Observatório Alviverde

04/02/2009

MURICI RAMALHO, O MINISTRO DA EDUCAÇÃO. ATÉ QUANDO A MÍDIA VAI SE RENDER AOS MAUS TRATOS DO TÉCNICO DO SPFW? ATÉ AGORA SÓ A ESPN REAGIU!

O tosco e mau-humorado técnico do SPFW, Murici Ramalho, já apelidado por muitos como "Ministro da Educação", tem incomodado muita gente, desmoralizado repórteres e a própria mídia, tratando-os com desrespeito, ironia e desdém.
Curiosamente, subservientemente, a mídia trata o gravíssimo episódio de maneira jocosa, ou, fingindo que o fato não existe, como coisa de somenos importância. Fosse Murici técnico do Palmeiras, do Corinthians ou do Santos, esse desrespeito, isto é, essa sujeira estaria embaixo do tapete ?
Um dos brilhantes articulistas deste blog, Marco Verdão, abordou com propriedade o assunto na postagem anterior, antecipando o tema de hoje. O tema, aliás, havia sido sugerido, há dias, por meu irmão.
O que Murici em suas infinitas prepotência e ignorância não percebeu até hoje, é que é muito fácil ganhar títulos com o Bambi, o time que sempre jogou muito mais e melhor fora do que dentro de campo.
Técnicos desconhecidos, muitos deles sem a menor expressão, tornam-se vitoriosos a partir do momento em que assumem a direção do time do galho.
Para que não se aprofunde no assunto, basta que se diga que "ATÉ TELÊ SANTANA GANHOU TÍTULOS DIRIGINDO O SPFW". É preciso dizer mais ?
Até então, o mastigador de palitos não passava de um bom técnico. Nunca houvera conquistado nada de importância desde 1971, ainda que fosse competente e montasse boas equipes.
Hoje, post-mortem, é considerado um gênio e, para alguns idiotas da mídia, o melhor de todos os tempos, ainda que as suas conquistas sejam poucas para tão longa carreira, resumindo-se, coincidentemente, ao tempo em que permanceceu na direção dos bambis.
Suas participações na Seleção foram um fiasco, com a agravante de ter derrubado Evaristo Macedo de forma anti-ética e suspeitíssima, em conluio com a maior parte da imprensa alguns meses antes da Copa do México.
Citei Telê, o grande mestre de Murici, também pelo fato de ele, Telê, do modo dele, ser um prepotente, que gostava de se impor à mídia também pela grosseria e pelas respostas mal-educadas.
Telê foi copiado em tudo e por tudo pelo seu maior discípulo e seguidor, Murici Ramalho. Não apenas pelo mau humor e pela falta de educação nas entrevistas como pelo fato de ser vitorioso apenas no time super-campeão dos bastidores, o SPFW.
A mídia, de um modo geral, é masoquista. Adora dar cartaz àqueles que a hostilizam. Sócrates também foi um desses, sempre irônico e inacessível, mas insistentemente procurado e prestigiado. Hoje ele faz parte da imprensa e tem, até, programa de TV.
E o que dizer de Emerson Leão ?
Mas o anãozinho zangado do SPFW passou dos limites do bom senso, da tolerância e da má educação. Tanto passou que até um dos mais badalados jornalistas da atualidade, de comportamento flagrantemente pró-bambi, José Trajano, fez-lhe duras e contundentes críticas, proibindo (pelo menos foi o que disse na telinha) que seus comandados façam entrevistas com o malcriado técnico bambi na programação da ESPN.
Afinal, Murici é mau-humorado e mal-educado mesmo, ou é a imprensa que é chata ?
Deixe a sua opinião.
PS - Aproveite e comente a sua expectativa para o jogo de hoje contra o Real Potosi.

9 Comentários:

  • Às 4 de fevereiro de 2009 12:19 , Anonymous Zé Claudio disse...

    O Murici arrogante e bobo naum ganha nada. Os melhores jogadores deles é a juizada sem vergonha no campo no tribunal e a tchurminha da imprensa. E esses cara vem falá em estrutura que o time deles tem estrutura mais a estrutura deles se chama ganhar na marra no bastidor. Será que naum tem um repórter de sangue quente que ponha esse anãozinho onde ele merece.
    Hoje a gente mete o reio no Potosi de 3 x 1

     
  • Às 4 de fevereiro de 2009 13:55 , Anonymous Edson disse...

    Esse tema é muito importante. A mídia esportiva faz papel de malandro e gosta de apanhar. Bem lembrados os nomes de Telê, Leão, Sócrates; relembro outros tais como: Casagrande e Romário. Porque será que a mídia puxou e ainda puxa o saco desses indivíduos, que históricamente a trataram mal? Será a sindrome de Estocolmo, quando o agredido fica a favor e apaixonado pelo opressor?
    Há muito o Muricy já passou do mínimo tolerável com essa estória de ser rabugento. Quando via as suas entrevistas, me enchia o saco. E qual era o comportamento da imprensa? Sempre levando na brincadeira, na esportiva e dizendo - "Êsse Muricy não tem jeito mesmo, está sempre mal humorado", mas é o jeito dele. Jeito, que ao meu ver, é de uma falta de educação absurda e de uma falta de ética não menos absurda, embora eu ache, também que esses jornalistas de meia tigela merecem esse tratamento.
    Fosse o Muricy, técnico de outro time, que não do time-biba, já teriam se rebelado há muito tempo, mas como o patrão é o sãopaulo demoraram para reagir, e com pouca intensidade. Hoje já vi imagens do Muricy todo sorridente no globo esporte, inclusive com declarações do não menos entojado Rogério Ceni. Mas parecde ser esse mesmo o papel da imprensa esportiva, a subserviência ao sãopaulo, o time da mão grande e armada prá cima de todos os outro times. Ganha com gols de mão, com gols impedidos, com mudança de mando de jogos finais, com anulação de gols doss adversário e com o comando dos tribunais esportivos. E a imprensa nada, é tudo normal.
    Quer saber? Eles merecem o Muricy que têm
    Saudações esmeraldinas

     
  • Às 4 de fevereiro de 2009 14:06 , Anonymous Mestre dos Magos disse...

    Alcides

    Minha opinião sobre o caráter de Muricy já dei até no antigo site que frequetávamos.

    Ninguém me tira da cabeça que ele FINGIU NO CASO DO GÁZ.

    Sempre ele irá inventar uma desculpa esfarrapada assim como fazia o seu Professor Telê.

    Qual será a próxima?

    Talvez não tenha próxima por um certo tempo, a não ser que o time teime em não dar liga, o que fará com que a pressão aumente e ele então dispare para todo lado.

    Mas pra mim particularmente, esse TRANSTORNO BIPOLAR faz parte do técnico dos bambis e quem sofre desse mau, tem que procurar o médico rapidamente.

    Essa do Gáz, eu não engulo até hoje, Foi armação premeditada, tanto da parte dele, como do Anão de Bonsai que deram entrevistas dias antes, antecedendo um fato que acabou acontecendo.

    No mínimo, suspeito....

    Saudações Alvi Verdes.

     
  • Às 4 de fevereiro de 2009 14:14 , Anonymous vladimir rizzetto disse...

    Caro Esmeraldino

    Depois de ver este episódio do Muriçoca e, pior ainda, assistir a uma parte considerável da imprensa tentando defender o indefensável, chego a uma conclusão um tanto óbvia: a "inprença" está completamente "vendida" e mantém relações carnais das mais passivas com esta instituição nefasta e abjeta: o SPFW! Não existe outra explicação, muitos falam em ranço clubístico, pode até ser, porém, esta "Operação Panos Quentes" ultrapassa todas as fronteiras da preferência por este ou aquele time.

    O panorama é gravíssimo, pois vemos o irascível e inculto Muriçoca defecando nas cabeças da imprensa, que por sua vez, recolhe os dejetos do pseudo treinador, degustando-os e se regozijam com isto!

    É o fim! Comem merda e arrotam peru!

    As palavras isenção, honestidade e respeito simplesmente foram apagadas do dicionário destes trastes que infestam a imprensa esportiva paulista.

    E como você observou, caro Esmeraldino, com a lucidez de sempre, o tosco Muriçoca segue fielmente a cartilha do finado (que o diabo o carregue) Telê Santana, uma das maiores farsas do futebol brasileiro em todos os tempos, um verdadeiro produto da propaganda nazista e alienadora da imprensa, uma mentira com M maiúsculo que os bambis e muitos torcedores incautos de vários times compraram.

    E quanto à possibilidade do Muriçoca entender que ele se tornou um "treinador top e vencedor", apenas e tão somente, porque defende o time da ditadura e dos bastidores, ela simplesmente inexiste, pois ele não tem cultura e discernimento necessários para tanto, pois é um completo brucutu.

    Se ele fosse técnico de qualquer outro time e, principalmente do nosso Palmeiras, já estaria deflagrada a guerra genocida contra ele próprio e, consequentemente contra nosso time. Manchetes raivosas e preconceituosas infestariam todos os veículos da imprensa, sem excessão.

    É bom que o calhorda do Muriçoca curta seus "15 minutos de fama", porque no dia em que ele for escarrado do Privadão, estará fatalmente condenado ao ostracismo, porque não poderá contar com suas melhores "táticas", como compra e constrangimento de árbitros e benevolência da imprensa. Podem anotar aí.

    Sobre o jogo contra o Potosi, na verdade estou apenas preocupado com a altitude, só isso mesmo, se o Palmeiras conseguir superar este problema, voltaremos classificados, entretanto, como precaução não faz mal a ninguém, espero que o time esteja completamente focado e com espírito vencedor para esta partida.

    Saudações alviverdes

     
  • Às 4 de fevereiro de 2009 14:16 , Anonymous Anônimo disse...

    Mesmo com essa estupidez, alguns da imprensa ainda o continuam a defender esses tipos. Defendem por falta de amor próprio ou por cumprimento de pauta (que também não deixa de ser por amor próprio, já que não defendem o que pensam e sim o que pagam)ou ainda porque são completos descerebrados (vide Band hoje).
    Mas o SPFW sentiu o mau estar que a estupidez desse senhor causou e imediatamente colocou seus asseclas para minimizá-lo e defender o "poderoso e moralíssimo nome do futebol brasileiro".
    Ah, em tempo, o maior técnico de futebol ainda é e foi Osvaldo Brandão.
    Pardini

     
  • Às 4 de fevereiro de 2009 23:51 , Blogger Verdaço disse...

    O que dizer duma situação dessa que já não foi devidamente esmiuçada por varias pessoas...hummm,na boa??Isso aí para mim é que nem assistir uma briga,um arranca-rabo,ou coisa parecida de duas pessoas de quem não gosto.
    Enquanto isso lá nas alturas...1 X 0 pra nóis!!

     
  • Às 5 de fevereiro de 2009 12:09 , Anonymous Marco Verdão disse...

    Os times do SP em 2006, 2007 e 2008, com o Muricy de treinador, não teriam se classificado para a Libertadores, caso defendessem outra camisa (a não ser que essa camisa fosse a do Corinthians ou do Flamengo).
    Ganhar títulos onde tudo conspira a favor é muito fácil.
    Quanto à educação do Sr. Muricy não há mais nada a comentar, os fatos falam por si.
    Lamentável é o papel que certas pessoas da imprensa aceitam se submeter. Não têm o menor amor próprio e respeito a elas mesmas.

     
  • Às 5 de fevereiro de 2009 12:14 , Anonymous ´Zé Claudio disse...

    Quano um cachaçero fala dum mau educado é como um mendingo falando de um mau vestido. Aí a gente tem di ficá de boca fechada. O Trajano fico brabo só que conhecendo ele comu conheço, deve ter alguma coisa mais séria por traz disso. alguma bronca qui naum tem nem tamanho. A espn o cahaçero e o Muriçoca um merece o otro. pnc desse dois folgados! ahahahahahhaaha

     
  • Às 8 de fevereiro de 2009 15:19 , Anonymous Marco Verdão disse...

    Telê Santana sempre foi amigo dos intelectualóides da imprensa, os famosos formadores de opinião do segmento "politicamente correto".
    Disputou e perdeu a Copa do Mundo da Espanha mesmo tendo em mãos uma excelente geração de jogadores.
    Foi teimoso e burro ao insistir em um esquema que tinha dois laterais (alas na linguagem de hoje) que desciam ao mesmo tempo e não marcavam ninguém. Para completar não tinha jogadores de marcação no meio de campo. Montou um esquema suicida que só deu resultado contra equipes inferiores e de treinadores fracos.
    Quando enfrentou o primeiro time profissional, acabou "dançando".
    Repetiu os mesmos erros táticos em 1986 e continuou com sua sina de perdedor até 1990 quando perdeu o título nacional para um time inferior tecnicamente.
    Depois disso, mudou sua estratégia, mas não mudou o discurso. Passou a utilizar brucutus em seu time, jogadores que batiam até na mãe, sem nunca abandonar o discurso hipócrita de defesa do "futebol arte".
    Quem escalava em seu time jogadores como: Pintado, Luís Carlos Goiano, Suélio, Dinho, Ronaldão e outros do tipo jamais poderia falar, jamais, que não apoiava o jogo desleal na marcação.
    Paralelo a isso, usava sua influência junto aos jornalistas para impor o discurso da "moralização do futebol" combatendo o chamado por ele de "esquema Parmalat". Um recurso sórdido na tentativa de minar fora de campo um adversário superior tecnicamente. O contra ponto dessa história é que seo Telê fazia esse discurso demagógico ao mesmo tempo em que o clube que ele dirigia era patrocinado pela "IBF Formulários" e presidido por um tal Pimenta.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial