Observatório Alviverde

08/04/2014

A NOTÍCIA É BOA! VINICIUS FOI EMPRESTADO AO VITÓRIA! MAS QUEM VIRÁ PARA O LUGAR DELE?



Não sei qual foi a "sumidade" de nossa base que superdimensionou a capacidade do mediano Vinícius, a ponto de conseguir fazê-lo o jogador mais novo a vestir a nossa camisa. Com todo o respeito ao jovem atacante, esta é uma prerrogativa que ele não merecia!

Felipão, que adora jogadores toscos, corredores, combativos e obedientes, encampou a idéia, se é que não tenha sido ele o autor de tamanha estupidez!

Imaginando (só imaginando) que tivesse em mãos um superdotado do futebol, Scolari promoveu Vinicius, um atleta comum, limitado e imaturo, imediatamente, indevidamente ao time profissional, e o Palmeiras, como sempre, pagou caro por seu crasso erro de avaliação! 

O tempo se encarregou de provar, cento e oito jogos depois, (coisas que só acontecem no Palmeiras) que Vinicius não estava pronto nem para a base, a julgarmos pelas suas pífias apresentações na Copa São Paulo de juniores deste ano.

Quando ele juntou-se aos garotos da base com o status de salvador da pátria para enfraquecer, digo, "reforçar" o time, eu disse para comigo mesmo: "-perdemos outra Copinha! Não deu outra!

Longe de querer atribuir-lhe a culpa pelo fracasso (que é do técnico e dos dirigentes) registro que o nosso melhor e mais criativo, atacante, João Pedro -hoje no Cu-ríntia- ficou inexplicavelmente esquentando o banco e vendo Vinicius ocupar indevidamente a posição e vestir a camisa que, por merecimento deveria ser dele!

Em suma, por não ser nenhum jogador acima da média, e, -menos ainda-, um fora-de-série, Vinicius deveria, antes da açodada promoção ao time principal, ter percorrido de forma natural os trâmites e degraus normais de sua carreira, a fim de amadurecer e de aprimorar o seu futebol, antes de desfrutar de uma vaga cativa no elenco do Palmeiras, como ele desfrutou.

Sei que muitos vão me censurar pela abordagem forte e direta do tema, alegando que Vinícius "é, apenas um garoto", que é muito novo ou coisa assim, embora esteja ele a quatro meses de completar 21 anos e atingir a maioridade plena.

A esses respondo que aquilo que menos importa na análise da situação é a idade do atleta, recrutado da base para o time principal -é verdade- em tenros 16 anos. 

O que conta, em situações análogas, é sua qualidade técnico-individual, seu futebol e, principalmente, a sua madureza, traduzida por sua capacidade de adaptação a uma categoria superior, aspectos que, ao menos até o jogo Ituano 1 x 0 Palmeiras, Vinicus esteve longe de mostrar.

Para sepultar qualquer argumentação daqueles que se condoem com críticas a jogadores mais novos, Pelé, em 1958, na época apelidado de Pererê, foi artilheiro do Paulistão aos 16 anos marcando 58 gols, com críticas ou sem críticas!

Da mesma forma Edu (ponta esquerda revelado pelo XV de Jaú e pelo próprio Santos) o mais jovem jogador a vestir a camisa da Seleção Brasileira, aos 16 anos,  recebeu uma saraivada de críticas quando chamado para a Seleção, e, no entanto, nem por isso sucumbiu. Foi campeão do mundo no México em 1.970!

Querem um exemplo doméstico e mais recente? Edu Manga!

Ele nasceu em 1963 e em 1985, na idade atual de Vinicius, foi recrutado por Enio Andrade para o futebol profissional, ficando, a partir daí, sujeito à apreciação crítica da mídia paulistana que, se sabe, nunca foi simpática ou favorável ao Palmeiras e, jamais apalpou ou poupou qualquer jogador alviverde. 

Edu Manga, em campo, principalmente quando foi convocado para a Seleção, calou -completamente- os críticos, o que Vinicius jamais soube fazer, ressalvada a diferença técnica descomunal de qualidade que, teoricamente, os separa, do vinho para a água!

Como se vê, os craques já nascem feitos, e eles sim podem ser recrutados -assim como Rivelino no Curintia e Ademir da Guia, no Bangu e no Palmeiras- antes da hora, para os times profissionais

Vinicius está longe de ser, sequer, um projeto de jogador diferenciado, quanto mais de um craque. Por que queimar etapas com um jogador tecnicamente mediano? Não dá pra entender!

Em 108 partidas - entre as que entrou com a bola em movimento, por poucos minutos e as que começou como titular, Vinicius conseguiu assinalar a "extravagante" soma de 8 gols! Quanta perda de tempo... e de títulos, naturalmente!

Certa vez escrevi neste espaço que Vinicius deveria ter, dos dois, um; ou um padrinho muito forte ou um empresário influente.

Só isso poderia explicar e justificar a sua longa e estéril permanência no elenco titular do Palmeiras, registrando-se que, nunca, na história do clube, um atleta da base desfrutou de tantas e reiteradas oportunidades para se firmar no elenco principal quanto ele.

Ao mencionar tudo isso, não significa que estejamos rebaixando Vinicius, colocando-o no patamar daqueles aos quais chamamos de "grossos"!

Fique claro, considero-o um jogador mediano, óbvio, sem o drible fácil no pé, cuja capacidade de ação resume-se às jogadas de velocidade pelo lado esquerdo do campo! Se seu repertório técnico for mais abrangente, isso ele não conseguiu mostrar no centenário de jogos em que vestiu a nossa camisa.

Aliás, essa exclusiva performance pelo flanco esquerdo, foi única função que Vinicius conseguiu desincumbir de forma razoável em sua interminável trajetória de 108 jogos com a camisa do Palmeiras, com uma ou outra atuação um pouco melhor em que conseguia sair-se satisfatoriamente, enganar-nos por um ou dois jogos, após o que retornava a sua habitual toada improdutiva!

Pelo que vi, analisei, observei e senti, a propósito de Vinicius, quero reiterar de uma forma bem clara que o considero mediano e  irregular, um jogador nota 5.

Ele, no Palmeiras, progredia, embora a passos de tartaruga, de forma intermitente e oscilante para uma nota 6, com alguma perspectiva de, com o passar do tempo e com a chegada da maturidade, alcançar, no máximo, a condição de um atacante nota 7. É muito pouco para as responsabilidades e ambições de um clube como o Palmeiras.

Foi tardio o empréstimo de Vinicius para o Vitória, mas essa é a única esperança de o Palmeiras poder se ressarcir de todo o investimento estupidamente empreendido - apostar todas as fichas em um jogador, apenas, mediano-, cuja presença no elenco era sinônimo de prejuízo. 

Além realizar muito pouco, -quase nada-, quando escalado, Vinicius ocupava um lugar estratégico no elenco que poderia, perfeitamente, ter sido destinado a um atleta mais capacitado que chegasse e resolvesse, -de pronto-, os nossos crônicos e recorrentes problemas ofensivos.

Emprestar o jogador, reitero, é uma forma inteligente e viável de minimizar e corrigir essa malfadada situação, embora a diretoria tenha demorado demasiadamente, antes de tomar a iniciativa.

Agora é esperar que outro clube -o Vitória- de menor importância e responsabilidade do que o Palmeiras no cenário esportivo nacional, possa ter Vinícius no elenco e, em troca de sua cessão, tenha a paciência suficiente para esperá-lo, primeiro, desabrochar para o futebol e, depois, para se firmar profissionalmente.

Milagres acontecem -até no futebol- e, quem sabe, daqui a um ano ou mais, Vinicius estoure e possa retornar ao Verdão como um jogador profissionalmente amadurecido, definido e consolidado.

Mas, a se julgar pelo que ele (não) mostrou nas tantas vezes em que vestiu a gloriosa "maglia" esmeraldina, (sempre faltou muito para que ele pudesse ser ungido, sequer, como grande revelação) esse milagre dificilmente ocorrerá. Quem viver, verá! Espero viver!

Substituir Vinicius é fácil! Ultimamente até um cone o faria! Que a diretoria, agora, trate de ir atrás de um atacante de verdade, capacitado, experiente e à altura de nossas maiores necessidades!

QUEM VOCÊ INDICARIA PARA O LUGAR DE VINÍCIUS?

COMENTE COMENTE COMENTE 

11 Comentários:

  • Às 8 de abril de 2014 09:28 , Anonymous Anônimo disse...

    No elenco temos mais de 30 jogadores que dificilmente jogam e quando um ou outro joga não acrescenta muito então a começar pelo Vinícios manda mais uns 8 embora.
    Não é emprestar e mandar embora de vez.

    As. J.J

     
  • Às 8 de abril de 2014 09:33 , Anonymous Anônimo disse...

    Que tal no lugar do Vinícios colocar o nosso Rodolfo (ele seria o João Pedro da Vez).
    E um jogador do clube e veio a custo "Zero"

    As.J.J

     
  • Às 8 de abril de 2014 10:11 , Anonymous Marco disse...

    Não é preciso nenhuma contratação para o lugar do Vinícius.
    Segundo atacante é a posição com número suficiente de opções no elenco.
    Leandro - Patrick Vieira - Serginho - Mazinho.
    Quatro jogadores para uma posição.
    Contratação para essa posição, só se for alguém diferenciado.
    Falta uma opção para o comando do ataque, pois temos só o Kardec, considerando que o Kleina não dá chances ao Rodolfo, pelo menos para se saber se ele pode jogar pelo Palmeiras.
    Miguel é outro jogador que precisa ser emprestado, para ver se desenvolve sua carreira.

     
  • Às 8 de abril de 2014 10:15 , Anonymous Marco disse...

    Realmente, mandar embora de vez um jogador que tem seus direitos ligados ao clube seria uma opção inteligente.
    O cara vai para outro time e perdemos a possibilidade dele acertar e passar a ter valor de mercado e o outro time lucra.
    O futebol já ensinou a ter mais cuidado com esse tipo de avaliação.
    Lembram-se do Rodrigo Taddei, que era motivo de piada entre os palmeirenses? Saiu de graça e fez carreira na Itália, sendo cogitado até para a seleção italiana!

     
  • Às 8 de abril de 2014 11:17 , Blogger riq lopez disse...

    Realmente, nossos jogadores da base tem má formação crônica, mais alguns deles se tivéssemos um técnico eu disse um técnico mostrariam resultados sim, são os casos do Dybal, Renato, Denoni, Luis Gustavo, Chico e alguns que não foram promovidos que participaram da copinha esse ano três bons jogadores, Matheus Muller, Gabriel Dias, Christopher e duas apostas Mateus Gonçalves e o tão pedido por Kleina lateral direito Leo Cunha merecia ter oportunidades ja que o Bruno Oliveira não se recupera nunca, acho que esse é o pensamento da maioria da torcida palmeirense.

     
  • Às 8 de abril de 2014 12:31 , Anonymous MestredosMagos disse...

    ALCIDES

    Quer saber de verdade?

    Não vem ninguém que possa fazer esse time aumentar de valor e ser um dos que irão disputar o título.

    Não estou com esperança.

    Com todo respeito, mas Douglas Tanque?

    Então busca o João Pedro de volta se for assim.

    O Palmeiras precisa de jogadores que tenham currículo. Não digo velhótes decadentes, mas pelo meno que saibam dar um passe de 1 metro.

    Eu já disse isso fim do ano passado e começo desse ano.

    Precisa jogador com pedigree.

    Por exemplo, são paulo e corinthians disputam Rafaél Sóbis e nós Douglas Tanque.

    Me desculpem, mas existe uma distância quilométrica em matéria de jogador.

     
  • Às 8 de abril de 2014 12:32 , Anonymous MestredosMagos disse...

    ALCIDES

    CONTINUA...

    Eu tenho meia canhoto pra indicar.

    Eu tenho atacante pra colocar o Leandro no banco e no bolso.

    Eu tenho atacante pra jogar de igual pra igual com Kardec.

    Mas isso custa dinheiro e a diretoria não quer investir.

    Digo investir porque é pra montar time pra no mínimo estar na Libertadores em 2015.

    Não adianta ficar pensando em Serginho, Patrick Vieira, Miguel, Mazinho.

    Temos que qualificar o ataque com artilharia pesada.

    Temos que ter de 5 a 6 atacantes de nota 8 pra cima.

    Fica atrás de baboseira, de custo zero, de produtividade, de MISERÊ, Isso não vira mais nada.

    O Palmeiras precisa mais do que depressa de pegar essa molecada que não dá sinal de jogar bola e vender, trocar, emprestar, SE VIRAR NOS TRINTA.

    Temos jogadores com mercado ainda e não podemos dificultar muito a saída.

    Penso que deveríamos sim negociar WESLEY E LEANDRO, caso apareça uma boa proposta, pois em minha concepção de futebol , ambos são perfeitamente substituíveis

     
  • Às 8 de abril de 2014 12:34 , Anonymous MestredosMagos disse...

    ALCIDES

    CONTINUA...

    Temos que parar de fantasiar nossos meninos da base.

    O único que tem jogado bem é o João Denoni.

    O Dybal deve ser mantido ainda porque pode ser lapidado. Os outros, se foram devolvidos é porque não prestaram em outros times.

    Me desculpem, mas é a verdade.

    Jogador que não deu certo no Oeste, no Vitória, ou seja, que teve um vestibular em outro time de menor expressão e não vingou, rua.

    Vende logo.

    Pouco me importa se vai dar certo em outro clube. Mas aqui não está dando, aliás, está dando sim, só PREJUÍZO.

    Até porque esses caras ganham salário maior do que jogadores do Ituano por exemplo.

    Tá na hora de limpar pra valer.

    O que deu certo deu, o que não deu, paciência e tchau.

    O Patrick Vieria por exemplo, foi jogar na terra de amarrar cachorro com salsicha e os caras não quiseram comprá-lo.

    Gente, olha o nível de futebol de lá e parem pra pensar. O cara não serviu pros orientais, como vai jogar aqui.

    A gente, eu inclusive, tenta tapar o sol com a peneira, o Patrick parece até ter jeito por ser canhoto e tal, mas hora que pega na bola, me desculpem, mas é de cagar um quilo em uma tampinha.

    Os jogadores bons que tivemos de base, nós perdemos de graça.

    Nisso o Palmeiras tem sido craque.

    Segura as bagaceiras e perde os bons por não ficar de olho na vigência do contrato. Foi assim com Bruno Cesar e o lateral direito Ilsinho.

    Hoje temos o Bruno Cesar de volta e com ele, os quilos que o dinheiro lhe proporcionou comer.

     
  • Às 8 de abril de 2014 12:35 , Anonymous MestredosMagos disse...

    ALCIDES

    CONTINUA...

    E pra finalizar, entra jogador, sai jogador, entra ano e sai ano, o Palmeiras continua sendo o time que mais quebra jogador por lesão muscular.

    Dio Santo, será que ninguém tá vendo, que temos uma rotatividade alta de jogador e embora de biotipos diferentes, sempre que chegam no Palmeiras incorrem nos mesmos tipos de lesão????

    Não conseguimos acabar o Paulista de praticamente 90 dias com o time inteiro.

    E não estou dizendo dos jogadores que tomaram as pancadas não marcadas pelos árbitros e sim do conjunto da obra e cito Diogo por exemplo, ou Mendieta e Bruno Cesar meia boca.

    Tem coisa pra arrumar.

    Os bastidores é mais um.

    Mas penso que com um time forte, um time que bote respeito, um time que chame atenção da mídia, da imprensa, fatalmente será capaz de atrair um bom patrocinador também.

    Daí a engrenagem começa a virar.

    Não é cortando errado.

    Se o motor do Palmeiras é o futebol, se seu fator de rendimento é o futebol, você não pode enfraquecer a máquina, colocar óleo velho, peça de segunda, terceira linha, que o motor vai acabar fundindo.

    Essa mudança de pensamento é CRUCIAL.

    Bom e barato é questão de observação e rapidez.

    Bom e barato não é solução. Pode até ser se você tiver faro apurado para contratar.

    Por fim bom e barato tem que ser o complemento no máximo.

    O Palmeiras tem que para com essa mania de ser lotérica, ou seja, casa de apostas.

    Bom é isso por enquanto.

    Saudações.

     
  • Às 8 de abril de 2014 17:39 , Anonymous Anônimo disse...

    De uma coisa não dá pra reclamar. O Vinícius teve muita chance no Palmeiras. Não soube aproveitar isso sim.

    Talvez com o empréstimo ele caia na real e comece a jogar. Nem só de pagodinho véio vive um jogador. Atacante vive de gols, Vinishow.

    O bom do empréstimo é que ajuda o Kleina a não escalar errado. Dessas tranqueiras que ficaram, alguns até rendem quando entram no 2º tempo. Colocar o Vinícius era pedir pra não resultar em nada.

     
  • Às 8 de abril de 2014 17:46 , Anonymous Marco disse...

    Alan Kardec, hoje com 25 anos e valendo 4 milhões de euros, quando começou no Vasco era considerado jogador comum. O Vasco não fez força para segurá-lo. Vendeu na primeira oportunidade.
    Elias, que voltou para o gambá, foi dispensado e se destacou na Ponte Preta.
    Nossos times de base, nos últimos anos, têm resultados semelhantes aos concorrentes, chegam as fases finais dos seus campeonatos, mas quando sobem para o time principal não recebem as oportunidades devidas e quando entram no time são cobrados como se fossem veteranos.
    O Santos consegue revelar jogadores porque criou um clima positivo para os garotos, não tem tanta gente enchendo o saco. O peso da responsabilidade fica para a direção, para o treinador e para os jogadores experientes, até os garotos conquistarem seu espaço.
    O Palmeiras tem hoje número suficiente de jogadores experientes para segurar a onda e poderia lançar os garotos aos poucos.
    Prass, Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira, Wesley, Valdívia, Bruno César são nomes para conduzir o comportamento do elenco e mesmo entre os jogadores medianos, vários deles têm idade para fazer esse papel.
    Porém tudo isso é sem importância, caso o Palmeiras não mude sua postura e continue a ser comportar como mulher de malandro, levando porrada de todos os lados e não reagindo.
    Pode ter a melhor base do mundo e contratar o elenco inteiro do Barcelona que vai fracassar com esse tratamento recebido das arbitragens.
    Temos que ter 55 titulares, cinco times de primeira linha, para suportar um campeonato onde quebram os jogadores palmeirense e nada acontece.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial