Observatório Alviverde

30/03/2015

HUMILDADE E CALDO DE GALINHA NÃO FAZEM MAL A NINGUÉM!


PALMEIRAS 0 X 2 RED BULL
 Resultado de imagem para excesso de confiança no trabalho
O excesso de confiança pode levar o mais forte a perder para o mais fraco!

======================

Ontem eu iria postar a matéria abaixo, mas diante do material que obtive, a respeito de Valdívia, alterei a postagem. Vejam o que eu dizia:

"O palmeirense, há um só tempo, vivencia dois paroxismos: o primeiro, da alegria, muito natural, pertinente, muito salutar.

O outro, de uma irreverente arrogância em relação aos adversários e isto é perigoso.

Por que, agir assim, se, ainda, não ganhamos nada, absolutamente, nada? 

Eu, particularmente, ando muito preocupado com os rumos das manifestações de autossuficiência e do "já ganhou" que têm partido de nossa torcida. E não adianta negar, pois está, devidamente registrado e documentado na Web!

Em tempos de Internet, essas atitudes têm o deletério poder de contaminar negativamente o elenco. Todo o cuidado, nesse sentido, portanto, é pouco.

Ninguém precisa me lembrar que a LEAL é uma torcida sofrida, muito carente, desacostumada aos grandes resultados nos clássicos e, de há muito, longe dos títulos... Só por isso se compreende certas manifestações.

Mas, fique claro, o que não pode acontecer -nunca- é um "trasnfert" mental, por osmose, de atitudes que venham a contaminar a humildade dos que entram em campo, que, imaginando que o Palmeiras, simplesmente porque derrotou os bambis em jogo de pequena valia, já é o maior time do mundo, confundindo paixão com realidade.

Entendo que o torcedor pode, e, até faz parte de seu perfil, ser arrogante, ter excessivas doses de confiança e atitudes contundentemente críticas em relação aos rivais... Faz parte do jogo!

Da mesma forma, ele tem o direito tanto de assumir qualquer postura, desafiante humorística ou verbalmente agressiva, em relação aos adversários, mas os jogadores, não!

Os profissionais têm de manter -sempre- uma postura profissional decente e compreender que os rivais, mesmo os times mais humildes, merecem todo o respeito!

Que Mattos, Oswaldo e a comissão técnica saibam lidar com esse problema e que consigam blindar o elenco, já a partir do jogo de hoje contra o Red Bull, a fim de evitar o pior!

Fique muito claro, límpido e cristalino que o Palmeiras ainda não ganhou, absolutamente, n-a-d-a,  neste Paulistão,  e, a parte mais difícil do certame ainda está por vir.

Após o Red Bull, repito, hoje, às 18,30H em Campinas, o Palmeiras terá, ainda,  de cumprir os dois jogos que complementam a fase de classificação e precedem às fases decisivas do campeonato:

um, no dia 04 de abril, sábado, contra o Mogi no Allianz Parque e o outro, no encerramento da fase classificatória, no Novelli Júnior em Itu, dia 08 de abril, quarta-feira, contra o Ituano.

Interessante que alguns bobalhões da mídia e seguidores, os inocentes úteis da torcida do Palmeiras, já estão "preocupados" com  a integridade física do elenco e, à boca pequena, já começam a clamar por "poupar" jogadores!

Como se não bastasse a lição ocorrida quando do jogo com o Braga, justificam que os jogadores correm riscos de se machucar nesses jogos "sem importância" e trabalham no sentido de que o Palmeiras deixe de escalar os titulares.

Como diziam os nossos avós, gato escaldado em água quente tem medo de água fria, eu não acredito que Oswaldo cometa, novamente, esse descuido e deixe de escalar, sempre, o que tiver de melhor, considerando-se que as contusões podem ocorrer até em treinos, conforme ocorreu, esta semana,  com João Paulo.

Espero que, nesses importantíssimos jogos complementares, que vão indicar os locais das semifinais (se é que vamos chegar lá, tomara!), Oswaldo não poupe ninguém...

Aliás, estou ciente que, com a vigência do contrato de  produtividade, ninguém no elenco quer abrir mão do posto de titular e nem de participar dos jogos...

Exceção feita a algum jogador contundido ou aos que precisem zerar os cartões, o Palmeiras terá de aproveitar esses últimos jogos para pavimentar o seu caminho na estrada que leva ao título.

Como são três jogos, dá, perfeitamente, para que o Verdão administre todas essas situações e vá para as quartas de final representado pelo que tem de melhor no elenco, aprimorando o entrosamento.

O Palmeiras, a princípio, abrirá as quartas de final domingo, dia 12 de abril, quando enfrentará o segundo colocado de seu grupo (regulamento absurdo e incongruente) que, se fosse definido hoje, seria o Botafogo Pantera, que disputa a segunda vaga, palmo a palmo, com o Linense, enquanto a Portuguesa corre por fora".  (AD)

Essa matéria, profética, infelizmente eu a suprimi, ontem, em face das informações de última hora divulgadas, ontem, pela imprensa chilena, acerca de Valdívia, mas a republico, hoje, por sua pertinência e atualidade.

PARA O PALMEIRENSE LER E REFLETIR:

Baixada a poeira do "choque-rei", vocês acham mesmo que o Palmeiras teria dado o "showcolate" que deu, se não houvesse feito um gols aos três minutos?

Tería tido, o time de Oswaldo, a mesma compostura, a mesma atitude e se imporía tão facilmente no jogo se os bambis não houvessem perdido Tolói precocemente?

Não, não estou tirando os méritos de uma vitória histórica, que só sobreveio em razão do início impositivo do Palmeiras, que encaixotou os bambis, e, na base do abafa, anotou, bem cedo, o gol, desnorteando o adversário, que, em seguida, ficou reduzido a dez homens! Vamos, todos, ser realistas, meus amigos!

É claro que o resultado em si, encheu-me de alegria, e ao mesmo tempo, de orgulho e de esperança...

Principalmente pelo fato de o resultado de ser sido obtido sobre um clube fatalista , figadal inimigo, que há tantos anos prejudica o Palmeiras, fora e dentro do campo...

Porém, pelos tantos anos de militância no jornalismo esportivo, acostumei-me a acompanhar futebol por um ângulo mais crítico e realista, sem a capacidade de sonhar como o chamado torcedor comum.

Junto com a alegria da vitória, recrudesceu uma preocupação que exponho sem medo de estar incorrendo em erro e sem receio de ser chamado de pessimista.

Do ponto de vista ofensivo, o Palmeiras de Oswaldo, simbolicamente,  é mais fraco do que caldo de chuchu.

Voltando ao clássico, como deixar de considerar e de admitir que o gol de abertura e a defasagem numérica dos bambis (não sei porquê ninguém disse isso)  permitiram que o Palmeiras jogasse da única forma que sabe e pode.

Pela lamentável falta de um armador criativo, competente e que conheça a posição, o Palmeiras só consegue jogar, à base do contra-ataque.

Se estão em dúvidas quanto ao que argumento, pensem, enfim, no seguinte:
"se o Palmeiras tivesse um ataque forte e realizador, a vitória sobre os bambis não seria só por 3 x 0 mas por um placar superior a cinco ou mais gols".

Ontem, em Campinas, contra o Red Bull, o Palmeiras entrou em campo imaginando que o triunfo no clássico inibiria o adversário e que a vitória fluiria em campo de forma normal.

Jogando como se houvesse ingerido uma lauta feijoada, sempre com a obrigação de atacar, o Palmeiras permitiu que o jovem, veloz e determinado time do Red Bull detivesse a tática do contra-ataque.

Explorando, inteligentemente, os avanços de Zé Roberto, sempre contra-atacando no costado deste veteraníssimo jogador, os Reds abriram o marcador aos 19 minutos e, praticamente, repetiram o lance aos 33.

Estupefatos com o placar adverso, os jogadores do Palmeiras se enervaram e sem qualquer criatividade, passaram a cruzar bolas instintivamente, insistentemente, e indiscriminadamente contra a área do Red Bull, sem criar nada de prático em termos ofensivos.

Por que e para que a teimosia da jogada aérea, se o único atacante alto e talhado para esse molde de jogo com o qual poderia contar o Palmeiras, Rafael Marques, jogava fora da área?

Cruzar, então, para quem?  Para Cristaldo? Para Robinho? Para Arouca? Para Dudu? É muita falta de visão! A rigor, o Palmeiras só tinha a perspectiva de gol quando Vitor Hugo e Tóbio subiam, nas bolas paradas, para tentar o cabeceio (royalties para o inesquecível barretense e palmeirense Marco Antonio Mattos).

Os atacantes do Palmeiras, não tiveram uma única iniciativa no sentido de partir com a bola para que tentassem uma jogada individual que abrisse a defesa ou ocasionasse uma falta da entrada da área ou, quem sabe, até um pênalti.

O que se viu, então, foram, exclusivamente, os cruzamento altos em direção a atacantes e volantes muito baixos na área adversária, facilitando, muito, o trabalho da defensiva vermelha.

Nem os inesperados arremates de média ou de longa distância, que ajudaram o Palmeiras e supreenderam os adversários em outros jogos, os jogadores tentaram. Nenhum dos volantes, nem Robinho, nem Arouca, nem Gabriel, e, enfim, nenhum  deles teve a iniciativa.

O jogo de ontem, além da lição que deixou, segundo a qual todos os adversários têm de ser encarados com empenho e respeito, evidenciou que Gabriel Jesus, em que pesem a sua juventude, imaturidade e o fato de não ser ele um centroavante de ofício, tem de continuar sendo aproveitado e, -vou mais longe-, como titular.

Apesar de não ter brilhado ou enchido os olhos da torcida, sua entrada no time levou mais preocupação à defesa do Red Bull. 

Basta que se diga que GJ, caçado em campo, embora de forma um pouco menos ostensiva em relação ao jogo contra os bambis e a outros, foi o elemento causador dos quatro cartões recebidos pela defesa interiorana.

Estivesse, ele, em campo desde o primeiros tempo, e, fatalmente, teria levado à expulsão alguns jogadores do Bull. Alguém tem dúvida de que Gabriel Jesus é superior a Cristaldo? Eu não tenho nenhuma!

Outra coisa ficou clara, translúcida e evidente: sem que o Palmeiras tenha um armador competente, é burrice escalar Zé Roberto como lateral, haja vista que ele não tem mais a aptidão física do velocista, apenas, em parte, a  do fundista, além de ser, hoje, um jogador de pouca capacidade de recuperação e recomposição.

Para que Zé Roberto atue na posição, exercendo a função de apoio, seria preciso armar um esquema de cobertura que envolve a perda prática de uma peça no sistema tático da equipe.  

Não discuto que, com a bola no pé, ele sabe jogar lá e joga muito, mas será, que nessa circunstância, vale a pena?

Conclui-se, então, que os predicados maiores de Zé Roberto são o bom trato à bola e a diferenciada visão de jogo que o colocam, não como ala, mas como alguém talhado a melhorar um setor crucial para o time, o meio de campo, atualmente o calcanhar de aquiles do time do Palmeiras.

Não entendo porquê, na atual circunstância da inexistência de um armador capacitado, Oswaldo deixa de adotar essa perspectiva nos jogos, de cara, só o fazendo, eventualmente, emergencialmente.

É preciso que se diga que Zé Roberto nunca foi lateral, função que lhe entregaram, inexplicavelmente, em final de carreira, justamente em um tempo no qual faltam-lhe atributos físicos essenciais para o exercício da função.

Para encerrar quero que saibam, todos os que frequentam este espaço, que o Palmeiras mereceu perder para os Bulls, ontem em Campinas.

Individualmente não se salvou, ninguém, do desastre de ontem no Moisés Lucarelli.

Sem choro, sem vela e sem fita amarela, parafrasendo um conhecido samba de meu tempo, quando se fazia boa música e se jogava, no Brasil, o melhor futebol do mundo!

Que o time, a partir do vexame de ontem, não se deixe ser levado ou envolvido pela empolgação exagerada da torcida...

Que, a partir desta semana, tome um banho de humildade, treine com afinco e se dedique ao máximo, visando aos próximos jogos que, a partir de agora, começam a valer, efetivamente, na briga pelo título...

Se o Palmeiras for para as quartas-de-final, com a mentalidade arrogante do "já ganhei"e ser um time omisso e descompromissado como se viu, ontem, contra o Red Bull, o Verdão vai -eu não tenho dúvida- "pagar" um baita vexame contra o Botafogo de Ribeirão Preto, que, ao que tudo indica, será o nosso adversário no primeiro degráu decisivo do Paulistão!

COMENTE COMENTE COMENTE

NA TV

Outra vez, uma transmissão nota 5, de baixa estimulação, de Milton Leite, muito abaixo de seu real potencial.

Conquanto não tenha "engolido", completamente, a voz, como de costume, insistiu em transmitir o jogo com o que ele pensa ser "economia" vocal.

Mas, economizar a voz narrando em TV? Agir assim sabendo que prejudica o telespectador? Não dá para entender!

Mas é isso o que acontece, embora eu deva reconhecer que, ontem, houve uma pequena melhora na emissão vocal de Leite, em relação a jogos pretéritos!

Infelizmente, muito julgam que, falando baixo, quase sussurrando, eles "economizam" a voz e Leite é um deles.

Embora discordando da tese, admito que podem, até, economizar, mas, que para o telespectador é muito ruim, eu não tenho a menor dúvida!

Assim, só quando a bola chegava nas imediações das áreas é que se conseguia perceber que ML narrava o jogo, posto que, antes disso, ele, apenas, murmurava os lances!

Perdeu, infantilmente, o segundo gol do Red Bull por "encher linguiça" na transmissão, isto é, por insistir em comentar aspectos aleatórios ao jogo por largo tempo...

Trata-se de falha grave para um narrador de sua qualidade e experiência, que insiste em deixar em um plano inferior o comentarista e assumir assuntos que pouco lhe dizem respeito.

Por que será que a maioria dos narradores não tem a humildade de, apenas, identificar os jogadores, usar os seus bordões (Milton tem ótimos bordões) a serviço da animação da transmissão e deixar as considerações técnicas sob a responsabilidade dos especialistas?

Por que querem, eles (a maioria), tanto, ser o centro das atenções?

Quando narra os lances que ocorrem de intermediária a intermediária, ML, pela falta absoluta de tons graves na voz, (será que ele não consegue perceber) torna-se um locutor monótono que  quase não se consegue ouvir ou discernir.

Nessas horas me dá raiva do cara que cuida do áudio da transmissão, que, me parece, não liga atenção ao fato de a voz do narrador estar baixa e a transmissão inaudível, incompreensível.

Por que, ele, ao menos, não aumenta uns dois ou três pontos no microfone do Milton a fim de que haja perfeita equalização de intensidade de som?

Foram bem, com poucas restrições, o Noriega, o Alê e até, a repórter em um jogo muito fácil para se trabalhar! (AD)

33 Comentários:

  • Às 30 de março de 2015 05:58 , Anonymous VERDE PAIXÃO disse...

    Realmente faltou humildade e vergonha na cara, liderança, respeito ao adversário, não é possível jogar sem amor a camisa, falta de respeito para com o torcedor, se acham, más não são.
    Só chuverão para a área adversária, sem jogadas alguma, absurdo, parece que não treinaram, inacreditável.!!
    Como não falar em Mago, com o que vemos? Jogador que não se esconde, procura a bola, leva para servir aos melhores posicionados, estes jogadores ainda não sabem da grandeza do verdão. Muita badalação e pouca ação, é glamour em demasia, chega!!.

     
  • Às 30 de março de 2015 07:01 , Anonymous VALDIVETE SEMPRE!! disse...

    Valdívia sempre fará falta ao time do verdão, é diferenciado, assume a responsabilidade, não se esconde, orienta, tem poder de decisão, serve com qualidade, é incisivo no ataque, procura a bola, dizer mais o que?
    Sem o Mago, o time é isto que vimos ontem, sem inspiração alguma, sem tesão algum.
    Que me perdoem aos críticos de plantão sobre o Mago, más é sim o jogador que pode mudar o verdão da água para o vinho. Com toda a certeza!!!

     
  • Às 30 de março de 2015 07:31 , Anonymous Doente(verdão) disse...

    Não acho que foi arrogancia ou soberba! Apenas nã temos jogadores que podem fazer três ou quatro gols e virar uma partida como essa! Nossos atacantes são fracos. Hoje precisamos mais de um centroavante goleador do que do Valdívia. Até o Vagner Love em fim de carreira e fora de forma é melhor que o Cristaldo e o Leandro juntos. Para a posição do Valdivia, temos opções nota 6, mas para a posição de centro avante temos no máximo dois notas 4!

     
  • Às 30 de março de 2015 07:51 , Anonymous SOU VALDIVETE SIM!! disse...

    Doente verdão, jogadores que possuímos hoje são na maioria nota 5 e olha lá, estão na média, tão somente, Valdívia do jeito que está é nota 7, em forma nota 9. Além do mais faz os nota 5 fazerem gols, quer prova maior o Henrique nota 3 fazendo o que fez?? Volta e renova já Valdívia!!!

     
  • Às 30 de março de 2015 08:03 , Anonymous Doente(verdão) disse...

    Valdivete, não esqueça que temos o Cleiton Xavier (acho ele um nota seis, não mais), para estrear em três partidas!
    Porém nossos goleadores não marcam gols!
    e não é por falta de oportunidade, ontem o cristaldo recebeu uma bola dentro da grande área, sozinho e mando por cima do gol! Contra o São Paulo se tivessemos um centro avante nota seis(não tem um nota 7 disponivel), teriamos goleado por cinco ou seis, sem o Valdívia! Valdivia seria bom permanecer se junto pudessemos ter um Barcos, um "el chupete" Suazo. Sem isso o Valdivia sozinho não vai resolver, ainda mais jogando uma a cada cinco partidas. Mas respeito a sua opinião, sempre.

    PS: Você leu os comentarios da torcida do Colo Colo(no link da postagem anterior)? A maioria não quer o Valdívia, acha ele decadente e pouco produtivo, uma vez que joga pouco e se machuca muito! Essa é a chance de Valdivia permanecer, ninguém querer correr esse risco enorme!

     
  • Às 30 de março de 2015 08:33 , Anonymous VALDIVETE SEMPRE!! disse...

    Doente verdão, Xavier pela sua última passagem é um jogador médio também, às vezes faz milagre como aquele do meio da rua na libertadores. Só se melhorou e muito, não vejo solução a curto prazo a não ser o Mago pra que a realidade seja modificada. Culpa não são dos artilheiros, a bola não chega, só sobras e cruzamentos sem explicação, carência de bom armador.
    Torcedores do colo colo são mal informados, como muitos de nossos torcedores que não passam de vítimas da imprensa marrom. Escreva aí...só Mago dará jeito, pois técnico é fraco e time com jogadores somente medianos...más muito melhores do que ano passado.

     
  • Às 30 de março de 2015 08:43 , Anonymous Doente(verdao) disse...

    Pois é, mas vocês ainda enxergam o Valdivia de 2008, esse sim nota nove e meio. Hoje, quando joga, ele não passa de um nota seis e meio. Por isso entendo que tendo um mediano para estrear, precisamos muito mais de um centro avante(mesmo mediano), pois os que temos não passam de nota quatro. Abraço! Sei que todos queremos o mesmo aqui, um Palmeiras imbatível!

     
  • Às 30 de março de 2015 08:53 , Anonymous Anônimo disse...

    Acho que a bem da verdade essa derrota dá um choque de realidade, tanto na torcida quanto no time.
    A 4º colocação entre os grandes de SP é um retrato real e justo do nosso futebol.Estamos atrás dos outros clubes, de fato (até mesmo do Santos que desmanchou o time de 2014).
    É claro que nada impede, com esse regulamento esdrúxulo, que façamos 2 bons jogos (quartas e semi de um jogo só) e cheguemos a final ou até mesmo ao título.
    Mas isso é até perigoso, pois se ao ganharmos dos bambis na quarta já parecia que havíamos ganhado o brasileirão...
    Nossa torcida tem um senso de urgência, um desejo (compreensível) de ser campeão, para ontem. O efeito dos últimos 15 anos de ausência, somando ao crescimento e conquista de títulos dos principais adversários (sobretudo o SCCP) deixa isso claro.
    O fato de termos contratado um caminhão de jogadores não nos fará, obrigatoriamente, favoritos a tudo. Muitas vezes até bons jogadores não "encaixam" no clube, no esquema tático ou no gosto do treinador. Enfim, não há garantia de nada.
    Esse texto (ótimo, por sinal) deixa claro essa questão: saberemos lidar com essa angústia da reconstrução do time ? teremos paciência para tal ?

    Ezequiel

     
  • Às 30 de março de 2015 08:54 , Anonymous VALDIVETE SEMPRE!! disse...

    Doente verdão, respeito sua opinião, não vejo Valdívia na fase áurea não, vejo nos dias de hoje, com toda a certeza o cara capaz de assumir a responsabilidade que muitos se escondem, futebol totalmente carente de meias de criação e ele meia boca como está, desequilibra, é totalmente diferenciado. Quero e torço pelo melhor do verdão, assim sendo, Valdívia é o remédio e se faz urgente!!!

     
  • Às 30 de março de 2015 09:42 , Anonymous JJ disse...

    NO COMENTÁRIO ACIMA FALA QUE O MAGO
    MACHUCA MUITO E JOGA POUCO!

    EU AINDA FICO COM O JOGA POUCO,AINDA QUE ELE ENTRE E JOGUE AO MENOS 45 MIN.

    JÁ DISSE O MAGO RENOVANDO NOS MOLDES
    DOS DEMAIS (PRODUTIVIDADE) JÁ TÁ NO LUCRO!

    OBS.JOGA POUCO MACHUCA MUITO!

     
  • Às 30 de março de 2015 10:32 , Blogger Ricardo Borgo disse...

    Moçada! O valdívia podre, jogando de vez em quando fará muito mais que esses que jogam no meio de campo. Ninguém, na atualidade, tem visão e condições de fazer melhor que ele. No jogo de ontem por exemplo, sem um jogador com suas qualidades foi difícil penetrar na defesa adversária. Contra o Corinthians, Ponte Preta, também foi assim. Quando aparece time com esse jeito de jogar, fechadinho atrás, que marca saída de bola, teremos problemas.
    Sem o Valdívia teremos que ter outro treinador porque o Osvaldo não possui esquema para enfrentar essa parada.
    tem

     
  • Às 30 de março de 2015 12:30 , Anonymous Palmeiras todo dia disse...

    AVALLONE DISSE:
    PALMEIRAS DO CÉU AO INFERNO
    A torcida do Palmeiras parecia estar no céu, depois da apoteótica vitória contra o São Paulo, na quarta-feira. E como num assustador passe de mágica , viu-se no inferno, após a medíocre exibição desde domingo, em Campinas, que lhe custou a derrota ´por 2 a 0 para o Red Bull.

    Que diferença!

    Bem, para começar concordo com o técnico Oswaldo Oliveira que, segundo entendi, disse que o sucesso contra o São Paulo acomodou os jogadores, que falharam, principalmente, na recomposição. Quer dizer: não voltaram para a a defesa como deveriam. E ao mesmo tempo pergunto, não caberia a ele Oswaldo, deixar os jogadores com os pés no chão?

    O Palmeiras é um time em formação, é verdade. Mas como tal já está na hora de ficar os que servem e sair os que não se ajustaram: Cristaldo é um centroavante que provou ser o camisa 9 ideal? Não? Então por que continua na equipe? E houve agora uma contusão do mediano João Paulo. Em minha opinião, para o seu lugar virar outro mediano, nota 6, Egidio, que só jogou bem no Cruzeiro. Pergunto: se a camisa do Palmeiras está valendo 50 milhões de reais em patrocínios, se as arrecadações estão muito boas e se o número de sócios torcedores já passou de 105 mil e ainda tem a cota da tevê, não está na hora se montar um grande time, com pelo menos dois ou três jogadores que viriam para resolver os problemas?

    Creio que está mais do que na hora.

     
  • Às 30 de março de 2015 13:00 , Anonymous BOCA DURA!!! disse...

    "Vice-presidente da FPF garante que os 4 grandes de SP irão jogar em seus estádios. Ótimo!'

    Via: @GlaucoLopes

     
  • Às 30 de março de 2015 13:04 , Anonymous Marco disse...

    Realmente, o palmeirense se entusiasma com bons resultados, mas da mesma forma diminuí seu time para uma condição abaixo da real.
    Hoje, o Palmeiras não é a quarta força de SP, ao contrário, está em ascensão enquanto os demais devido a enormes problemas financeiros estão em decadência.
    Os bambis, mesmo em decadência e com vários ex jogadores em atividade consegue manter sua “aura” de fama. no papel, são sempre melhores.
    Em termos de Paulistão, ficou claro mais uma vez que o problema do Palmeiras é interno e reside na total falta de malícia e experiência para lidar e entender condições de um regulamento, um regulamento simples para a classificação geral, onde quem tiver mais pontos terá vantagem nas próximas fases.
    O jogo de ontem era decisivo e pode ter significado a desclassificação do time em uma semifinal.
    A equipe não foi preparada para jogar uma partida decisiva e não venham com a desculpa de time em entrosamento, pois o Red Bull foi montado da mesma forma e com jogadores superados para os maiores times. Tomamos os gols de dois jogadores que tiveram suas chances em equipes maiores, um deles supervalorizado por empresários e outro em final de carreira.

    ====

    O problema maior na será nas quartas de final, mas na SEMIFINAL, que será disputada em jogo único com ,mando do time de melhor campanha.

     
  • Às 30 de março de 2015 13:08 , Anonymous b disse...

    "A ideia da Federação é que, se a PM não permitir dois jogos no mesmo dia, um dos grandes jogaria às 11h no domingo ou às 21h na segunda."

    Via: @Verdao24Horas

    Xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

     
  • Às 30 de março de 2015 13:23 , Anonymous Nei Verde disse...

    Que tudo que vem acontecendo sirva para o FALA MANSA rever bem a situação de alguns jogadores como disse o Avallone, já mostraram que não da.
    Vitor Hugo, já teve suas oportunidades, e demostrou com altos e baixos, já falhou feio por varias as vezes, assim como no futebol de hoje, não se joga mais com o nome, Zé Roberto, não consegue acompanhar mais a virilidade dos jogadores de hoje, o Técnico do Boi Vermelho disse antes de iniciar o jogo, que iria tentar fazer a diferença em sima do Zé, e fez..!!
    Agora volta a repetir, o problema maior é a falta de orientação, de visão na tabela, de como é importante administrar resultados, assim como foi aquele jogo com a ponte antes do clássico com os Gambas..
    Concordo plenamente com o Avallone, esta na hora de reformar logo com o MAGO, e trazer no minimo dois jogadores de nome, para ser referencia, um zagueiro e um atacante nato...

     
  • Às 30 de março de 2015 14:17 , Anonymous Marco disse...

    A Mídia Palestrina surgiu para ocupar um espaço junto á torcida palmeirense que não era exercido pela imprensa tradicional.
    Cansada de ver seu time prejudicado e menosprezado pela imprensa esportiva, nossa torcida criou sua própria “Mídia”.
    Ocorre que a iniciativa que foi concebida para se a “voz do nosso torcedor” acabou se tornando um tiro no pé, em algumas publicações e na participação de pessoas sem a menor competência técnica, que se tornaram formadores de opinião pelo tempo disponível e pela insistência. Criou-se a nova versão da cornetagem da cantina do Palestra, criou-se a corneta virtual.
    A imprensa tradicional percebeu isso e logo passou a se beneficiar, transformando em massa de manobra um exercito de inocentes úteis. Ficou muito mais fácil atuar contra o Palmeiras tendo tanto colaboradores que não enxergam um palmo à frente do nariz, mas se julgam coerentes, realistas e pensam que estão ajudando seu clube.
    Hoje, em muitas publicações é comum notar a participação de uma molecada que não deve ter o que fazer na vida e fica o dia inteiro na internet, enchendo a rede de besteiras. Uma parte minoritária da torcida, mas que pela insistência e tempo disponível tenta passar a ideia de que é maioria.

    O caso do jogador Valdívia é o exemplo atual, mas tão logo esse jogador saia do clube, o exercito de incompetentes e irresponsáveis continuar sua trajetória de massa de manobra para jornalista pilantra. Novos alvos serão escolhidos e os idiotas de plantão continuarão seu serviço.
    No caso atual, não se trata apenas do Palmeiras perder seu melhor jogador por uma campanha orquestra pela imprensa e seguida por idiotas, trata-se do Palmeiras ter criado dentro do seu meio um instrumento de auto sabotagem.
    Valdívia, por melhor que seja, não deixa de ser um jogador que vai passar como tantos outros passaram, o que vai ficar é a cultura estabelecida dentro do meio palmeirense de pessoas ignorantes que não percebem que estão sendo usadas.
    Assuntos de relevância muito maior, que deveriam despertar a atenção e a manifestação da torcida palmeirense são ignorados, esquecidos, mas o empenho para tirar do clube o melhor meia em atividade no país ganham prioridade. A imprensa sabe que se esse jogador ficar disponível só para metade das partidas no ano, fará a diferença, graças ao baixo nível do nosso futebol e a falta de opções no mercado, Então, tirá-lo do Palmeiras passou a ser prioridade. Chegamos a ouvir até um medíocre jornalista que se diz palmeirense que a transferência desse meia para o Cruzeiro (nosso concorrente direto) seria benéfica para todos e poderia “recuperar” o jogador.
    O problema é que tem palmeirense que acredita e espero que o presidente do clube não seja tão juvenil para levar em conta a opinião de uma minoria barulhenta e burra.
    Caso ele leve em consideração a opinião forjada só nos restará saber que será o próximo alvo e próximo jogador de qualidade que será escolhido para ser chutado do clube, para o bem do Palmeiras, é claro!

     
  • Às 30 de março de 2015 14:23 , Anonymous Marco disse...

    Correções:

    No caso atual, não se trata apenas do Palmeiras perder seu melhor jogador por uma campanha orquestrada pela imprensa e seguida por idiotas, trata-se do Palmeiras ter criado dentro do seu meio um instrumento de auto sabotagem
    ....................
    Caso ele leve em consideração a opinião forjada só nos restará saber quem será o próximo alvo e próximo jogador de qualidade que será escolhido para ser chutado do clube, para o bem do Palmeiras, é claro!

     
  • Às 30 de março de 2015 14:33 , Anonymous Nei Verde disse...

    Perfeito comentário MARCO!
    Eh tem também aqueles que a imprensa maldita por suas ruindades querem que permaneçam no palmeiras, e os endeusam como craques..!

     
  • Às 30 de março de 2015 15:05 , Anonymous Anônimo disse...

    Marco

    Com relação aos quatro grandes, quando disse que considero o Palmeiras a 4º maior força do futebol paulista, eu me referi a dentro de campo, neste atual momento.
    Acredito que hoje o SCCP está na frente, seguido pelo Santos, SPFC e Palmeiras (talvez haja um empate com o SPFC).
    Claro que esse retrato é momentâneo, como você mesmo disse logo esses times desmoronarão perante as dívidas ao passo em que o Palmeiras se manterá no topo da renda.
    Em termos técnicos e táticos, é possível sim levantarmos a taça, sobretudo em jogos somente de ida.
    Mas como foi dito, perdemos a vantagem de jogar em casa e isso pode custar caro, por exemplo em uma semifinal em itaquera.
    Acredito que mais do que título, esse Paulista está mostrando quem pode e quem não pode fazer parte do nosso elenco.

    Ezequiel

     
  • Às 30 de março de 2015 15:37 , Anonymous TÃO SOMENTE TORCEDOR disse...

    Marco, excelente colocação. Sempre imparcial e transparente. Lúcida!!

     
  • Às 30 de março de 2015 15:56 , Anonymous Torcedor Incondicional disse...

    Cometário da Tânia clorofila:
    Não entendo muito de táticas, mas a impressão é a de que Oswaldo armou o time para jogar por zona, e os jogadores entenderam só a parte da “zona”.
    Pelo visto, como eu, enxerguei tão somente a desorganização tática e técnica...nosso técnico é fraco!!

     
  • Às 30 de março de 2015 16:11 , Anonymous Eustáquio Turiaçu disse...

    A campanha contra Valdívia é a mesma contra a presidente Dilma.

    Querem a saída a todo custo dos únicos que prestam nessa zona toda.

    Dilma por ser honesta e estar batendo de frente com a extrema direita.

    Valdívia por ser o único craque que toda a imprensa de são paulo odeia, porque ele faz a diferença.

    São os dois Judas escolhidos para levarem porrada, enquanto o monte de rato político e toda perebada de jogador ruim continuam no governo e no Palmeiras.

     
  • Às 30 de março de 2015 16:21 , Anonymous Doente(verdão) disse...

    Seria interessnte que a diretoria do Palmeiras se pronunciasse pedindo uma posição sobre esse regulamento jà. Pois se o Palmeiras ficar atras de SPFC e SCC o tratamento sera um, ja se o SPFC ficar atras de SEP e SCC o tratamento sera outro!

     
  • Às 30 de março de 2015 17:03 , Anonymous Marco disse...

    Pelo amor de Deus, não vamos misturar a situação de um jogador do Palmeiras e do clube dentro do ambiente do futebol com a situação desse governo.
    Vamos deixar para a Polícia Federal, para a justiça, para as investigações sobre todos esses escândalos mostrarem os fatos.
    Comparar o Valdívia com a Dilma ou é ironia para atacar o jogador, fingindo que o está defendendo, ou é viver em outro planeta.

     
  • Às 30 de março de 2015 17:12 , Anonymous TÃO SOMENTE TORCEDOR disse...

    Turiaçu, me desculpe, Dilma fora da curva, é burra e não tem capacidade para presidir e sequer ser síndica. Veja a situação que o pais se encontra? Lula seu criador e impostor também deverá ser preso, enriquecimento ilícito, seu filho é prova disto, de limpador de jaula de animal para maior empresário, como?
    Dom que estava por ser descoberto?
    Mago é vítima da imprensa marrom, ele sabe como lidar com isto, não dá audiência pra programa esportivo, não dá dinheiro a uniformizada e fala o que imprensa não gosta de ouvir.

     
  • Às 30 de março de 2015 17:13 , Anonymous Marco disse...

    Ezequiel,

    Nem dentro de campo, dá para falar em quarta força, porque os quatro times oscilam jogos bons e ruins.
    Não dá para saber quem é primeira, segunda e terceira, mas a quarta sem dúvida é o bambi, sempre ancorado em "marketing" de jogador que só sobrevive com o nome.
    Na partida que perdemos para o gambá, o lance que decidiu a partida foi um erro grosseiro do Vitor Hugo.
    No jogo que perdemos para o Santos, um impedimento marcado de maneira absurda nos tirou o segundo gol e na continuação da jogada o Santos fez o segundo gol dele.
    O Santos já empatou duas vezes com times pequenos e gambá também empatou em casa.
    No momento, a única coisa que podemos afirmar é que detalhes decidem jogos e a sequência das partidas. Depois, tudo é visto somente pelos resultados.

    Para mim, o que mais preocupa não é um resultado ou outro, mas a cultura de falta de decisão que toma conta do Palmeiras (há muito tempo), quando é preciso encarar as partidas com mais responsabilidade.

    Nesse ponto sim, somos a quarta força. Quarta força porque ainda não existe a ambição pela vitória na competição e a malícia para entender regulamentos, ou seja, ainda não existe no Palmeiras a visão de time vencedor. Ganhou uma partida importante, parece que entram de férias!

     
  • Às 30 de março de 2015 17:48 , Anonymous VALDIVETE SEMPRE!! disse...

    Com as entradas de Mago e Xavier daremos um melhor tratamento a bola, atacantes serão melhor servidos e tudo tenderá a melhorar, sei que o Xavier demorá mais, só que poderá já estar treinando pra que entrosamento seja menos complicado com todos os demais. Acredito que estaremos mais fortes e com elenco melhor escalado, basta o O.O. fazer o que deve ser feito, até o momento é deficitário.

     
  • Às 30 de março de 2015 17:52 , Anonymous CORAÇÃO VERDE disse...

    Leiam e opinem no blog da clorofila, excelente texto por parte da Tânia.
    Muito esclarecedor!!

     
  • Às 30 de março de 2015 18:02 , Anonymous VALDIVETE SEMPRE!! disse...

    Valdivia faz falta ao Palmeiras. Não é de hoje. Nem entra aqui essa história de custo e benefício. A questão é o talento. Todos os times precisam de um jogador acima da média, nem que for um degrau a mais.

    A ausência do chileno também não tem ligação direta com a derrota diante do Red Bull, após a boa vitória no clássico contra o São Paulo na quarta-feira. Não é pelo tropeço no jogo em Campinas. E sim na composição do time.

    O Palmeiras de hoje tem um punhado de abnegados, transportadores de tijolos e areia, mas nenhum especialista na massa fina na hora de erguer a casa. Valdivia não é um craque absoluto, mas entende da engenharia de um jogo de futebol. Sabe dar ritmo, chamar a responsabilidade e, quando não exagera, até tirar o adversário do sério.

    Se os seus músculos não respondem ao cérebro, se pesa o tempo de recuperação das inúmeras lesões, se o alto salário é um empecilho, então é melhor nem contar com Valdivia. A discussão aqui não é esta. É técnica.

    Um time colecionador de taças precisa de um jogador diferente, aquele visado pelo adversário dentro e fora de campo. Capaz de provocar dor de cabeça no treinador do rival e preocupar o torcedor do inimigo na arquibancada.

    Olhando esse Palmeiras montado por Alexandre Mattos nota-se um time competitivo, de futuro promissor. Falta ainda um anarquista, alguém a perturbar o oponente. Dentro desse cenário, o único com mentalidade e bola para arrumar uma fuzarca é Valdivia.

    Paulo Nobre e Mattos deveriam prestar atenção nesse detalhe. Não se ganha títulos só com gente certinha. É preciso um gênio, mesmo que não seja um iluminado.

     
  • Às 30 de março de 2015 18:07 , Anonymous TÃO SOMENTE TORCEDOR disse...

    Texto do jornal Estadão:
    PALMEIRAS PRECISA DE VALDÍVIA URGENTE.
    Valdivia faz falta ao Palmeiras. Não é de hoje. Nem entra aqui essa história de custo e benefício. A questão é o talento. Todos os times precisam de um jogador acima da média, nem que for um degrau a mais.

    A ausência do chileno também não tem ligação direta com a derrota diante do Red Bull, após a boa vitória no clássico contra o São Paulo na quarta-feira. Não é pelo tropeço no jogo em Campinas. E sim na composição do time.

    O Palmeiras de hoje tem um punhado de abnegados, transportadores de tijolos e areia, mas nenhum especialista na massa fina na hora de erguer a casa. Valdivia não é um craque absoluto, mas entende da engenharia de um jogo de futebol. Sabe dar ritmo, chamar a responsabilidade e, quando não exagera, até tirar o adversário do sério.

    Se os seus músculos não respondem ao cérebro, se pesa o tempo de recuperação das inúmeras lesões, se o alto salário é um empecilho, então é melhor nem contar com Valdivia. A discussão aqui não é esta. É técnica.

    Um time colecionador de taças precisa de um jogador diferente, aquele visado pelo adversário dentro e fora de campo. Capaz de provocar dor de cabeça no treinador do rival e preocupar o torcedor do inimigo na arquibancada.

    Olhando esse Palmeiras montado por Alexandre Mattos nota-se um time competitivo, de futuro promissor. Falta ainda um anarquista, alguém a perturbar o oponente. Dentro desse cenário, o único com mentalidade e bola para arrumar uma fuzarca é Valdivia.

    Paulo Nobre e Mattos deveriam prestar atenção nesse detalhe. Não se ganha títulos só com gente certinha. É preciso um gênio, mesmo que não seja um iluminado.

     
  • Às 30 de março de 2015 20:57 , Anonymous Marco disse...

    A questão custo benefício, só tratada pela imprensa e por nossa torcida quando o Palmeiras está em questão é outro argumento absurdo.
    Outro dia, aqui no blog, um participante (não me lembro quem) fez um comentário muito interessante. Lembrava a exposição de mídia que o Valdívia proporciona, mesmo sem estar em campo. O comentário indicava a caída por terra toda e qualquer argumentação daqueles preocupados com o salário do jogador. Salário de jogador que prejudica o clube é daquele tipo de atleta abaixo da média (não do acima da média) e daquele que faz corpo mole. Em 2014 tivemos muita gente assim.
    Bastaria perguntar aos patrocinadores do Palmeiras se eles estariam incomodados com a exposição diária de suas marcas nos mais diversos portais de internet, com Valdívia vestindo a camisa do Palmeiras. Quantas vezes o Valdívia apareceu no portal da rgt (em primeira chamada) vestindo a camisa com a inscrição CREFISA? Aliás, será que a CREFISA e outros patrocinadores estariam estampando seus nomes na camisa de um Palmeiras na série B?
    Engraçado é que muito torcedor que faz campanha para a expulsão do Valdívia do Palmeiras torcia e opinava a favor do Ronaldinho Gaúcho no ano passado.
    O ódio ao jogador por parte de alguns torcedores chega a bloquear os cérebros, pois ao alegar salários e “custo-benefício”, não pararam para pensar e avaliar qual o retorno de mídia dado por este jogador, mesmo não estando em campo.
    Não faço essa critica à imprensa, porque ela ao lançar a questão financeira sobre o jogador faz intencionalmente por desonestidade. A imprensa sabe avaliar esse retorno. A critica é para a parcela inteligente da torcida, que se julga muito esperta e conhecedora de futebol.
    Escrevemos muito aqui sobre a parte técnica desse jogador, mas faltava reforçar esse outro aspecto para que ninguém mais venha com o argumento ridículo de “custo-benefício”.
    Só lembrando que nunca se falou ou escreveu de “custo-benefício” ou salário para o Alexandre Pato, um fracasso nos gambás e muita badalação e pouca bola nos bambis. Um jogador que recebe ainda do gambá um valor semelhante ao salário do Valdívia para jogar pelos bambis. Não se fala de salário para a parte paga por esse rival para um jogador jogar no outro rival. Basta imaginar a repercussão, caso o Palmeiras estivesse pagando esse valor salarial para um jogador seu atuar por um dos dois rivais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     
  • Às 30 de março de 2015 22:30 , Anonymous Anônimo disse...

    O CUSTO BENEFÍCIO AQUI FALADO MIL VEZES!!!
    COMO O MARCO DISSE ACIMA, O PATO É
    O PIOR CUSTO BENEFÍCIO CUJOS CLUBES ,GAMBÁ E BAMBI PAGAM 400 MIL. CADA UM PARA VER O RIDÍCULO ENTRAR EM CAMPO , ISSO SEM FALAR NO VALOR PAGO POR ELE...QUE MICO NÉ GAMBÁ...
    OUTRO JOGADOR QUE TAMBÉM ESTÁ SENDO UM MICO É O GANSO CUJO SALÁRIO NÃO É POUCO E NÃO JOGA NADA , A PONTO DO SFC QUERER VENDER ESSE MICÃO.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial