Observatório Alviverde

01/03/2017

O QUE PODE MELHORAR AINDA MAIS NO PALMEIRAS, COM A VOLTA DE TCHÊ-TCHÊ?



Tchê Tchê pode ser a novidade do Verdão 6ª-Feira contra o Red Bull em Campinas.

É um retorno muito bem vindo na medida em que robustece demais o time do Palmeiras individualmente e taticamente.

Tchê, titularíssimo, é peça vital do atual elenco, cuja simples presença na equipe tem o poder de alterar não apenas a tática de jogo, mas a própria forma de jogar do time do Palmeiras. 

Trata-se de um jogador tão importante para a atual temporada que eu até o preservaria e não o escalaria contra o Red Bull se não estivesse convencido de seu completo restabelecimento.

Um atleta como Tchê-Tchê teoricamente teria de ser preservado visando aos jogos mais importantes que o Palmeiras vai cumprir nesta temporada. 

De qualquer forma, como o novo departamento médico alviverde garante e tem a convicção plena de que ele está cem por cento apto, convém então que ele retorne imediatamente ao time a fim de recuperar o mais rapidamente possível o seu ritmo de jogo! 

Fabiano e Arouca, da mesma forma, também já estão anunciados como recuperados e à disposição de Eduardo Batista para a difícil sequência de jogos que o Palmeiras terá pela frente daqui ao início do Brasileiro-17. 

Agora falta, apenas Moisés!

Sem me estender no assunto Moisés, cuja recuperação demanda mais tempo, quero perguntar o seguinte: 

Com o retorno de Tchê, que e qual torcedor, em pleno gozo de saúde mental, juízo e bom-senso optaria então pela sequência da titularidade de Zé Roberto, ainda que considerando a sua técnica, a sua classe, a sua vivência e a sua categoria?

Que outro jogador do atual elenco teria condições de exercer essa função de volante de dupla ação, isto é, de contenção e armação a um só tempo?

Aliás, embora eu transite agora pelo terreno das hipóteses, você acredita que perderíamos o derby nas circunstâncias trágicas em que perdemos com Tchê em campo? 

É claro que não, é evidente que não, é cristalino que não, é óbvio que não! 

Explico:

Cabe a Tchê, o motorzinho do Palmeiras, além da tarefa de defender qualquer setor ou compartimento da defesa que esteja sendo atacado, exercer em campo outras variantes táticas muito importantes. 

Se for ele quem desarma e readquire a posse de bola, efetuar o primeiro passe a quem esteja mais próximo ou mais bem colocado para contra-atacar e ajustar outra subida ataque, tarefas, aliás, que Tche realiza e executa com perfeição.

Se o Palmeiras tem a posse de bola não com Tchê  cabe a ele deslocar-se e passar a se constituir numa espécie de opção de jogo para qualquer companheiro que esteja conduzindo a bola.

Com a velocidade que tem, com sua volúpia constante por atacar e o extraordinário poder que o caracteriza de fazer correr  os companheiros e o time pode-se dizer que Tchê proporciona grande rotatividade e muita dinâmica ao time, tanto e quanto verticaliza o jogo e proporciona N opções de chegada e de arremate aos companheiros de ataque, quando não é ele próprio que chega e o faz. 

Outra variante de Tchê-Tchê é aquela em que, recuperada a posse de bola por qualquer companheiro, ele se aproxima, encosta e é sempre uma opção para o desafogo, para a troca de bola, ou para dar sequência rápida ao lance, empurrando o time em direção à área adversária. 

O Curica, com dez em campo, teria resistido à pressão explosiva do Palmeiras com Tchê Tchê? Sou convicto de que NÃO!

Vocês se lembram da entrevista de Eduardo Baptista após o "derby" afirmando que os compartimentos do time (zaga, meio de campo e ataque) atuaram de forma estanque e distanciada contra o Curica e que em razão disso o time não teve capacidade para chegar?

É que faltou ao time a liga, o super-bonder tático palmeirense, o cola-tudo que antende pelo nome de Tchê-Tchê. Sem ele o time é outro, muito outro!

Mas o Palmeiras não melhorou contra a Ferroviária?

Sim! Melhorou muito, muitíssimo! Pode-se dizer que além das expectativas!

Mas só melhorou, explico, porque Zé Roberto eu não diria que copiou mas repetiu a forma de jogar de Tchê, mesmo sem conseguir dar ao time o mesmo poder ofensivo.

De minha parte, imaginando que Tchê fosse demorar muito a voltar e que o Palmeiras fosse precisar de ZR na meia cancha, abri postagem ontem sugerindo a Eduardo Batista que explorasse Zé Roberto na condição de lançador, estendendo a sugestão ao próprio atleta para que treinasse a função que, com um pouco de treino específico, ele teria (tem) capacidade de passar a exercer.

Entretanto, diante do retorno antecipado de Chê, creio que o time vai se acertar com ele na meia cancha e se movimentando da mesma forma como vinha atuando e que o levou o Palmeiras à conquista do Brasileiro em 2017.

O QUE PODE MELHORAR (AINDA MAIS) NO PALMEIRAS, COM A VOLTA DE TCHÊ-TCHE?

COMENTE COMENTE COMENTE?

16 Comentários:

  • Às 1 de março de 2017 07:08 , Blogger Emanuel Campana disse...

    Tchê tchê e Moisés são imprescindíveis. Ambos são jogadores modernos que atacam e defendem muito bem, ambos são meia e volante ao mesmo tempo. Os dois são tão versáteis que o Palmeiras em diversos jogos deu-se o luxo de jogar com os dois e Cleiton Xavier no meio campo e, no jogo contra o Coritiba no Allianz, o PALMEIRAS entrou com 4 atacantes (Erick, Gabriel Jesus, Roger Guedes e Dudu) e somente os dois (tchê tchê e Moisés) no meio campo.

    Quanto à pergunta acredito que muita coisa vai melhorar...

    Posse de bola, marcação alta, saída de bola, movimentação e criação de jogadas.

     
  • Às 1 de março de 2017 07:46 , Anonymous Verde insuperável disse...

    Tchê é imprescindível. Mais ainda do que Moisés, com mais concorrentes. Já ZR, o maravilhoso negro dos cabelos espetados, continuará com seus recital e liderança, na beirada esquerda do campo. Com Egídio no banco, aprendendo como se acerta um passe.

     
  • Às 1 de março de 2017 07:49 , Anonymous Verde insuperável disse...

    A liderança de ZR, aliada à sua (ainda) técnico refinada, o transforma em um insubstituível jogador. Saibam que o jogo termina na relva, entre as 4 linhas. Mas começa no Vestiário.

     
  • Às 1 de março de 2017 07:52 , Anonymous Verde insuperável disse...

    Em um time onde o treineiro é um néscio, um cristal, uma "cria do papai", ter a autoridade de um ZR é medida fundamental. E que se impõe, por si só.

     
  • Às 1 de março de 2017 07:58 , Anonymous Verde insuperável disse...

    UOL. Leiam o que Rueda diz sobre seus ex atletas: BORJA: PROFISSIONAL POR EXCELÊNCIA
    Miguel é um jogador com grandes características, com muita facilidade para o gol. Ele é caracterizado por sempre muito receptivo, muito disciplinado e com um bom acompanhamento do que falamos.

    Com os complementos que já tem no Palmeiras, seguramente a presença de Alejandro Guerra vai ser muito importante para ele. É um atacante que sabe finalizar muito bem, que tem muita potência e é um excelente profissional. É um jogador que se cuida a 500% e trabalha muito bem. Acho que vai triunfar com uma camisa histórica como do Palmeiras.

    GUERRA: FACILITADOR DE EQUIPE
    Ele tem uma técnica muito fina. É um jogador com uma grande inteligência de jogo e ainda é muito generoso no esforço que faz. Tem uma consciência muito boa sobre a coletividade da equipe. Sua grande virtude é que faz jogar bem os companheiros e, se chega ao gol, sabe fazer. É um meio-campista com gol. Tem todas as características para se dar muito bem.

     
  • Às 1 de março de 2017 08:04 , Anonymous Verde insuperável disse...

    Gostei da "camisa histórica como a do Palmeiras". Põe histórica nisso !! Estive na Colômbia, e pude constatar o quanto o PALMEIRAS é respeitado na terra do (também enorme) Gabriel Garcia Marquez.

     
  • Às 1 de março de 2017 08:14 , Anonymous Verde insuperável disse...

    Não nos empolguemos com a vitória sobre a Ferroviária. Certamente, o representante da bela Araraquara tem esse ano sua pior edição. Nosso verdadeiro teste será na Argentina, daqui a 7 dias. Se jogarmos na média em que estamos jogando, não voltaremos com vitória, nem se suplicarmos ao grande Bergoglio.

     
  • Às 1 de março de 2017 11:03 , Blogger Boca dura disse...

    Vámos ser cámpeoes da liberta apesar de EB

     
  • Às 1 de março de 2017 11:10 , Anonymous Arnaldo disse...

    O que pode melhorar ainda mais com a volta de Tchê Tchê?
    Simples: ter um técnico ativo, com vontade de ganhar e que conhece o futebol.

     
  • Às 1 de março de 2017 12:08 , Anonymous Verde e Branco disse...

    Sei que não tem haver com a postagem mas acabei de ver uma noticia de que o juiz que expulsou o corintiano pode pegar um ano de suspensão
    Se o juiz erra contra o curintia coitado
    Se erra a favor parabéns

     
  • Às 1 de março de 2017 12:38 , Anonymous VICTOR TREDENSKI disse...

    PARECE QUE O DEPTO MÉDICO DO PALMEIRAS

    TÃO MASSACRADO (COM RAZÃO) POR NÓS TORCEDORES

    PARECE QUE ENTROU NOS EIXOS

    A CONTUSÃO DO FM30, DIGAMOS, A MAIS SIMPLES DOS QUE MACHUCARAM NO PALMEIRAS (AROUCA, FABIANO TCHE E MOISES)

    EM OUTROS TEMPOS, LEVARIA UNS 2 MESES, NO MINIMO

    UM JÓINHA PRA VOCES AÍ DO DEPTO MÉDICO

     
  • Às 1 de março de 2017 19:23 , Blogger Boca dura disse...

    Vamos torcer para esse DM recuperar o profeta o mais rápido possível talvez em uns quatro
    Meses

     
  • Às 1 de março de 2017 20:05 , Blogger ester abea disse...

    amigos

    Com Tche-Tche o Verdão dá um grande passo para a Libertadores e Paulistão!!!

     
  • Às 1 de março de 2017 20:33 , Blogger Moisés Braga Ribeiro disse...

    Pegando um gancho do que disse o colega Verde e Branco.

    O pau-mandado do Linense não levou cartão amarelo, não pediu desculpas, não foi julgado pela atrocidade.
    E ainda é reincidente.

    E ainda tem palmeirense que acha que foi acidente de trabalho, mera infelicidade...
    Tá certo que o objetivo certamente era tirar o xará somente do clássico, mas achar que foi só coincidência?
    De jeito nenhum...

     
  • Às 1 de março de 2017 20:40 , Blogger Moisés Braga Ribeiro disse...

    Sobre o Tchê Tchê, apenas um acréscimo ao que disse o Alcides.
    Teremos mais uma opção na lateral direita.

    O Nei, alguns dias atrás, lançou a ideia de Tchê Tchê na lateral direita e Michel Bastos na esquerda.
    Gostaria muito de ver o time jogar assim também.

     
  • Às 1 de março de 2017 21:36 , Blogger Alexandre Correia disse...

    Tche Tche e Moisés tinham que ter contrato vitalício com o Palmeiras, 2 monstros que nos deram o Brasileirão 2016.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial