Observatório Alviverde

21/07/2015

A GRANDE FARSA DO JULGAMENTO DE DUDU! ESTA É A HORA DE O PALMEIRAS ROMPER COM A FPF!


 Resultado de imagem para farsa do tribunal

 Como se esperava, o TJD arrebentou Dudu e o Palmeiras, no arremedo de justiça posto em pratica, ontem, na sede do colendo.

Vergonha das vergonhas, não a punição em si, mas os muitos pesos e medidas adotados no linchamento legal, mas imoral, em que o único critério foi a falta de critério. 

Infelizmente, aqueles de quem deveriam partir os maiores exemplos de neutralidade, equilíbrio, equitatividade e isonomia, fizeram da justiça esportiva um reduto passional eivado de interesses clubísticos inconfessáveis. 

Ontem, novamente, infelizmente, foi assim!

Se acham que estou exagerando, comparem as situações e tirem as suas conclusões:

Ao contrário de Guerrero sequer citado ou amarelado, 
https://www.youtube.com/watch?v=MriqkZqzrTw

Ao contrário de Emerson Sheik também não citado ou amarelado, 
https://www.youtube.com/watch?v=goNhSD0BU_o

Ao contrário de Petrus, suspenso por três (não meses, mas) jogos:
https://www.youtube.com/watch?v=IyV7I7CKg1o

De Dudu, que agrediu Ceretta (árbitro campeão com o Santos em 2015):
https://www.youtube.com/watch?v=l5fsX3OnDis 

QUAL DAS QUATRO AGRESSÕES, A MAIS BRANDA?
QUAL DELAS, A PUNIDA COM MAIOR RIGOR?

O advogado palmeirense Dr. Sica, após afirmar que o tribunal era clubístico, mandou projetar os lances que destacamos aos quais você também pode assistir, tanto e quanto estabelecer seus juízos de valor e tirar as suas conclusões! 

Nem isso, porém, inibiu a pre-determinação de sete entre nove "magistrados" de massacrar e arrebentar o Palmeiras! 

Diante de tudo, só me resta acrescentar:

As opiniões das pessoas de bem sobre o TJD paulista e seus "ínclitos" judicantes estão, absolutamente, divididas: para uns é uma merda de tribunal e, para todos, um tribunal de merda! 

A mídia curintiana (Juca, Nojeira e outros) afinadíssima no discurso, de há muito vinha preparando o ambiente para que houvesse uma punição exemplar ao palmeirense!

Cobrava, incessantemente, o imediato desfecho do caso, exigindo um posicionamento urgente do tribunal.

Mais do que isso, deixava, nas entrelinhas, a mensagem subliminar que Dudu deveria ser punido exemplarmente, como jamais o fez em relação a qualquer jogador que viveu semelhante situação. Não foram poucos, foram muitos!

O linchamento, digo, o julgamento de Dudu, cujo desfecho já era esperado, está, enfim, terminado e consumado, constituindo-se em mais um revoltante episódio de simulacro de justiça.

Refletiu, simplesmente, a política clubística da parte de um tribunal marcantemente gambambi, tangido pela maior parte da mídia paulistana, figadal inimiga palmeirense de tantos anos!

Faço questão de repetir, que, não pela punição exemplar a Dudu, mas pelos antecedentes mostrados acima de jogadores curintianos, muito mais graves e piores, a posição do tribunal causa vergonha, espanto e perplexidade àqueles que lutam e propugnam por um país mais sério e mais justo! Foram dois pesos e duas medidas!

Os eventos similares, julgados pelos mesmos magistrados, foram conduzidos por eles e pela mídia, através formas e contornos diferentes, sob outros vieses!

E o foram, tanto nos considerandos quanto, principalmente, na decisão final, facciosa, parcial e, absolutamente, injusta. 

Hoje, obrigo-me a criticar o repórter Vanderlei Nojeira, digo, Nogueira! 

O que ele "bostejou" em pleno ar a respeito do assunto é tão baixo e tão constrangedor que qualquer cidadão de bem em pleno uso de suas faculdades teria vergonha de proclamar.

Numa situação em que até Flávio Prado teve a hombridade de afirmar que a punição a Dudu era exagerada, se comparada às decisões anteriores do TJD, o gambazíssimo repórter acostumado a envergar a capa hipócrita da neutralidade que nunca teve, disse, em outras palavras, o seguinte:

"Não me importa que Guerrero e Sheik não tenham sido punidos. Não ligo importância ao fato de que Petrus tenha levado apenas três jogos de suspensão porque isso é passado! Dudu tem de ser julgado e condenado no rigor da lei! Este é um momento diferente que se vive no Brasil de caça aos corruptos em que o juiz Moro é o maior exemplo... e seguiu bostejando... Escorria pelo rádio (como dizia o inesquecível Loureiro Jr) "

O cara, marcantemente gabola e cheio de sí, é tão parvo e de uma calhordice tal, que imagina que, após um discurso dessa lavra e natureza, os ouvintes estão acreditando que ele, realmente, está zelando pelo "fair-play" ou propugnando por um futebol mais justo e limpo. 

Acredite (nele) quem quiser!

O prepotente repórter acredita, certamente, que, do lado de cá do aparelho de rádio e da Tv, da página do jornal ou da tela da Internet, só existam imbecis ou pessoas de inteligência ainda mais fraca do que a dele. 

Se bem pergunto, por que ele não colocou no ar essas impropriedades e esse discurso marcantemente "patriótico" antes do julgamento de Petrus? 

Alguém se lembra dele ter dito algo que fosse a respeito das agressões de Guerrero e de Sheik mostradas acima e tratadas como esbarrões (ó dor), que os árbitros, mesmo na qualidade de vítimas preferiram, convenientemente, se omitir? 

Acabo de ver e constatar nas imagens que, antes da agressão de Petrus, Jader já havia chutado o árbitro, mas ninguém da mídia, muito menos Vanderlei, disse nada a respeito!

Por tudo isso, concordo com a opinião do competente bloguista Marco, que, a exemplo de milhões de palmeirenses de todo o Brasil, desejam que o Verdão rompa seu relacionamento com a Federação Paulista de Futebol.

Por ser uma ideia brilhante, bolada e detonada, antecipadamente, pelo grande companheiro Marco, e por considera-la factível e interessante, deixo que ele próprio a publique neste espaço>

A minha expectativa é de que a mídia palestrina a encampe e que diretoria do Palmeiras analise e tome as providências cabíveis porque o momento desse rompimento é  

H-O-J-E, A-G-O-R-A, J-Á! 

Assim disse Marco:

 O Palmeiras precisa romper com a FPF e disputar a nova Copa Sul Minas

Não foi apenas mais um julgamento, o de Dudu. Foi a consolidação de uma política clara de favorecimento que a Federação Paulista de Futebol pratica há muito tempo, fiel à tese de que aos amigos tudo, aos inimigos, o rigor da lei.

Depois de ver o título paulista de 2015 perdido devido a erros grosseiros de arbitragem, o Palmeiras recebe uma punição “exemplar” contra um importante jogador de seu time.

Isso ocorre, justamente, na temporada que o clube volta a incomodar seus concorrentes. 

Jogadores de clube rival, em situações muito mais sérias tiveram punições mínimas, sendo que um nem foi expulso em jogadas tratadas em público como encontrões acidentais!!!!

Agora, os paladinos da justiça e da moral esportiva querem que Dudu, por ser jogador do Palmeiras, seja tomado como exemplo. 

Mas só deve ser exemplo por ser jogador do Palmeiras! Petrus, Guerrero e Sheik eram jogadores do time oficial!  É o exemplo bem claro de que a camisa conta demais para definir quem deve ser punido e quem é amigo do rei!

Esse julgamento não deve ser visto pelo Palmeiras como um simples caso jurídico, mas como um autêntico divisor de águas. 

Trata-se da ocasião propícia para o rompimento com essa entidade que não mais representa os interesses de todos os seus filiados, mas sim de dois ou três escolhidos. 

Paralelamente ao caso paulista, está acontecendo  uma cisão no futebol carioca, onde Flamengo e Fluminense não concordam com os rumos da sua Federação e articulam se juntar aos clubes da antiga Copa Sul-Minas para trazer de volta essa competição com um novo formato. 

A participação do Palmeiras nessa nova Copa Sul-Minas daria ao Verdão uma dimensão muito maior do que jogar um mero certame estadual. 

Enquanto isso, a FPF ficaria com os clubes que escolheu adotar como seus protegidos, em todos os níveis.

A razão desse rompimento não seria apenas a revanche do julgamento de ontem, mas de todas a ações prejudiciais dirigidas ao Palmeiras causadas pela federação nesses últimos anos.

Para mim o julgamento do atleta Dudu representa, apenas, a gota d´água que encheu o copo e o fez vazar, inundando a paciência de todos os palmeirenses. (MAC)

COMENTE COMENTE COMENTE
 

39 Comentários:

  • Às 21 de julho de 2015 08:08 , Anonymous SÓCIO TORCEDOR disse...

    Texto maravilhoso onde retrata a atual situação e a vergonha que nos foi colocado no "julgamento" onde todos já haviam sidos avisados do que viria a ocorrer, mais uma das inúmeras vergonhas a que fomos postos. Cabe a diretoria uma real posição aos representantes da FPF, não se pode calar em hipótese alguma.
    Alcides e Marco, parabéns por vossas palavras e linha de raciocínio, estou como qualquer palmeirense indignado e surpreso por tudo isto, que fosse punido, não absolvido, más que retrata-se o fato e não interesses clubísticos dos senhores presentes a este circo.
    Dois pesos, duas medidas...até quando e até que momento vamos aceitar de maneira passiva a este cenário onde interesses não futebolísticos sobressaem e prevalecem a moral, ética e idoneidade do nosso futebol e política brasileira?
    Uma vergonha...uma palhaçada..um tapa na cara não só do Palmeiras...más de todos que desejam um futebol honesto dentro e fora de campo.
    Avanti Palestra.!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     
  • Às 21 de julho de 2015 08:32 , Anonymous VERDE ROXO disse...

    Com a devida venia, mas acredito que o Sica foi muito juvenil nesse julgamento. Foi muito duro em suas palavras contra os auditores, acusando-os de favorecimento a outros times, perseguição ao Palmeiras, de virem com o voto já pronto... Achei até meio desrespeitoso em alguns momentos. Os auditores ficaram visivelmente ofendidos com os argumentos por ele apresentados, dando-lhe uma "comida de r4bo" ao final de sua sustentação. Sabendo como esses caras costuma se achar "deuses em um olimpo", ele poderia ter sido menos agressivo, usado de um maior jogo de cintura, adotado uma estratégia mais comedida... Mas agora, já foi. Vamos ao STJD!

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:09 , Anonymous PAIXÃO CLOROFILA disse...

    Um bom advogado, não deixa de dizer o que ele disse, que também era importante de ser dito. Mas diria isso de uma maneira polida, politica, sem criar melindres, e preparado para o revide. A impressão que me passou é que este Sica não se preparou para a defesa. Apostou numa tese, sem dar a possibilidade de sua tese ser fraca. Isso, prá mim, é despreparo.
    Que no STJD, contratem o advogado do Flu.

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:09 , Anonymous Anônimo disse...

    O advogado Sica foi muito bem, e acho que pegou leve contra essa corja de auditores, pois A MELHOR DEFESA É O ATAQUE.
    Endosso aqui as palavras de Alcides e Marco...uma VERGONHA oque estão fazendo e não resta outra alternativa SENÃO ROMPER com FPF .

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:16 , Anonymous Anônimo disse...

    VERDÃO INQUESTIONÁVEL

    Verde roxo falou tudo. O Sica foi extremamente juvenil. Por mais que se queira dizer verdades, não se pode fazê-lo com quem tem o poder nas mãos. Prejudicou gravemente o resultado do julgamento.
    Quanto ao lado prático: nada vai acontecer. O Palmeiras não vai romper com ninguém, não vai disputar a Sul Minas.
    O título fica mais dificil sem o Dudu, não impossível pq o equilíbrio está ditando o ritmo do campeonato.
    Pelo menos o Dudu vai ter que aprender na marra a ser mais cabeça fria, pq convenhamos, embora tenha sido exagerada ao extremo a suspensão de 6 meses, ele entregou a faca e o queijo ao bandido.

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:17 , Anonymous Anônimo disse...

    VERDÃO INQUESTIONÁVEL

    Verde roxo falou tudo. O Sica foi extremamente juvenil. Por mais que se queira dizer verdades, não se pode fazê-lo com quem tem o poder nas mãos. Prejudicou gravemente o resultado do julgamento.
    Quanto ao lado prático: nada vai acontecer. O Palmeiras não vai romper com ninguém, não vai disputar a Sul Minas.
    O título fica mais dificil sem o Dudu, não impossível pq o equilíbrio está ditando o ritmo do campeonato.
    Pelo menos o Dudu vai ter que aprender na marra a ser mais cabeça fria, pq convenhamos, embora tenha sido exagerada ao extremo a suspensão de 6 meses, ele entregou a faca e o queijo ao bandido.

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:17 , Anonymous VERDE SEMPRE disse...

    Dois pesos...duas medidas? Que "circo" de julgamento foi aquele? Realmente crer em que instituição no Brasil de hoje? Uma enorme vergonha para não só os palmeirenses más para todos que desejam imparcialidade e um futebol honesto, ético e moral!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    É coisa para ficar desanimado...aff!!!!

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:19 , Anonymous Marco disse...

    Julgamento de cartas marcadas. Qualquer atitude do advogado do Palmeiras seria irrelevante.
    Não vamos inverter o foco e como de costume procurar culpados dentro do Palmeiras.
    O jogador Dudu deveria ser punido de acordo com os critérios aplicados até então.

    Caso queiram modificar essa conduta, que seja estabelecida uma determinação a partir de uma data pré fixada sobre os critérios a serem aplicados e não esperar que apareça um caso envolvendo o Palmeiras para servir de exemplo.

    Deveria chamar a atenção também, que nas imagens da agressão praticada pelo Guerrero, seu treinador aplaude o jogador. Não houve polêmica, não houve expulsão, não houve julgamento.

     
  • Às 21 de julho de 2015 09:33 , Anonymous Marco disse...

    A proposta concreta está lançada, se o Palmeiras vai romper ou não com a FPF é outra história.
    O fato é que se nenhuma atitude for tomada continuaremos a ser coniventes com os favorecimentos praticados pela FPF.
    Trata-se de uma proposta muito mais prática do que ficar reclamando para o vento pela internet.
    O caso Dudu não pode ser visto como situação isolada, é mais um capítulo do tratamento dado ao clube pela entidade. Conforme cita o texto, foi a gota d'água. Será que já foi esquecida final do Paulistão 2015?
    A simples manifestação do Palmeiras sobre um interesse em romper com a FPF e disputar a Copa Sul Minas iria despertar na FPF um pouco mais de cuidado.
    O movimento pelo rompimento com a FPF seria um recado objetivo para a entidade para que trate todos os seus filiados de forma igual.

     
  • Às 21 de julho de 2015 10:04 , Anonymous victor tredenski disse...

    E NO FINAL DAS CONTAS

    O TAL ARBITRO DO OCORRIDO

    AQUELE SANTISTA DE UMA FIGA, PARA NÃO ESCREVER OUTRA COISA

    SENÃO OS POLITICAMENTE CHATOS E CORRETOS IRÃO POSTAR QUE ESTOU OFENDENDO

    GANHOU O PREMIO DE MELHOR ARBITRO DO CAMPEONATO PAULISTA

    OU SEJA, FEZ O SERVIÇO SUJO E AINDA SAI COM O PREMIO E MAIS 350 ''PILA'' NO BOLSO COMO
    ''BONIFICAÇÃO''

    E AI JUCA KFOURI, VOCE QUE ATÉ PUBLICOU EM SEU BLOG(?) UM POST A RESPEITO DO JULGAMENTO

    ESTA SATISFEITO AGORA?

     
  • Às 21 de julho de 2015 10:10 , Anonymous Renan Teles disse...

    Alcides, mto bom dia!

    Confesso que, como vc bem disse, não foi surpresa nenhuma a manutenção da pena a DUDU!
    Assim como falei, em alguns comentários em posts passados, a "exigência" da mídia "politicamente correta" e "com sede de justiça" era extremamente notória! Os caras estavam loucos, impacientes para que a lei fosse aplicada...mas perai, a lei foi sancionada agora?? Nos casos citados por você, ainda não existia sanção pra tal conduta?? (desculpe a ironia, é que como advogado, me sinto envergonhado perante alguns tribunais).

    Resumindo, era explicita o contentamento de um tal JK ontem na ESPN, o qual fiz questão de assistir apenas para comprovar o comprovado...ele estava em estado de graça,satisfeitíssimo, popular rindo atoa, mesmo com seu time gambá tendo perdido no sábado e ele tivesse apostado que cortaria o braço(?!) caso o galo não ganhasse (quis mostrar imparcialidade) HA HA HA...foi patético aparecer no programa com 4 ou 5 "arranhões"cobertos por falsos curativos!

    Imagine os outros "imparciais"...como estarão hoje com aquele sentimento de justiça estampados em seus blogs, colunas...ou melhor justiça não, DEVER CUMPRIDO!

    A que ponto chegamos caro Alcides...

    Nosso Verde precisa se mexer, ontem!

    Abraços.

     
  • Às 21 de julho de 2015 10:12 , Anonymous Periquito Mestre disse...

    O Palmeiras tem que romper sim com a Federação e acabar com a a festa da ditadura do proletariado que é a dona do futebol brasileiro. Só não tá pior pq o sapo barbudo tá ameaçado um pouco mais longe do futebol e tá preocupado em salvar a pele dele na política. Acho impressionante como ainda tem palmeirense bobo que não entende o significado do que é escrito e adora contestar as ideias dos outros mesmo que sejam favoráveis ao Palmeiras. É muito orgulho pretensão e uma baita burrice essa conduta que alguns dos nossos teimam em manter. Os caras sabem que a ameaça de rompimento com a casa bandida mexe com o brio dos administradores e tem poder para alterar o quadro atual. Mas como a ideia de romper não foi deles eles querem desmoralizar o que foi falado. Parabens ao Alcides e ao Marco pela idéia que só não vai virar campanha na mídia palestrina pelo mesmo motivo que criticaram esta postagem o orgulho de não reconhecer e o despeito de não terem sido os autores da idéia.

     
  • Às 21 de julho de 2015 11:06 , Anonymous BOCA DURA!!! disse...

    Na minha opinião, como citado por companheiro em relação as palavras utilizadas pelo advogado no caso, posso estar errado, más agiu corretamente, sabia de antemão que o caso não teria reversão e o fez pensando no próximo embate, deixando explicito de que o circo já tinha veredito e desqualificou torcedores sentados como juízes no caso.
    Sinto vergonha disto tudo, do nosso país e instituições que deveriam zelar pela transparência e honestidade serem administrados por maus-caracteres. Vejam o Maluf e Del Nero, se deixarem o país serão presos pela Interpol, aqui no "lindo país da corrupção" exercem cargos de deputado federal e presidente da CBF...não é cômico para não dizer outra coisa? Lembra-me letra do músico Cazuza..." Que país é esseeeee!!!".

     
  • Às 21 de julho de 2015 12:53 , Anonymous Marco disse...

    Após ver o "jogo Aberto" onde quase esconderam o caso e ouvir manifestações demagógica, acrescento o seguinte comentário:

    Quando aconteceram os casos Petrus, Guerrero e Sheik cobramos punição severa por agressão aos jogadores do time da imprensa.
    Ela, por sua vez, encobriu os casos e fez o julgamento público, "absolvendo os três por antecipação". No caso Petrus, o que foi para julgamento, a agressão foi tratada como encontrão, acidente. Formaram a imagem para o tribunal assinar.
    Agora, para o jogador do Palmeiras, da mesma forma o julgamento foi feito antes com a mesma imprensa hipócrita exigindo seriedade, punição para exemplo.
    Nós cobramos coerência, igualdade de critérios e condenamos a hipocrisia, a falsidade.
    Caso a lei fosse cumprida com severidade para os jogadores do time oficial, não teríamos a menor condição de defender a punição por jogos para o nosso jogador. Como não ocorreu, a justiça é que todos tenham o mesmo critério e se for para mudar as regras, que seja a partir de uma data determinada, com uma resolução do tribunal para os julgamentos de casos futuros e nunca usando um jogador como exemplo, apenas por ser do Palmeiras.
    Quanto a alguns dos nossos torcedores, que ele aprenda de uma vez por todas a não confundir a condição de politicamente correto com a posição de politicamente omisso ou inocente útil..

     
  • Às 21 de julho de 2015 12:54 , Anonymous Marco disse...

    Correção:
    manifestações demagógicas

     
  • Às 21 de julho de 2015 13:57 , Anonymous Constatação disse...

    Em matéria de justiça, o corinthians é o PSDB, nada pega.

    O Palmeiras é a Dilma, todo mundo bate e isenta os outros clubes.

     
  • Às 21 de julho de 2015 14:19 , Anonymous BOCA DURA!!! disse...

    Constatação, acredito que teria uma outra equiparação aos clubes:
    Corintia seria igual ao PT todos falam e ninguém consegue provar nada pois há mais do que se imagina em pessoas envolvidas.
    Palmeiras seria o PSDB, ninguém acredita que será diferente do que sempre foi, e qdo adquire evidência vem os dizeres de ser golpe!!!

     
  • Às 21 de julho de 2015 14:39 , Anonymous Anônimo disse...

    Não priemos cânico, basta um recurso no STDJ e a punição vai cair para 3 jogos, tal qual no caso petros.
    Podem ter certeza disso.

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:01 , Anonymous Marco disse...

    O resultado pode até ser alterado, mas o recado de que a FPF trabalha contra o Palmeiras, sem o menor disfarce, não pode ser ignorado.
    Não está em questão apenas a situação de um jogador. Não sejamos inocentes!

    Não se trata de criar pânico, mas de abrir os olhos para tudo o que é feito contra um time que pode incomodar os rivais que comandam a entidade. Nosso time está subindo na tabela e se tornou candidato ao título, não se esqueçam disso! O Palmeiras é sempre muito bonzinho!

    Interessante também na Mídia Palestrina em geral é a pouca manifestação da maior parte dos torcedores quando o tema é a defesa dos nossos interesses.
    Quando é para para detonar alguém do time ou do clube, existe a superlotação dos comentários em qualquer blog. Muitas vezes ficou em dúvida se existem torcedores de outros clubes infiltrados em nosso meio para promover divisões internas.

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:15 , Anonymous JULIANA AZEVEDO disse...

    Somos exigentes em demasia, aproveitemos o momento e situação atual para valorizar o que é bom e se omitir com críticas desnecessárias e que não agregam em nada ao Palmeiras, sejamos racionais e ponderados, não custa nada. Passe o que for dizer pelos três crivos: é verdade? é bom? é útil? se passar pelos três, fale, escreva e veicule, tenho certeza de que 99% ficará retido a ti, assim sendo, faça uso desta sábia disciplina para reflexão .....
    Caso do Dudu é mais um fato, tendo em vista que o Mago já não nos mais pertence como atleta, é a bola da vez, outros virão, sempre com a intenção de nos menosprezar e conturbar o ambiente pois hoje somos candidatos ao título e isto não é interessante a mídia podre deste país que ainda encontra em nossos torcedores menos esclarecidos e que são massa de manobra, elementos para dar ênfase a seus objetivos mais espúrios e desonestos....

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:28 , Anonymous VERDE INSUPERÁVEL disse...

    Meus companheiros do blog: Há um equívoco que precisa ser esclarecido. Antes de se falar em "romper" com a inominável FPF, devemos estar atentos para o fato de que Petrus NÃO FOI JULGADO, NÃO FOI CONDENADO E TAMPOUCO ABSOLVIDO pelos auditores da FPF. Nada a ver. Petrus, pois se tratava de Campeonato Brasileiro, foi condenado, em Primeira Instância, pelo STJD, por 180 dias, e teve a pena reduzida para 3 jogos, no Pleno, Segunda Instância do STJD. Assim, é o meu reparo, afirmando que, nesse caso, os Gambás da marginal não foram beneficiados pela FPF, que não tinha competência Jurisdicional sobre a questão. E digo mais: se for mantida a Jurisprudência firmada no STJD (onde irá ocorrer o recurso de Dudu), teremos grandes chances de redução da pena. Assim, que se peça rompimento ou independência da ordinária FPF por outro motivo, mas não por conta do caso Dudu.

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:30 , Anonymous TORCEDOR CORNETA disse...

    " É TÃO NATURAL DESTRUIR O QUE NÃO SE PODE POSSUIR, NEGAR O QUE NÃO SE COMPREENDE, INSULTAR O QUE SE INVEJA ".
    Somos fortes...seremos ainda mais!!
    Avanti Palestra!!Avanti Sócio Torcedor!!!
    O momento retrata que estamos incomodando a muitos que jamais pensaram que fossem viver isto, se é surpresa a palmeirenses o que dirão então nossos adversários???

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:34 , Anonymous VERDE INSUPERÁVEL disse...

    Prezado Marco: sua frase "Caso a lei fosse cumprida com severidade para os jogadores do time oficial, não teríamos a menor condição de defender a punição por jogos para o nosso jogador. Como não ocorreu, a justiça é que todos tenham o mesmo critério.." não se aplica ao caso Dudu. O amigo está equivocado. Quem julgou o gambá Petrus foi o STJD. Nada a ver com FPF. Portanto, cabe falar "mesmo critério" apenas quando do julgamento do recurso do Dudu no STJD, pois foi lá que "aliviaram" para Petrus !! Como dizia minha avó: cada macaco no seu galho ! Galhos da FPF e galhos do STJD, pois são árvores diferentes. Com jurisdições diferentes.

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:37 , Anonymous VERDE INSUPERÁVEL disse...

    Prezado Alcides, faço um reparo: Não houve nenhuma decisão anterior do TJD da Federação, no caso Petrus. Petrus foi julgado com pena reduzida pelo Pleno do STJD. Para onde o caso Dudu AINDA vai.

     
  • Às 21 de julho de 2015 15:39 , Anonymous VERDE INSUPERÁVEL disse...

    Para quem não sabe, o STJD fica no Rio de Janeiro. Embora seja podre também, está a 450 quilômetros da FPF !

     
  • Às 21 de julho de 2015 16:33 , Anonymous JJ disse...

    PALMEIRAS CONTRA TUDO E CONTRA TODOS DESDE OS PRIMÓRDIOS É UMA PERSEGUIÇÃO MESMO!..

    SEREMOS CAMPEÕES COM DUDU OU SEM DUDU E VAMOS COMEÇAR PELA COPA DO BRASIL!

    Palmeiras o maior do Brasil!

     
  • Às 21 de julho de 2015 16:51 , Anonymous Marco disse...

    O texto foi muito claro, bastaria prestar mais atenção, especialmente na última frase onde citamos claramente que o caso Dudu deve ser visto como a gota d'água.

    Quanto ao caso Petrus, sabemos perfeitamente onde ele foi julgado e sabemos também que o julgamento público foi feito pela imprensa, tentando induzir a opinião pública e o resultado do tribunal, com a constante repetição de que houve um encontrão acidental e não agressão. Um tratamento muito diferente ao caso Dudu, sempre citado como agressão.

    Realmente, uma coisa é certa, não tivemos julgamentos pelo TJD, mesmo nos casos de agressão ocorridos no campeonato paulista, conforme mostram as imagens dos "links" publicados.

    Sabemos também que o caso Petrus criou na prática uma "jurisprudência" de um tribunal superior (STJD) para um tribunal inferior (TJD).

    Mas tudo isso é insignificante quando sabemos o mais importante: para esse tribunal paulista conta a camisa, um tribunal que para jogador do Palmeiras criou o efeito suspensivo que manteve o jogador suspenso até passar o jogo do Palmeiras contra o time oficial.

     
  • Às 21 de julho de 2015 17:05 , Anonymous Constatação disse...

    Em matéria de justiça, o corinthians é o PSDB, nada pega.

    O Palmeiras é a Dilma, todo mundo tem culpa, mas só interessa bater nela.

     
  • Às 21 de julho de 2015 17:23 , Anonymous Anônimo disse...

    Pára com isso de confundir nosso Verdão com essas porcarias de partidos. Se eu disser o que é Dilminha, mãe dos pacotinhos, serei muito mal educado.

     
  • Às 21 de julho de 2015 17:41 , Anonymous Constatação disse...

    Está claro como um belo dia de sol.

     
  • Às 21 de julho de 2015 18:08 , Anonymous VERDAZZO disse...

    COM DUDU OU SEM DUDU

    O TJD-SP recusou ontem recurso apresentado pelo Palmeiras para desqualificar a denúncia por agressão, cuja pena mínima é de 180 dias, para ato hostil, cuja pena máxima é de três jogos. Discorri sobre esta grave falha do CBJD, bem como o comportamento ridículo dos auditores do tribunal neste post do Resistência 1942, blog mantido no projeto ESPN FC.

    A manobra que condena Dudu e o tira dos gramados por seis meses – ainda cabe ao Palmeiras tentar diminuir a pena – é algo que se repete há mais de setenta anos. Desde a covarde perseguição ao Palestra sob a vil acusação de “dar suporte a inimigos da Pátria”, que obrigou o clube a mudar de nome, os bastidores do futebol tendem a ser implacáveis com o Palmeiras. E isto não é mania de perseguição.

    Em 1984, um de nossos atletas foi reprovado no exame antidoping – Mario Sergio, que hoje é comentarista da Fox Sports, se recusou a colher a amostra. O Palmeiras liderava o campeonato com folga, mas perdeu seu principal jogador – e os pontos da partida, que por alguma dessas coincidências foi contra o SPFC. Nunca antes, nem depois, na história do esporte, um time perdeu os pontos da partida por doping de atleta.

    A final do Brasileiro de 1997 foi marcada por uma expulsão proposital de Edmundo na primeira partida da final. Pendurado com dois cartões amarelos, o atacante, que estava arrebentando naquele campeonato jogando pelo Vasco, levou o terceiro cartão e ficaria de fora da finalíssima, a ser disputada uma semana depois no Maracanã. Por orientação de Eurico Miranda, forçou a expulsão, dando um chute em Clebão, nosso zagueiro. Mas como um cartão amarelo pode ser pior que um vermelho?

    Simples: a suspensão por três amarelos não prevê nenhum tipo de recurso e é automática; já o cartão vermelho permite o efeito suspensivo. Eurico mexeu seus pauzinhos e o recurso foi imediatamente acatado; o jogador não cumpriu sequer a automática, que tem caráter preventivo. E assim jogou a final; o jogo foi 0 a 0 e o Vasco acabou campeão.

    Mas o caso de Dudu se assemelha mesmo é com o ocorrido em 1944. Às vésperas da final do campeonato paulista, o SPFC manobrou nos bastidores para tirar Dacunto, centromédio (uma espécie de volante) argentino que era um dos destaques do sistema defensivo palmeirense no campeonato, tal qual Dudu vem sendo no atual Brasileirão em seu papel de atacante. Apreensivos com o ótimo futebol apresentado pelo Palmeiras, nossos adversários têm o costume de apelar para outros expedientes para nos enfraquecer. Dacunto ficou de fora da final; em seu lugar entrou “apenas” Waldemar Fiúme, e o Verdão foi campeão mesmo assim. A torcida, parodiando uma marchinha de Carnaval da época, cantou “com Dacunto ou sem Dacunto, eu ganho!”

    A pena de Dudu ainda pode ser bastante reduzida, mas a tendência é que ele desfalque o time por um bom tempo, no mínimo por metade dos 180 dias já determinados. Embora seja hoje um dos melhores jogadores do time, tendo superado o péssimo momento vivido nas finais do Paulistão, quando perdeu um pênalti e, pressionado, acabou sendo expulso e ainda cometendo o erro que deu a brecha que os tribunais esperavam para dar-lhe o absurdo gancho, nosso camisa 7 poderá ser substituído à altura.

    Dudu será o novo Dacunto. Nosso elenco atual não tem nenhum jogador à altura de Waldemar Fiúme, mas é suficientemente númeroso e qualificado para manter o nível apresentado com Dudu em campo. Cabe a Marcelo Oliveira encontrar o melhor substituto dentre as várias opções que tem e fazer as devidas adaptações no esquema para que, ao final do campeonato, nossa torcida cante “com Dudu ou sem Dudu, eu ganho!”

     
  • Às 21 de julho de 2015 18:21 , Anonymous ESPN FC disse...


    http://espnfc.espn.uol.com.br/palmeiras/resistencia-1942/5395-o-julgamento-de-dudu-e-a-falencia-da-justica-desportiva

    O julgamento de Dudu e a falência da Justiça Desportiva
    Por Conrado Cacace, do Resistência 1942

     
  • Às 21 de julho de 2015 18:21 , Anonymous ESPN FC disse...

    O Tribuna de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Fuebol julgou na noite de segunda-feira recurso apresentado pelo Palmeiras em defesa de Dudu. Como todos sabemos, ele deu um encontrão no juiz Guilherme Ceretta de Lima durante a final do Paulistão, foi expulso e havia sido julgado em maio. A pena, de 180 dias de suspensão, foi contestada ontem sem sucesso: por 7 votos a 2, o recurso foi rejeitado.
    O julgamento foi transmitido ao vivo na Internet pelo ESPN.com.br e foi possível verificar mais uma vez o grande circo que são os tribunais esportivos. O advogado do Palmeiras, dr. André Sica, mais uma vez fez uma brilhante defesa, apresentando argumentos técnicos para desqualificar a denúncia por agressão e transferi-la para ato hostil – e bota hostil nisso. Mas os esforços foram em vão. Diante de auditores que já chegaram com o voto pronto, alguns inclusive com a justificativa do voto por escrito para o discurso ficar bonito no vídeo, nem batom na cueca é suficiente.
    O advogado do Palmeiras chegou a protestar firmemente contra o tratamento dado ao atleta e ao clube pelo tribunal. De fato, as punições ao Palmeiras sempre parecem mais rígidas. Como parâmetro, nada melhor que o lance envolvendo Petros, do SCCP. Inicialmente condenado aos mesmos 180 dias, conseguiu efeito suspensivo imediato e não perdeu 15 dias até o ato jurídico ter validade, como Dudu. E o recurso posterior foi acatado: a pena caiu para três jogos a serem cumpridos no próximo Paulistão. Notem que o lance de Petros é muito mais grave que o de Dudu, pois ele claramente muda sua trajetória para desferir um soco no árbitro, enquanto que Dudu vai direto para o choque corporal, com seus 1,66m diante de um sujeito com 1,92m. Mas para o Tribunal, a diferença é que no caso de Dudu a bola não estava em jogo, enquanto que o lance de Petros aconteceu com a bola rolando. Claro, Petros desviou sua trajetória e deu um soco no juiz para disputar a bola...
    O presidente do TJD-SP, Mauro Marcelo de Lima e Silva, chegou a repreender nosso advogado pelo protesto, afirmando a seriedade do tribunal e de seus membros etc etc etc – mas o que se viu nas justificativas dos auditores foi patético. Os discursos eram cheios de paixão, ignorando totalmente os argumentos da defesa, brigando com as imagens e quase revelando as camisas de seus times por baixo dos paletós. Mesmo um dos auditores que votou em favor da desqualificação para ato hostil foi caricato; Wladimir Cassani praticamente fez uma segunda defesa de Dudu em seu discurso, de forma até mais inflamada que o dr. Sica – ao procurar por sua página no Facebook, ele enverga orgulhosamente a camisa do Palestra. É vergonhoso para o tribunal e para todo o processo de Justiça Desportiva, tanto quanto os auditores que votaram passionalmente de forma contrária.
    Mas como esperar Justiça se todo o processo está baseado num código falho e injusto? O que Dudu fez está errado e obviamente merece punição, mas a definição das penas para ato hostil e agressão claramente mostram uma zona cinza que é exatamente onde se localiza, pelo bom senso, uma punição adequada pela falta cometida por Dudu. Uma pena de 180 dias é claramente exagerada; da mesma forma que três jogos, a pena máxima por ato hostil, seria branda demais. Diante desse enorme abismo, os auditores optaram pelo que seus corações mandaram, inacreditavelmente amparados pela lei. Ao Palmeiras, ainda cabem novos recursos para diminuir a pena e um novo efeito suspensivo foi solicitado.
    O processo de justiça desportiva está repleto de casos recentes em que as decisões revoltam o senso comum. O resultado é que a opinião pública perde cada vez mais a confiança em algo que deveria ser um dos pilares da credibilidade do esporte. Fuga de patrocinadores, audiências em queda livre e chacota são apenas os efeitos indesejáveis mais visíveis. O CBJD é falho e precisa ser revisto, mas de nada vai adiantar ter um código perfeito se o comportamento dos auditores dos tribunais desportivos continuar sendo passional, caricato e guiado por preferências clubísticas.

     
  • Às 21 de julho de 2015 20:33 , Anonymous Edson disse...

    http://espn.uol.com.br/post/529239_palmeirense-dudu-180-dias-cara-de-palhaco-pinta-de-palhaco-roupa-de-palhaco

     
  • Às 21 de julho de 2015 20:33 , Anonymous VERDE INSUPERAVEL disse...

    De tudo isso, restou uma constatação: não se pode confundir alhos com bugalhos e nem bugalhos com alhos. Mas isso (imperfeicoes tecnicas) ocorre até na Grande Imprensa. Tanto a Folha como o Estadão, com frequência, p.e., reputam a ocorrência de um sequestro, como se fosse um rapto. E são figuras absolutamente diferentes.

     
  • Às 21 de julho de 2015 20:41 , Anonymous VERDE INSUPERAVEL disse...

    Em verdade vos digo: tenho a impressão de que no STJD vão reduzir a pena de Dudu, mas não creio que no patamar atribuído ao arrogante gambá marginal.

     
  • Às 21 de julho de 2015 21:31 , Anonymous Anônimo disse...



    Palmeirense Dudu, 180 dias: cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço...
    Publicado em 21/07/2015, 19:49 /Atualizado em 21/07/2015, 20:18
    José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

    15 Compartilhar 'Palmeirense Dudu, 180 dias: cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço...' Compartilhar 'Palmeirense Dudu, 180 dias: cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço...' Compartilhar 'Palmeirense Dudu, 180 dias: cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço...'

    Uma coisa é uma coisa, e outra coisa é a mesma coisa. Não entendeu? Os fantásticos engomadinhos de colarinho branco do Tribunal de Justiça Desportiva da ínclita e absolutamente inútil FPF que o digam!

    Um comportamento exemplar no recurso do julgamento do palmeirense Dudu, punido com gancho de 180 dias por agressão ao árbitro Guilherme Ceretta. Aos nobres representantes da disciplina, custe o que custar:

    "Tem gente que se pergunta por que o goleiro pega a bola com a mão e ninguém marca falta, principalmente as mulheres" (do auditor Wladimir Cassani, enaltecendo a presença feminina do esporte diante de várias jornalistas na sala do tribunal).

    "Só queria dizer que acho que as mulheres entendem de futebol. Poderia citar minha esposa e minha filha como exemplos, além aqui da doutora Sônia Andreotti Carneiro Frúgoli" (contra-atacou o presidente do TJD, Mauro Marcelo de Lima e Silva, citando uma das relatoras presentes ao julgamento de Dudu).

    "O parecer não veio da procuradoria-geral, mas sim de um procurador em primeira instância, conselheiro de um time rival do Palmeiras, que já se manifestou no caso do Petros dizendo que aquilo tinha sido desrespeito à arbitragem. É o mesmo procurador" (do advogado do Palmeiras, André Sica, enaltecendo o procurador corintiano Alexandre Husni, que votou favoravelmente à redução da penalidade do ex-meia alvinegro Petros, após ser condenado a 180 dias suspensão).

    "Independentemente de simpatia que qualquer auditor tenha por um time, costumamos julgar com profissionalismo, e não com emoção, ao contrário do que o senhor fez agora na defesa de seu cliente, isso aqui não é um circo" (rebateu o presidente Lima e Silva; Sica pediu desculpas).

    Papo vai, blá-blá-blá vem, e pimba na caxirola: punição mantida. Fecham-se as cortinas e termina mais um espetáculo dantesco do inigualável ludopédio nacional. Um circo de quinta categoria.

    Dois pesos e duas medidas. Petros, gancho de 180 dias reduzido a três jogos; Dudu, pena mantida. Mas não há mal que sempre dure. O Palmeiras recorrerá ao STJD e Dudu dificilmente continuará enforcado.

    Aguarde a próxima palhaçada e bom proveito. Aos amigos, favores; aos inimigos, a lei. A porta de saída é está no aeroporto.

     
  • Às 21 de julho de 2015 22:19 , Blogger Alexandre disse...

    Depender do STJD? Vai ser díficil, irmão!

     
  • Às 21 de julho de 2015 23:24 , Anonymous Anônimo disse...

    Teve jogador que esganou a arbitragem, jurou de morte e pegou 3 jogos.

    Esses palhaços que se dizem tribunal, não tem valor nenhum, bando de safados.

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial