissões? Como suas opiniões serão vistas pela chefia? Com certeza, não seriam afastados dos jogos, mas aos poucos iriam perdendo espaço, abrindo caminho para profissionais mais dóceis.

    Entrando nos tópicos abordados pelo Noriega, ele deve não ter pensado direito quando citou a participação da imprensa nas denuncias sobre o escândalo da arbitragem em 2005. Foi um problema impossível de não ser divulgado, após o trabalho de investigação realizado pela polícia. Nesse tipo de citação, seria muito mais interessante lembrar por que a imprensa não cobrou a conclusão do caso gás nos vestiários do Palestra, após o inquérito policial ter concluído que o gás não veio de fora do vestiário? Alias, a divulgação dessa conclusão da investigação não teve a menor repercussão e hoje observamos pessoas como o Senador Jarbas Vasconcelos fazer acusações à Sociedade Esportiva Palmeiras como sendo a responsável pelos acontecimentos. Apareceu algum jornalista para informar que as declarações do Senador estavam erradas em razão de uma investigação policial concluída?

    Em relação à narração do jogo, muitos detalhes chamaram a atenção do telespectador.
    Sabemos que a equipe de narração precisa ter muito cuidado nos comentários. Para isso, precisam ter experiência no futebol e no jornalismo, relatando os fatos sem que esse relato lhes cause problemas pessoais.
    Quem já jogou futebol na vida, futebol competitivo, sabe reconhecer, sem nenhuma dificuldade, quando um árbitro erra por deficiência e quando ele demonstra alguma preferência na partida. Não é normal que em um jogo de futebol aconteçam tantos erros sérios, beneficiando sempre o mesmo lado. A probabilidade existe, mas a chance é mínima.
    Imaginando uma situação utópica, seria muito interessante saber qual seria a repercussão dessa arbitragem do último sábado, caso os prejuízos sofridos pelo Palmeiras tivesse lesado Flamengo, Corinthians ou São Paulo? Qual seria a postura da imprensa esportiva e dos mesmos componentes do Sportv que trabalharam nessa partida? Será que o árbitro baiano seria suspenso pelo comandante da arbitragem da CBF, tradicionalmente atentos às reclamações desses três clubes, endossadas e exploradas pela imprensa esportiva?
    O que aconteceria a ele se marcasse aquela penalidade a favor do Coritiba, contra o Flamengo, no Maracanã?
    Qual seria o seu destino, para o restante do campeonato, não marcando as três penalidades que o Palmeiras sofreu, com o São Paulo no lugar do time alviverde? Lembrando a todos que o árbitro Flávio Guerra sumiu das escalas da FPF após marcar três penalidades, que toda imprensa considerou existentes, contra o São Paulo, pelo Paulistão de 2008.

    Especificamente sobre o Maurício Noriega.
    Começou a transmissão analisando os lances de forma normal, até ser informado pelo repórter Carlos Cereto que sua avaliação sobre o erro da não marcação de uma penalidade sobre o Ortigoza, aos 6 minutos e meio do segundo tempo, tinha chegado ao treinador Luxemburgo. A partir dessa informação o Noriega mudou.
    Aos 14 minutos, quando o zagueiro do Coritiba dá um toque de voleibol, ajeitando a bola para matar no peito e ganhar a jogada, bem à frente do árbitro, ele diz não ser possível identificar a intenção do atleta. A imagem é clara é mostra o movimento de toque intencional do atleta, jogando a bola em direção ao seu peito. Não é um caso de interpretação, mas de atenção ou apenas de visão.
    Aos 36 minutos, o comentarista também se esforça para não indicar mais um erro grave do árbitro, que deixa de aplicar o cartão amarelo para o zagueiro Pereira. Mais uma vez, o conveniente argumento da interpretação. De novo, para o mesmo lado. Coincidências acontecem!
    Em vários jogos anteriores, quando um árbitro deixa de aplicar um segundo cartão amarelo (por interpretação) para jogadores do Palmeiras, a equipe de transmissão do Sportv, qualquer que seja ela, repete a todo instante, na seqüência da transmissão, que o árbitro cometeu a falha a interferiu no andamento da partida.
    Aos 42 minutos, o Noriega mostra que não deve ter jogado bola. Afirmou que o empurrão sofrido pelo lateral Jefferson não foi suficiente para derrubá-lo e que a penalidade não deveria ser marcada. Esqueceu-se o Noriega que a força para derrubar um atleta depende da resistência oferecida. Um jogador em velocidade apresenta resistência nula ou quase nula em frações de segundo. Nesse instante, a menor força pode deslocá-lo do equilíbrio. Talvez, o Noriega não tenha sido bom aluno nas aulas de física, no colégio.
    Em seguida, aos 43 minutos, a ansiedade do comentarista para justificar a atuação parcial da arbitragem se manifesta na oportunidade que esperava. Ele tenta achar "pêlo em ovo" na jogado do gol do Keirrison. Busca na repetição das imagens alguns milímetros que pudessem justificar uma condição irregular. O lance que era do auxiliar e não do árbitro foi validado, pois a direção dos corpos dos atletas era praticamente idêntica e a jogada em velocidade. Talvez o Noriega pretendesse que o apitador anulasse um gol que a maioria das pessoas e da própria imprensa julgou legal, após ter errado em quatro lances de penalidade e uma expulsão.
    Noriega completa com chave de ouro sua participação com o discurso tradicional, "em cima do muro" dizendo que o árbitro errou para os dois lados.

    A conduta de jornalistas que se declaram palmeirenses tem sido muito estranha. Não só o Noriega, mas outros que conhecemos, fazem o maior esforço para demonstrar que não são parciais a favor do time que dizem torcer. Tentam parecer isentos, mas acabam fazendo o papel contrário, prejudicando o time do Palmeiras e seus torcedores. Talvez, esse seja o preço para que continuem trabalhando, considerando que a linha de vários órgãos de imprensa que conhecemos é a de não valorizar e não divulgar nada que possa ser favorável ao nosso clube.
    Cansamos de ver jornalistas explorando a exaustão detalhes negativos relativos ao Palmeiras e omitir os positivos. Quantas vezes as falhas da defesa do Palmeiras foram lembradas, sendo que outros times apresentam as mesmas falhas ou até piores e não são mencionados? Depois, quando o time fica algumas partidas sem sofrer gols, nada é comentado. O Palmeiras pode ficar dez, quinze jogos sem sofrer gols e caso tome algum na "décima sexta" partida, em jogada área, voltarão com o rótulo de defesa vulnerável pelo alto. Esse exemplo foi usado pois o jornalista em questão é o Noriega, um daqueles que adota essa postura.

    Para concluir um registro sobre o imparcial Carlos Cereto. A torcida do Palmeiras que acompanha as transmissões do Sportv passou a ter uma forma certa de identificação nas interpretações de arbitragem, mesmo que não veja os lances. Quando o Cereto se cala e não cometa a jogada é porque o Palmeiras foi prejudicado. Quando ele julga que o árbitro errou a favor do Palmeiras, durante toda a transmissão, volta ao assunto. As vezes, vai até o representante para avisar sobre a irregularidade! Grande torcedor disfarçado de jornalista, ocupando o espaço que deveria ser de um profissional!!!

     
  • Às 11 de maio de 2009 20:48 , Anonymous Anônimo disse...

    A cada dia que passa, aprecio mais e mais este espaço. O "Mestre" Alcides criou este blog para preencher a lacuna deixada pela interrupção do "Observatório Verde". Só que o OAV, em seus poucos meses de vida, não apenas preencheu a lacuna do OV, como encontrou um nicho absolutamente seu, tornou-se um blog único, com caráter próprio. Percorro toda a nata da Mídia Palestrina (Palmeiras Todo Dia, 3VV, Mondo Palmeiras, Parmerista!) e não encontro uma análise (do jogo e da transmissão televisiva) tão apurada quanto a que eu vejo aqui. Quanto à dita "Grande Imprensa", então, nem se fala. Imaginem o asno do Juca Ki-Furo postando um artigo desse kilate... Há, há, há! Mesmo que o OV volte à ser atualizado, espero que o Alcides mantenha o OAV. Este, em pouquíssimo tempo, tornou-se um espaço imperdível de ser visitado - e necessário, absolutamente necessário.
    .
    Sou um torcedor/consumidor que simplesmente se encheu da "Grande Imprensa". O que os jornalistas precisam entender é que nós, Palmeirenses, migramos para a Mídia Palestrina não porque queremos ler e ouvir apenas elogios ao nosso clube de coração. Pelo contrário, a MP é até mais severa com o Palmeiras do que a tal "Grande Imprensa". Basta ver alguns posts recentes do Alcides, que batem forte, e bem forte, na comissão técnica e elenco. O que nós exigimos dos narradores, comentaristas e repórteres é ISENÇÃO, PURA E SIMPLES.
    Quando, para ter um pouco de isenção, é necessário pular para a dita "mídia de torcedor", como denominou o Noriega, é porque a imprensa não possui quase nehuma credibilidade junto ao seu público. Não à toa, as tiragens dos jornais (e, na área esportiva, da "Placar") caem ano à ano. E eu contribuo com isso: não compro jornais há 3 anos, e não adquiro uma "Placar" há uns 15. E estou muitíssimo satisfeito com a tal "mídia de torcedor". Que ela prospere e se prolifere!
    Abraços ao Mestre Alcides e aos amigos Palmeirenses!
    [Jota Carcamano]

     
  • Às 12 de maio de 2009 01:02 , Anonymous DO EDITOR PARA JOTA CARCAMANO disse...

    Carcamano
    Com tantos elogios, partindo de você, também um mestre das palavras, sinto-me lisongeado.
    Eu só quero lembrar que o espaço não é meu, é N-O-S-S-O, isto é, de toda a torcida palmeirense.
    Quem quiser fazer a postagem principal, pode fazê-lo. É só mandar sob a forma de e-mail que eu publico e dou o crédito. Aqui o meu e-mail.
    alcidesdrummond@yahoo.com.br

     
  • Às 12 de maio de 2009 09:56 , Blogger Marino disse...

    O Marcão tava na frente, foda-se.

    [IMG]http://i15.photobucket.com/albums/a396/obrien21/diego.jpg[/IMG]

    não tenho medo de fazer esse "tira teima" por 2 motivos, primeiro que os amadores da imprensa estavam loucos para sacramentar o impedimento, então esta ai, se deliciem.

    Segundo que o Palmeiras foi operado pelo crápula do juiz. Mas muitas vezes não podemos crucificar todo o trio. O Bandeira cumpriu a regra e na dúvida, deixou seguir.

     
  • Às 12 de maio de 2009 15:20 , Anonymous Jorge Araçatuba disse...

    Quando recebeu a bols do Diego Souza? Não vi esse impedimento. É conversa para boi dormir.

     
  • Às 12 de maio de 2009 16:03 , Blogger Marino disse...

    Jorge, copie esse link e cole no Mozilla/Internet Explorer/Opera/Safari

    http://i15.photobucket.com/albums/a396/obrien21/diego.jpg

    O que você acha?

     
  • Às 29 de novembro de 2012 23:11 , Anonymous Anônimo disse...

    [url=http://kaufencialisgenerikade.com/]cialis generika[/url] cialis bestellen ohne rezept
    [url=http://acquistocialisgenericoit.com/]cialis[/url] acquisto cialis
    [url=http://comprarcialisgenericoes.com/]comprar cialis[/url] precio cialis
    [url=http://achatcialisgeneriquefr.com/]commander cialis[/url] achat cialis en france

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial