Observatório Alviverde

24/06/2009

PORTAL TERRA VAI SE REVELANDO UM INIMIGO DO PALMEIRAS!

A publicação pelo Portal Terra da possível substituição de Luxemburgo por Muricy, desnuda, simplesmente, aquilo que já se sabe desde mil novecentos e guaraná com rolha: a perseguição implacável movida por diversos setores da imprensa ao Palmeiras é constante, sem fim. O Portal Terra não é uma exceção.
Os jornalistas do Terra que divulgaram o factóide, foram de uma irresponsabilidade e de uma inconseqüência nazistas. A análise fria dos fatos suscita a interpretação de que a finalidade da desnecessária publicação ultrapassa a veleidade barata da antecipação de um furo jornalístico, transcendendo... A finalidade maior, fica claro e cristalino, é a de semear mais uma crise no Palmeiras, disseminando insatisfação e discórdia entre o técnico, a comissão técnica, elenco, torcida e o corpo administrativo do clube. A bomba da desclassificação não causou mais estragos do que a divulgação dessas insinuações e achismos em cima de de uma reunião séria para os destinos do clube, como a realizada ontem.
Qual o motivo de tanta perseguição? Por que querem tirar o Palmeiras da condição de um dos dois maiores do futebol paulista? Para colocar quem ? O SPFW a quem tanto protegem? Querendo eles ou não, Palmeiras e Corinthians são expoentes e, quando se encontram, fazem o maior clássico do Brasil e o décimo do futebol mundial segundo a própria Fifa. Isso porque não temos um estádio digno das tradições de dois times que recusam-se a jogar no Morumbi.
Por que os "jornalistazinhos" do Terra, em vez de tentar plantar crises no Palmeiras não dão destaque a crise explícita que corrói e apodrece o ambiente no Jardim Leonor? Lá, sim é que tem matéria propícia a esse tipo de noticiário sensacionalista. Por que não falam das brigas internas que estão ocorrendo por lá que culminaram com o afastamento do jogador mais importante do time, Jorge Vagner? Mais do que isso porque não divulgaram antecipadamente nada do caldeirão quente e fervente que respingava brigas, aleivosias. trairagens, perfídias e traições do outro lado do muro, semana passada? Por que agora estão saindo reportagens em tom de conciliação e quase todo mundo está dando uma bombeiro para apagar a voracidade do fogo que queima as entranhas tricolores?
Está na hora dessa "tchurminha" passar a trabalhar profissionalmmente, deixando de lado a visível e escancarada preferência pelo SPFW. Lembrem-se de que não é apenas o Palmeiras quem reclama do tratamento discriminatório da imprensa e amplamente favorável aos bambis.
Recentemente Mário Gobbi (pelo sobrenome deve ser uma ovelha desgarrada) o vice de futebol corintiano abriu o verbo e deitou falação sobre a conduta parcial e facciosa da imprensa sempre em pról do time do Morumbi.
Só que a falta de vergonha da maioria dos profissionais parece não ter mais fim.

COMENTE

19 Comentários:

  • Às 24 de junho de 2009 18:27 , Anonymous Marco disse...

    Reforçando o assunto citado no texto:
    --------------------------------------

    A demissão do treinador Muricy Ramalho revelou os graves problemas que o spfw enfrentava.
    Não eram problemas recentes, eles já se arrastavam há um bom tempo.

    Essa situação vivida pelo clube do Jardim Leonor nos faz lembrar das pessoas que defendem fervorosamente o trabalho da imprensa esportiva como sério, imparcial e ainda acusam o torcedor palmeirense de imaginar situações contra seu clube.

    Como essas pessoas explicariam o fato dos enormes problemas vividos no são paulo não terem sido explorados nos noticiários durante todo esse período?
    Qual seria a avaliação dessas pessoas para a mesma situação, caso ela ocorresse no Palmeiras? Será que elas, defensoras da imparcialidade da imprensa, julgam que uma crise dessa proporção ficaria escondida dos noticiários?

     
  • Às 24 de junho de 2009 20:13 , Anonymous Antonio Mirandola Bastos disse...

    Como disse bem o Marco quando "estourou" (se é que estourou mesmo) a crise no SPFW a imprensa já estava com panos quentes na mão pare ajeitsr a situação com entrevistinhas água com açúcar (sem cobrar nada de ninguém) com o Borges, com o Washington e com o Juju, fora os comentários favoráveis dizendo que o presidente estancou a crise rápido e outras besteiras. A crise lá continua violenta. A fase da onda,a chamada pré-crise, a imprensa maquiavelicamente omitiu. Foi uma desonestidade geral e uma baita falta de respeito ao povo.
    Antonio Mirandola Bastos

     
  • Às 24 de junho de 2009 20:30 , Anonymous Enzo Palestra disse...

    Os dois maiores escândalos do futebol paulista nos últimos tempos aconteceu nos bambis.A briga Fabinho e Carlos Alberto. A imprensa só deu depois que os dois foram punidos. Quando o Hugo brigou e ficou fora do plantel ninguém falou nada. Ficou todo o mundo bem quietinho e pianinho. Só voltaram a falar no Hugo quando ele foi chamado de volta. Agora vem essa brigaiada toda que a gente só fica sabendo porque o Muricy foi demitido. Essa imprensa não vale nada mesmo. Dá nojo. É porisso que eu parei de comprar jornal. Pra ler merda eu leio na Internet mesmo.

     
  • Às 24 de junho de 2009 22:53 , Anonymous Macedo disse...

    Mas agora é que a operação panos quentes entra em sua fase mais aguda.
    Hoje, O DIA INTEIRO, o sistema Folha-UOL manteve manchetes chapa-branca, de assessoria de imprensa, com pseudo-matérias que traziam títulos no estilo "Os Waltons" (tipo na-adversidade-mostraremos-nosso-valor).

    Agora há pouco conferi lá no UOL, e nem a zebra norteamericana pra cima da Espanha, nem a semi entre Cruzeiro e Grêmio foram capazaes de desbancar a manchete principal que está lá há muitas horas:
    "Recomeço no sp - falante, Ricardo Gomes motiva jogadores no primeiro treino"

    Que lindo! Comovente!

    Servilismo no estado mais puro.

     
  • Às 25 de junho de 2009 00:08 , Anonymous Anônimo disse...

    Parem de falar abobrinhas. É por causa de pessoas como voces que os narradores e repórteres trabalham sob constante ameaça de agressão. Muitos já tiveram os carros depredados porque ousaram trabalhar com isenção. O fanatismo de voces não tem fim. Voces acham que narrador e comentarista fazem gols ou que validam e anulam gols. Chega de assacar contra quem está trabalhando e ganhando honestamente o sustento da família. Voces estão passando da conta. Pra voces nada presta, ninguém presta. Outro dia o editor do blog deu uma nota alta para a transmissão do Sportv e muitos se irritaram. Além de não concordar deram indiretas nele.
    Tem um tal de Marco aqui no blog que escreve muito bem. Só que para ele ninguém presta. Com razão ou sem razão ele critica. Parece que só gosta de falar de arbitragem e de imprensa. Quando o assunto é outro ele nem dá opinião. Ele marece mais um maníaco. Voces pretendem o que metendo o pau na imprensa? Acho que voces tem muito tempo porque agir assim é pura perda de tempo Voces são patéticos e me lembram um velho ditado: os cães ladram muito, mas a caravana passa. Pensem nisso.
    Juvenal Portugal Gouveia

     
  • Às 25 de junho de 2009 01:38 , Anonymous Tânia "Clorofila" disse...

    Tem razão Marco, a coisa 'tava preta' lá dos lados dos bambis e a imprensa não noticiou. Por que? A obrigação dela não é informar com isenção? Então por que não o faz?
    Vocês se lembram do episódio "acidente automobilístico da Imperatriz"? O cara bateu o carro de madrugada, e aí até o policial disse que o carro estava sendo conduzido por outra pessoa que não o Adriano. E com que surpresa nós ficamos sabendo que ele chegou atrasado ao treino do dia seguinte e contundido!
    Me engana que eu gosto né?
    A situação já estava complicada lá pros lados da bambizada, faz tempo. O Borges estava no banco e quem bancou uma de suas escalações foi o J.Bebúncio.
    Mas, o que ninguém fala nada agora, é que o novo treinador bambi é genro do Ricardo Teixeira. Não sei se é verdade, mas ouvi dizer que a esposa do treinador em questão, faz parte do comitê que escolhe os estádios para a Copa do Mundo...
    Será que é verdade? Se for, está muito bem explicada a contratação do novo comandante, que nunca ganhou nadinha por onde passou, mas as manchetes mostram que ele conquistar a vaga para a Libertadores... Só se for no apito-rosa, como é usual.

    O post anterior ao méu é assinado por uma msitura de dirigentes bambis, ou é impressão? Por isso somos patéticos. Tá explicado.
    Será que no Blog da Barbie não conseguem postar?

    Abraços

     
  • Às 25 de junho de 2009 09:59 , Anonymous Marco disse...

    Sr. J. Gouveia escreveu:

    "Tem um tal de Marco aqui no blog que escreve muito bem. Só que para ele ninguém presta. Com razão ou sem razão ele critica. Parece que só gosta de falar de arbitragem e de imprensa. Quando o assunto é outro ele nem dá opinião. Ele marece mais um maníaco. Voces pretendem o que metendo o pau na imprensa?

    --------------------------------

    Caso o Sr. J. Gouveia não tenha percebido esse "blog" tem o nome de "Observatório Alviverde". A função dele é avaliar o trabalho da imprensa.

    Por essa simples razão o tema central é o jornalismo esportivo. Isso não significa que não tenhamos opiniões e avaliações sobre outros assuntos.

    A chamada "Mídia Palestrina" possui inúmeros "blogs" e cada um deles com sua característica. Entretanto, esse é aquele que se dispõe a analisar a imprensa. É criticado como se fosse uma heresia questionar o jornalismo esportivo. Uma grande ironia, pois a essência do jornalismo é a critica, a avaliação de um determinado setor. Gostam de criticar, gostam de impor suas idéias, mas não aceitam receber criticas.

    Além disso, escrevemos sobre os assuntos que não têm o destaque adequado no jornalismo. Apontamos as falhas que a torcida do Palmeiras observa e quando reclama junto à imprensa não são ouvidas.

    CITAMOS FATOS, mas pessoas como o senhor J. Gouveia procuram ignorar esses fatos e respondem com argumentos gerais. Esse tópico, por exemplo, fala de situações concretas, omissões da imprensa que podem ser facilmente verificadas pelos leitores.

    Ao contrário do que o Sr. J Gouveia diz, elogiamos sim. Fazemos isso da mesma forma que o jornalismo divulga notícias positivas, com pequenas citações ou avaliações simples. Exatamente como acontece na imprensa (infelizmente) o destaque tem que ser dado para os pontos negativos, pois esses é que precisam ser corrigidos.

     
  • Às 25 de junho de 2009 10:04 , Anonymous Marco disse...

    O que nos pretendemos da imprensa?

    Muito simples, tratamento igual para todos os clubes, jornalismo sério, profissionalismo e não torcedores disfarçados de jornalistas ocupando o lugar de profissionais.

    Quem acessa qualquer espaço da chamada "Mídia Palestrina" nunca é enganado, sabe muito bem que estará observando opiniões de torcedores de um clube, que procuram passar aos leitores a visão desse clube, especialmente pelo fato que essa visão não aparece no jornalismo esportivo, como ocorre para certas equipes. O internauta que nos acessa não será enganado como acontece com o leitor, ouvinte ou telespectador que freqüenta um veículo de comunicação tradicional, julgando que irá ver o trabalho de profissionais.

    Esperamos também que espaços como esse nos proporcione a oportunidade de descobrir os motivos que levam a imprensa a ter essa diferença de postura. O "blog" OAV, assim como o "Observatório Verde" são recentes na história do futebol, da mesma forma que a própria internet, mas o relacionamento conturbado Imprensa x Palmeiras remonta ao início da vida do clube, sendo até objeto de tese de mestrado, retratada no livro "Imigração e Futebol - O caso Palestra Itália". Não é o surgimento de "blogs" como o nosso que formará a opinião da imensa torcida palmeirense. Ele apenas trouxe um espaço para manifestar a opinião de milhares de pessoas.

    Em relação às arbitragens, Sr. J. Gouveia, nossos motivos são simples. Sabemos que o árbitro de futebol é a parte mais frágil do futebol, não é profissionalizado, não tem recursos eletrônicos para auxiliá-lo e com o aumento da vigilância dos recursos técnicos ficou mais fragilizado ainda no exercício da sua função. Para piorar começou a receber pressão de certos clubes com o auxílio de parcela da imprensa esportiva. Essa pressão se faz pelo destaque (ou esquecimento) dado aos erros em função do clube beneficiado ou prejudicado. Considerando que o Palmeiras, clube que acompanhamos, não tem a "assessoria" que outras equipes possuem, o torcedor palmeirense se viu obrigado a destacar os prejuízos sofridos. Ninguém reclama pensando no jogo que passou, mas verificando que o destaque ou não de uma arbitragem funciona como pressão para as próximas partidas. Podemos citar inúmeros fatos que comprovam essas observações, mas não adiantaria muito, pois caso haja resposta, o estilo de contra-argumentação irá ignorar os fatos.

    Para concluir, senhor J. Gouveia, fica muito cômodo para quem pretende desviar o foco, particularizar a polêmica, levando-a para um debate pessoal. Provavelmente, foi essa sua intenção ao citar o meu nome, tentando atribuir um rótulo pejorativo para desqualificar minha participação. Fica muito mais fácil para quem não tem como defender o indefensável, a desmoralização do critico.

    Aqui, Sr, J. Gouveia, argumentamos, analisamos o trabalho da imprensa sob o aspecto profissional, não atacamos as pessoas, questionamos o TRABALHO e objetivamos explicações sobre os diversos fatos que muitos participantes relataram nos seus comentários.

     
  • Às 25 de junho de 2009 10:05 , Anonymous Macedo disse...

    Claro, sr. Juvenal Portugal Gouveia.

    Vamos "deixar os homens trabalharem".

    Nós temos apenas que dizer amém e sim, senhor.

    Vou agora mesmo comprar minha fantasia de avestruz e procurar um bom pedaço de terra pra enfiar a cabeça.

     
  • Às 25 de junho de 2009 12:26 , OpenID orapilulas disse...

    O jornalismo esportivo morreu, há muito tempo.

    Segue no mesmo caminho tortuoso da cobertura política.

     
  • Às 25 de junho de 2009 14:29 , Anonymous Anônimo disse...

    Sr. Marco

    Não quero nenhum embate com o senhor. Quero apenas justiça. Os locutores já nem podem ir mais para o estádio que sofrem ameaças. Há um locutor que voces acham que é antipalmeiras e já foi ameaçado agressão e de morte pela torcida do São Paulo. O Milton Leite teve que fugir da cabine em um jogo noturno. A torcida do Santos invadiu a cabine do Sportv. Quebrou tudo. O senhor acha isso justo? Os locutores são pais de família e outros dependem deles. Voces ficam falando certas coisas no site que revoltam a torcida. Por favor, parem. Não vou voltar ao assunto. Vou ficar de olho. Quando escreverem bobagens, volto a postar. Eu tinha escrito uma resposta grande e caprichada, mas não sei porque sumiu tudo misteriosamente. Acho que bati em alguma tecla errada.
    Juvenal P.Gouveia

     
  • Às 25 de junho de 2009 15:34 , Anonymous Marco disse...

    Sr. Juvenal,

    Neste ponto, concordo plenamente com o Sr.
    Provavelmente, o senhor não deve ter acompanhado as "postagens" por aqui, desde o início do "blog".
    Sempre foi política do "blog" e de vários colaboradores a critica ao comportamento agressivo.
    Escrevemos em um espaço freqüentado por pessoas de bom nível de informação e o senhor sabe muito bem que o público adepto ao vandalismo não tem o perfil de freqüentar espaços como esse.
    Procure observar que as criticas vêm sempre acompanhadas de exemplos. Fazemos os comentários baseado em fatos que podem ser observados por qualquer leitor. Não inventamos nada e registramos o que muita gente observa.
    Tenha certeza que a maioria dos jornalistas não têm problemas para freqüentar estádios. Conheço vários deles, incluindo muitos que não são palmeirenses. São respeitados e tratados com a máxima cordialidade quando vão ao Palestra Itália. Recebem esse tratamento pela postura que adotam no exercício profissional.
    Acrescento um importante detalhe que faltou nos comentários anteriores. Para ser justo com vários jornalistas deveríamos considerar também a hipótese do profissional ser obrigado a adotar uma linha de conduta, seguindo as diretrizes do veículo de comunicação que trabalha. Na prática, isso que dizer: obedecer às determinações da chefia. Talvez esteja ai a explicação: entender quais os interesses envolvidos!
    Sr. Juvenal, a imprensa é uma categoria profissional como qualquer outra, não é composta de pessoas perfeitas. Por que ela ou parte dela não pode ser cobrada, como qualquer outra categoria profissional? Não se esqueça que o jornalista tem todo o espaço, todo o tempo para se manifestar e formar opiniões. Apenas nos últimos tempos, graças à tecnologia, o público começou a manifestar suas opiniões. Não será um "blog" como o "OAV" que irá alterar esse equilíbrio de forças.
    Sua preocupação é louvável, mas peço que entenda que o combate ao mal jornalismo ajudará muito a melhorar o contexto do esporte.
    Dizem que o futebol é a coisa mais importante entre as menos importantes. Quem sabe ele sirva de exemplo para que a sociedade aprenda a se manifestar, exigindo mais respeito em todos os níveis.
    Sempre lembrando que graças ao contraditório temos a oportunidade de fazer os esclarecimentos.

     
  • Às 25 de junho de 2009 16:38 , Anonymous Macedo disse...

    Concordo com o Marco que o futebol é uma coisa de menor importância, menos importante que política, economia e outras questões sociais.

    Porém, no mundo moderno muitas vezes as fronteiras entre os diferentes setores desaparecem.

    Por exemplo, aquele deplorável evento que reuniu cartolas e políticos no esforço de enfiar o morumbi goela abaixo como estádio da copa.

    Difícil definir onde termina o esporte e começa a politicagem, difícil saber qual a posição (e os interesses) dos vários setores da mídia em relação ao possível uso de recursos públicos em estádios privados, difícil saber o que vai determinar realmente a escolha dos estádios, difícil interpretar toda a teia de interesses e pressões.

    A única coisa que sabemos é pra quem sobrará a conta. Fácil é saber que o interesse público pode estar sendo comprometido.

    Não há o que possamos ter escrito aqui que tenha consequencias mais nefastas do que os possíveis resultados daquela "reunião entre amigos".

    Todos aqui condenamos e criticamos atitudes violentas, e não aceito em nenhuma hipótese insinuações e acusações de que este espaço esteja incitando à violência.

    A relação de causa e efeito que este sr. Juvenal procura estabelecer é simplória, forçada e sem base na realidade.

    Quem sabe o sr Juvenal possa tecer algumas considerações a respeito das ligações perigosas entre vários setores que a copa propicia, e ao mesmo tempo sobre a timidez com que a mídia aponta as impropriedades em todo o processo de preparação para a copa, em vez de se auto-intitular patrulheiro de um blog de torcedores que procuram discutir a atuação da mídia.

     
  • Às 25 de junho de 2009 16:45 , Anonymous Marco disse...

    Sr. Juvenal, só mais um detalhe referente ao assunto específico dos comentários e não a generalização do assunto.

    O Sr, escreveu
    "Vou ficar de olho. Quando escreverem bobagens"
    O Sr, vai vigiar o "blog"? É isso?
    Qual o seu interesse em controlar o que é escrito por aqui?

    Quando foi que escrevemos bobagens?
    Quais foram as bobagens escritas? Poderia nos ajudar a entender?
    Ao escrever, tentamos citar os fatos, situações concretas, ilustramos com exemplos, exemplos que poderiam ser analisados um a um.
    Não está havendo da sua parte uma inversão de valores? Todos os absurdos praticados na imprensa não devem e não podem ser comentados, mas a opinião do público precisa ser vigiada?
    O Sr. quer justiça? Então, estamos do mesmo lado, chega de manipulação de opinião, chega de tratamento diferenciado, de exagerar algumas situações e esconder outras. Trabalhando com seriedade ninguém mais será cobrado como vem sendo.

    Foi citado o Sportv, então aproveito para dar um exemplo simples. Nos jogos do Palmeiras, na maioria das jogadas polêmicas favoráveis ao Palmeiras e não marcadas pela arbitragem a equipe técnica da emissora não mostra repetições ou quando faz reduz ao máximo a exibição. Enquanto isso, a equipe de transmissão minimiza ou procura justificar o erro. Por outro lado, quando julgam que houve benefício ao clube, adotam uma postura de "indignação" de "revolta", o lance é repetido a exaustão e insistem nos comentários durante o restante da partida, insinuando que houve má intenção da arbitragem. Nesse caso, não aparecem os tradicionais argumentos que o lance foi difícil, que o árbitro tem fração de segundos para decidir, etc....
    Não aconteceu uma, nem duas vezes, mas várias e muita gente nota, pelo que se percebe nas manifestações gerais na internet.
    O Sr. não precisa acreditar nessa exposição, apenas procure prestar atenção daqui para frente, comparando a diferença de tratamento. Quem sabe, não julgue mais que falamos bobagens.

    -------

    Obs: Caso o Sr. tenha acompanhado os comentários posteriores ao jogo Palmeiras x Nacional, no Palestra Itália, deve ter notado que a avaliação sobre os erros técnicos e táticos da equipe do Palmeiras foi ampla. Não se falou de arbitragens e de imprensa. Escrevemos sobre tudo, mas damos preferência ao que é esquecido e não deveria ser. Além disso, a participação dos torcedores sobre o futebol não se restringe ao "Blog" OAV.

     
  • Às 25 de junho de 2009 23:16 , Anonymous Anônimo disse...

    Senhores palmeirenses do blog.

    Parem de ver fantasmas.

    Não entrem na onda da "conspiração" para prejudicar esse ou aquele clube.

    Os profissionais de comunicação erram, como qualquer outra pessoa ( torcedor, blogueiros, treinadores, juizes, advogados, médicos e etc ).

    Porque a mídia toda estaria CONTRA O PALMEIRAS, esse clube histórico, vitorioso, de tanta tradição?

    Não é mais justo compreender que os jornalistas são falhos, se equivocam, alguns são pouco experientes, ao invés de tachá-los de corruptos, levianos ou coisas assim ?

    Não acredito que os senhores estejam com complexo de inferioridade, achando que os demais clubes de São Paulo são mais importantes que o Palmeiras. E por isso o Verdão seria perseguido.

    Nada disso.

    Concordo com o Juvenal sobre vários profissionais correrem risco de vida nos estádios, exatamente pelas torcidas insuflarem a massa contra esse ou aquele comunicador.

    Trata-se de uma atitude que pode provocar tragédias. Mais do que já temos na sociedade.

    Obrigado pelo espaço.

    Alberto Cury

     
  • Às 26 de junho de 2009 09:57 , Anonymous Edson disse...

    Quero mostrar ao sr. Aberto Cury e ao sr. Juvenal, que escreveram posts muito ponderados e com uma visão diferente, embora não possa aceitar a ilação de que o blog esteja incentivando a violência, manchete do portal terra, que evidencia a má vontade de quem escreveu, não se sabe o motivo.

    “Sem gols no fim, Palmeiras “brigaria” na rabeira”

    http://esportes.terra.com.br/interna/0,,OI3839607-EI2013,00.html

    Qual seria o motivo para escrever uma coisa boba dessas? Por acaso, gols no fim não valem?

    Teria validade uma manchete similar?
    "Sem erros de arbitragem o São Paulo não teria sido campeão".

    Isso é para tumultuar e encher o saco.


    Os jornalistas deveriam ter o cuidado de serem imparciais e não ficarem plantando coisas que se discute em boteco em grandes meios de comunicação, pois isso é ou não é conversa de boteco?
    Nem se discute o conteúdo da matéria, mas a manchete é de amargar.

    E por que razão blog de torcedores não podem avaliar essa manchete?

     
  • Às 26 de junho de 2009 10:51 , Anonymous Marco disse...

    Considero que tudo o que poderia ser comentado sobre esse assunto já foi.
    Não haveria a necessidade de escrever mais uma frase sobre o assunto, caso as pessoas tivessem a intenção, a boa vontade de entender.
    Parece que não é assim.

    O Observatório Alviverde surgiu para ocupar o espaço do Observatório verde, que por compromissos pessoais dos autores foi obrigado a interromper suas atividades.
    O objetivo do "blog" foi definido de forma muito clara desde a sua criação, analisar a atuação da imprensa esportiva inspirado no mesmo modelo do observatório verde: o observatório da imprensa. Neste "blog" podemos até falar de questões técnicas do futebol, mas não é essa a sua finalidade principal, que fique bem claro! A "Mídia Palestrina" é composta de inúmeras páginas, cada uma com seu perfil. Aliás, a "Mídia Palestrina" surgiu para ocupar o espaço que não existe na imprensa em relação ao Palmeiras, apresentar comentários e notícias não influenciadas por interesses de terceiros.

    Quem comete a heresia de criticar a imprensa ou jornalista, é classificado como passional, como "conspirador". Para isso adotam a generalização, os "chavões", as frases feitas, típicos de quem não quer debater e sim rotular.

    Esse não foi o primeiro tópico que o Observatório Alviverde escreveu, analisando a atuação de segmentos da imprensa esportiva. O "Blog" sempre se caracterizou pela descrição dos detalhes, pela ilustração das suas opiniões com fatos. Claro que existem situações que são do conhecimento de muitas pessoas, mas não podem ser descritas. Mesmo sem elas, é possível analisar o que ocorre em parte da imprensa, no caso, parte da imprensa esportiva. Seria muito bom para o país que esse nível de envolvimento das pessoas com o esporte também ocorresse em outros setores.

    Claro que o profissional do jornalismo é igual a qualquer outro profissional e está sujeito a falhas, a erros, como qualquer outro. Porém, é muito fácil para quem acompanha com detalhes o esporte perceber quando a situação é de falha e quando é de tendência.

    A forma como defendem o jornalismo esportivo tornou-se característica. Além do tradicional corporativismo, a tática de desviar o foco, desqualificar o crítico e apelar para fatores emocionais se mostra cada vez mais comum.

    Essa tática impede a discussão dos problemas, pois a contra-argumentação será sempre a mesma. Não adianta entrar em detalhes, mostrar fatos, expor idéias, pois a resposta será sempre igual. Por mais que se mostrem as razões das críticas, nada será levado em conta.

     
  • Às 26 de junho de 2009 10:53 , Anonymous Marco disse...

    Voltando ao assunto que é o tema central do "blog", o Palmeiras, dizer que não existe tratamento diferenciado ao clube é uma ignorância histórica.

    O clube enfrenta esse tipo de situação desde a sua fundação e muita gente que trabalha na própria imprensa relata seus problemas quando em contatos pessoais. Sabemos de jornalistas que torcem pelo Palmeiras e que são obrigados a agir de forma contrária a sua vontade para manter sua posição nas empresas, fato revelado pelos próprios jornalistas. Entretanto, não posso esperar que argumentos como esses sejam aceitos por quem não admite que exista parcialidade na imprensa. Não aceitam o relato de fatos claros, comprovados. Vão aceitar depoimentos como esse?

    Tudo isso sem falar nos interesses comerciais e políticos envolvidos.

    Poucas pessoas da imprensa esportiva enfrentam dificuldades para ir aos estádios, mas são por causa de "blogs" na internet. Enfrentam dificuldades pelo comportamento que adotaram ou que foram forçadas a adotar. Muito mais significativo que "blogs" de internet com alcance limitado, por exemplo, são as brigas com imagens, protagonizadas por determinados profissionais da mídia.

    Quem participa de "blogs" na internet, do estilo desse, procura debater, expor suas idéias, não busca confronto e não estimula violência. Ao contrário, pretende, com suas críticas, que os comportamentos mudem.

    Não é a primeira vez que somos obrigados a escrever sobre essa nossa postura, mas, infelizmente, quem responde insiste no ponto querendo impor o conceito pela repetição.

    Tivemos bons exemplos de jornalistas que foram cobrados por participantes de "blog", compareceram ao debate e passaram a ter admiração e o respeito por se mostrarem abertos ao diálogo e com a intenção de melhorar sua conduta.

    Fica muito estranho, e parece uma questão pessoal a conduta de algumas pessoas, que mesmo tendo todo o espaço disponível em meios de comunicação para se manifestar, ainda buscam limitar, inibir a participação do público esportivo. Talvez, para essas pessoas o público esportivo só tenha o direito de pagar pelo serviço e calar a boca, aceitando tudo o que é imposto pelos formadores de opinião e por suas chefias.

     
  • Às 26 de junho de 2009 11:20 , Anonymous Macedo disse...

    Curioso como algumas pessoas se apegam a frases feitas e generalizações simplistas para fechar os olhos a realidades evidentes.

    A cobertura jornalística da política, por exemplo, sofre fortíssimas pressões em função de todo tipo de interesse, além da própria idiossincrasia dos autores das matérias e responsáveis pelas coberturas.

    Se a cobertura política sofre distorções da origem até o destino, a cobertura esportiva, por definição menos importante, também sofrerá, com consequências muito menos abrangentes e relevantes, mas ainda assim nocivas.

    Mesmo que não haja conspiração ou movimentos articulados pró ou contra este ou aquele time, quem acompanhou a campanha pelo rejulgamento e suspensão do Diego Souza no brasileiro passado certamente estranhou o comportamento de alguns setores da mídia.

    Quem acompanhou a onda de suspeição e de pseduo-defesa da ética lançada contra o Palmeiras - Vitória - Marquinhos - Traffic no fim do campeonato, pelo fato do jogador já ter sido contratado pelo Palmeiras, aí vai estranhar muito mais.

    Outros times na mesmíssima situação, que enfrentaram futuros contratados em jogos decisivos, simplesmente passaram incólumes, absolutamente nada foi citado na imprensa, numa evidente demonstração de avaliação com dois pesos e duas medidas.

    São apenas dois exemplos levantados ao acaso. Uma pesquisa mais aprofundada vai mostrar inúmeras outras situações que justificam o questionamento atento, permanente e civilizado de blogs como este OAV.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial